Conservadorismo moral, indeterminação da condição humana e ética democrática

Palavras-chave: conservadorismo moral, condição humana, falibilismo, ética democrática

Resumo

O artigo argumenta que o conservadorismo moral da « comunidade moral bolsonarista » baseia-se em uma noção fechada e dogmática de mundo, assim como na ideia fundamentalista de ser humano como essência pronta e numa ontologia antropológica hierarquizada. A partir desse passo, recorre-se ao pragmatismo falibilista de Bernstein como referência crítica ao conservadorismo moral autoritário e ao perigo de fechamento do espaço público que ele representa. Na sequência, procura-se mostrar que essa maneira pública e crítica de pensar dá origem a uma noção aberta e plural de mundo e à compreensão da condição do ser humano como indeterminada, condição que contradiz o desejo irracional e desmesurado de onipotência. Conclui-se, por fim, defendendo-se que é o nexo entre mundo aberto e fragilidade humana, no marco de uma ética democrática, que cria as condições propícias para experiências éticas e formativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudio Almir Dalbosco, Universidade de Passo Fundo (UPF), Passo Fundo, RS.

Doutor em Filosofia pela Universidade de Kassel, em Kassel, Alemanha; professor da Universidade de Passo Fundo (UPF) em Passo Fundo, RS.

Angelo Vitório Cenci, Universidade de Passo Fundo (UPF), Passo Fundo, RS.

Doutor em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em Campinas, SP, Brasil; professor da Universidade de Passo Fundo (UPF) em Passo Fundo, RS.

Miguel da Silva Rossetto, Universidade de Passo Fundo (UPF), Passo Fundo, RS.

Doutor em Educação pela Universidade de Passo Fundo (UPF), em Passo Fundo, RS, Brasil; professor da Universidade de Passo Fundo (UPF) em Passo Fundo, RS.

Referências

Alonso, A. (2019). A comunidade moral bolsonarista. In VÁRIOS AUTORES. Democracia em risco? 22 ensaios sobre o Brasil Hoje. (pp. 52-70). São Paulo: Companhia das Letras.

Apel, K.-O. (1993). Transformation der Philosophie. Band 2: Das Apriori der Kommunikationsgemeinschaft. Frankfurt am Main: Suhrkamp.

Bernstein, R. J. (2006). El abuso del Mal. La corrupción de la politica y la religión desde el 11/9. Buenos Aires: Katz Editores.

Dalbosco, C. A. (2016). Condição humana e educação do amor próprio em Jean-Jacques Rousseau. São Paulo: Edições Loyola.

Dewey, J. (2008). The Middle Works, 1899-1924: Volume 9: Democracy and Education. Illinois: Southern Illinois University Press.

Foucault, M. (2008). Nascimento da biopolítica. São Paulo: Martins Fontes.

Gianott, J. A. (2019). Savonarolas oficiais. In VÁRIOS AUTORES. Democracia em risco? 22 ensaios sobre o Brasil Hoje. (pp. 164-174). São Paulo: Companhia das Letras.

Gonzalez, J. A., & Costa, M. C. C. (2018, December). Neoliberalismo, neoconservadorismo e educação: o movimento “Escola sem Partido” para além do projeto de lei. Quaestio, 20(3), 551-565. Recuperado de http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3248. doi: https://doi.org/10.22483/2177-5796.2018v20n3p551-565.

Gros, F. (2009). Estados de violência. Ensaio sobre o fim da guerra. Aparecida, SP: Editora Ideias & Letras.

Habermas, J. (1998). Faktizität und Geltung. Beiträge zur Diskurstheorie des Rechts und des demokratischen Rechtsstaats. Frankfurt am Main: Suhrkamp.

Herbart, J. F. (2013). Pädagogische Schriften. Zweiter Band: Allgemeine Pädagogik, aus dem Zweck der Erziehung abgeleitet (1806). Herausgegeben von Walter Asmus. Düsseldorf/München: Verlag Helmut Küpper Vormals Georg Bondi.

Honneth, A. (2013). Das Recht der Freiheit. Grundriß einer demokratischen Sittlichkeit. Frankfurt am Main: Suhrkamp.

KANT, I. (1997). Crítica da Razão Pura. (4 ed.). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Melo, C. (2019). A marcha brasileira para a insensatez. In VÁRIOS AUTORES. Democracia em risco? 22 ensaios sobre o Brasil Hoje. (pp. 211-229). São Paulo: Companhia das Letras.

Neuhouser, F. (2008). Rousseau’s Theodicy of Self-Love. Evil, Rationality, and the Drive for Recognition. New York: Oxford University Press. doi: https://doi.org/10.1093/acprof:oso/9780199542673.001.0001,

PEIRCE, C. S. (1983). Escritos coligidos. (3 ed.). São Paulo: Abril Cultural.

Prange, K. (2014). (Hr.). Herbart und Dewey. Pädagogische Paradigmen im Vergleich. (pp. 7-18). Jena: Garamond

Verlag (Edition Paidei). Rousseau, J.-J. (2003). Oeuvres complètes. Tomo III: Discours sur l’origine et les fondements de l’inégalité. Paris: Gallimard, Bibliothèque de la Plêiade.

Publicado
2020-09-01
Como Citar
Dalbosco, C. A., Cenci, A. V., & Rossetto, M. da S. (2020). Conservadorismo moral, indeterminação da condição humana e ética democrática. Educação, 43(2), e35895. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2020.2.35895
Seção
Dossiê: Formação em Movimento