Dois poemas da concreta Maria do Carmo Ferreira

Palavras-chave: poesia concreta brasileira, Maria do Carmo Ferreira, cercos invisíveis, mística feminina

Resumo

O presente trabalho analisou dois poemas de Maria do Carmo Ferreira: As parcas e De mim pra mins, com o objetivo de fornecer a poeta o reconhecimento histórico que cabe a ela, ao lado dos concretos, como alguém que não deixa a dever nem em referências poéticas, tampouco em articulação crítica. Para isso, levantou-se o fato de a poeta já ter publicado junto aos concretos na revista Invenção 5 e admitiu-se que a sua criação poética continua carregada de aspectos caros à poesia concreta. Para demonstrar que a poeta tinha consciência dos cercos que à invisibilizaram e que era por meio de sua poética que buscava transcendê-los, os poemas foram lidos a luz dos textos da Mística feminina, de Betty Friedan, que busca delinear o que é o feminino e como ele é perigoso para as mulheres. Assim, se Maria do Carmo pretendeu comer o mundo com seus poemas, aqui, dar-se-á garfo e faca a ela.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Monalisa Medrado Bomfim, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos, SP, Brasil

Mestre e doutoranda em Estudos de Literatura, Departamento de Letras, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), em São Carlos, SP, Brasil.

Referências

AGUILAR, Gonzalo. Poesia Concreta Brasileira: As vanguardas na encruzilhada modernista. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2005.

BONACCORSI, Nélida. Repensar la historia de las mujeres. Universidad Nacional de Luján, 1996. v. 1.

BORGES, Jorge Luis. Ruínas circulares. In: BORGES, Jorge Luis. Ficções. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 1999. p. 25-28.

BORGES, Jorge Luis. El Golem. In: CAMPOS, Augusto. Quase Borges: 20 transpoemas e uma entrevista. São Paulo: Terracota, 2013.

BOURDIEU, Pierre. A incorporação da dominação. In: BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. 11. ed. São Paulo: Bertrad Brasil, 2012. p. 32-98.

BULFINCH, Thomas. As greias e as górgonas – Perseu – Medusa – Atlas – Andrômeda. In: BULFINCH, Thomas. O livro de ouro da mitologia. Rio de Janeiro: Editora Tecnoprint, 1965. cap. 15. p. 135-142.

CAMPOS, Augusto de. Poetamenos. In: CAMPOS, Augusto de. PIGNATARI, Décio CAMPOS, Haroldo de. Teoria da poesia concreta. 4. ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2006. p. 29-30.

CAMPOS, Augusto de. Poesia concreta. In: CAMPOS, Augusto de. PIGNATARI, Décio CAMPOS, Haroldo de. Teoria da poesia concreta. 4. ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2006. p. 55-62.

CAMPOS, Haroldo de. Olho por olho a olho nu. In: CAMPOS, Augusto de. PIGNATARI, Décio CAMPOS, Haroldo de. Teoria da poesia concreta. 4. ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2006. p. 73-76.

CESAR, Ana Cristina. Literatura e mulher: essa palavra de luxo. In: CESAR, Ana Cristina. Crítica e tradução. São Paulo: Companhia das letras, 2016. p. 249-259.

ESTADÃO. Falso poema atribuído a Neruda é da brasileira Martha Medeiros. O Estado de São Paulo, São Paulo, 12 jan. 2009. Disponível em: https://cultura.estadao.com.br/noticias/geral,falso-poema-atribuido-a-neruda-e-da-brasileira-martha-medeiros,306181. Acesso em: 1 jan. 2021.

FERREIRA, Maria do Carmo. As parcas. In: Jornal de poesia. [S. I.], ago. 2000. Disponível em: http://www.jornaldepoesia.jor.br/mcferreira.html#as%20prcas. Acesso em: 11 jan. 2021.

FERREIRA, Maria do Carmo. Carmina Bu(saga)rana. Suplemento Literário de Minas Gerais, Belo Horizonte, edição especial, p. 31-32, 2013. Disponível em: http://www.bibliotecapublica.mg.gov.br/index.php/pt-br/suplemento-litelario/edicoes-suplemento-literarios/edicoes-especiais-1/90--90/file. Acesso em: 11 jan. 2021

FERREIRA, Maria do Carmo. De mim para mins. Germina: revista de literatura & arte – Especial: Minas, de passagem, [S. I.], v. 2, n. 3, 2006. Disponível em: https://www.germinaliteratura.com.br/maria_do_carmo_ferreira.htm. Acesso em: 11 jan. 2021.

FRIEDAN, Betty. A heroína doméstica. In: FRIEDAN, Betty. Mística feminina. Rio de Janeiro: Editora Vozes Limitada, 1971. cap. 3. p. 17-31.

FRIEDAN, Betty. A vibrante jornada. In: FRIEDAN, Betty. Mística feminina. Rio de Janeiro: Editora Vozes Limitada,1971. cap 5. p. 71-90.

FRIEDAN, Betty. O problema sem nome. In: FRIEDAN, Betty. Mística feminina. Rio de Janeiro: Editora Vozes Limitada, 1971. cap. 1. p. 32-61.

MEDEIROS, Martha. A morte devagar. Zero Hora, Porto Alegre, 1 nov, 2000, p.15.

MAIOLINO, Anna Maria. Museu vivo: Ana Maria Maiolino (Parte 1). Sesc TV, 2015. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4ZJ1bF1p8Yk. Acesso em: 21 jan. 2021.

PAROS, Felipe Martins. Seguindo o Meretrilho: sobre um poema de Maria do Carmo Ferreira. Revista Gama: estudos Artísticos, Lisboa, n. 7, v. 13, p. 36-43, 2019.

RICH, Adrienne. When we dead awaken: Writing as re-vision. College English, [S. I.], v. 34, n. 1, p. 18-30, 1972.

SOSNOWSKI, Saúl. Borges e a Cabala. São Paulo: Editora Perspectiva, 1991. 96 p.

WOOLF, Virginia. Profissões para mulheres. In: WOOLF, Virginia. Profissões para mulheres e outros artigos feministas. Porto Alegre: L&PM, 2020. p. 9-19.

Publicado
2021-11-09
Como Citar
Bomfim, M. M. (2021). Dois poemas da concreta Maria do Carmo Ferreira. Letras De Hoje, 56(2), 385-394. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2021.2.40440
Seção
Seção Livre