Ética em pesquisa

Análise das dissertações de um mestrado em Educação cearense

Palavras-chave: ética na pesquisa, pesquisa educacional, pós-graduação

Resumo

Objetivou-se analisar como as dissertações de uma instituição de ensino cearense abordam as questões éticas na pesquisa. Realizou-se um estudo quantitativo com 104 dissertações, considerando a presença de cuidados éticos no resumo; a presença de seção sobre os aspectos éticos da pesquisa; a presença de Termo de Consentimento Livre e Esclarecido; e a aprovação por um Comitê de Ética em Pesquisa. Realizou-se análise estatística não-paramétrica por meio do teste de Kruskal-Wallis, com nível de significância de 5%, mediante utilização do software SigmaStat 3.5. Os dados revelaram que a maioria das dissertações não atendem na íntegra a Resolução CNS nº 466/2012, apesar disso fazem referências éticas ao longo do trabalho. Não houve diferenças estatisticamente significantes (p>0,05) em relação às categorias de análise, em função do ano de defesa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cesar Augusto Sadalla Pinto, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza, CE, Brasil.

Mestre e doutorando em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), em Fortaleza, CE, Brasil; professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), em Limoeiro do Norte, CE, Brasil.

Luciana de Oliveira Souza Mendonça, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza, CE, Brasil.

Mestra e doutoranda em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), em Fortaleza, CE, Brasil; professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), em Maracanaú, CE, Brasil

Thaidys da Conceicao Lima do Monte, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza, CE, Brasil.

Mestra e doutoranda em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), em Fortaleza, CE, Brasil; professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), em Canindé, CE, Brasil.

João Batista Carvalho Nunes, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza, CE, Brasil.

Doutor em Filosofia e Ciências da Educação pela Universidade de Santiago de Compostela, em Santiago de Compostela, Espanha; professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Ceará (UECE), em Fortaleza, CE, Brasil.

Referências

Amaral Filho, F. (2017). Ética e pesquisa nas Ciências Humanas e Sociais: um caso a ser pensado. Práxis Educativa, 12(1), 257-266. https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.12i1.0014

Associação Brasileira de Normas Técnicas (2003). NBR 6028:2003, Informação e documentação - Resumo - Apresentação. ABNT.

Brasil (2013). Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial da União, Poder Executivo, 13 jun. 2013. Seção 1, (112), 59-62. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html.

Brasil (2016). Conselho Nacional de Saúde. Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Resolução nº 510, de 7 de abril de 2016. http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510GM.pdf

Carvalho, I. C. de M., & Machado, F. V. A. (2014). A regulação da pesquisa e o campo biomédico: considerações sobre um embate epistêmico desde o campo da educação. Práxis Educativa, 9(1), 209-234. https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.9i1.0010

Dalfovo, M. S., Lana, R. A., & Silveira, A. (2008). Métodos quantitativos e qualitativos: um resgate teórico. Revista Interdisciplinar Aplicada, 2(4), 1-13.

Duarte, L. F. D. (2015). A ética em pesquisa nas ciências humanas e o imperialismo bioético no Brasil. Revista Brasileira de Sociologia, 3(5), 29-53. http://dx.doi.org/10.20336/rbs.90

Duarte, L. F. D. (2017). Cronologia da luta pela regulação específica para as Ciências Humanas e Sociais da avaliação da ética em pesquisa no Brasil. Práxis Educativa, 12(1), 267-286. https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.12i1.0015

Fagiani, C. C., & França, R. L. (2015). Ética e pesquisa em educação e trabalho: algumas considerações. Laplage em Revista, 1(2), 48-58.

Fare, M. de la., Machado, F. V., & Carvalho, I. C. de M. (2014). Breve revisão sobre regulação da ética em pesquisa: subsídios para pensar a pesquisa em educação no Brasil. Práxis Educativa, 9(1), 247-283. https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.9i1.0012

Franco, T. B. (2015). A ética em pesquisa e a estética do conhecimento. Revista Brasileira de Sociologia, 03 (05), 201-2013. http://dx.doi.org/10.20336/rbs.100

Goergen, P. L. A ética em pesquisa. Práxis Educativa, 10(2), 301-315 https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.10i2.0001

Grisotti, M. (2015). A ética em pesquisa com seres humanos: desafios e novas questões. Revista Brasileira de Sociologia, 3(5), 157-175. http://dx.doi.org/10.20336/rbs.98

Guba, E. G., & Lincoln, Y. S. (2014). Competing paradigms in qualitativa research. In Denzin, N. K. & Lincoln, Y. S (Eds.), Handbook of Qualitative Research (pp. 105-117). Sage.

Guerriero, I. C. Z., & Bosi, M. L. M. (2015). Ética em pesquisa na dinâmica do campo científico: desafios na construção de diretrizes para ciências humanas e sociais. Ciência & Saúde Coletiva, 20(9), 2615-2624. https://doi.org/10.1590/1413-81232015209.06022015

Lima, A. B. (2015). Ética em pesquisa: implicações para a educação superior. Crítica Educativa, 1(1), 8-20. https://doi.org/10.22476/revcted.v1i1.21

Mainardes, J. A. (2017). A ética na pesquisa em educação: panorama e desafios pós-Resolução CNS nº 510/2016. Educação, 40(2), 160-173. https://doi.org/10.15448/19812582.2017.2.26878

Manual de normas da universidade pesquisada. Sistema de Bibliotecas. (2014). Guia de normalização de trabalhos acadêmicos.

Mello, A. G. (2016). Deficiência, incapacidade e vulnerabilidade: do capacitismo ou a preeminência capacitista e biomédica do Comitê de Ética em Pesquisa da UFSC. Ciência & Saúde Coletiva, 21(10), 3265-3276. https://doi.org/10.1590/1413-812320152110.07792016

Mendes, E. T. B., Farias, I. M. S., & Nóbrega-Therrien, S. M. (2011). Trabalhando com materiais diversos e exercitando o domínio da leitura: a pesquisa bibliográfica e a pesquisa documental. In Nóbrega-Therrien, S. M., Farias, I. M. S. & Nunes, J. B. C. (Org.), Pesquisa científica para iniciantes: caminhando no labirinto (pp. 25-42). EdUECE.

Minayo, M. C. de S. (2015). Disputas científicas que transbordam para o campo da ética em pesquisa: entrevista com Maria Cecília de Souza Minayo. Ciência & Saúde Coletiva, 20(9), 2693-2696. https://doi.org/10.1590/141381232015209.11862015

Nunes, J. B. C. (2017). Formação para a ética em pesquisa: um olhar para os programas de pós-graduação em Educação. Educação, 40(2), 183-191. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2017.2.26889

Santos, L. A. de C., & Jeolás, L. (2015). Uma comissão nacional de ética em pesquisa, as ciências biomédicas e as ciências humanas: trespassing à brasileira. Revista Brasileira de Sociologia, 3(5), 239-259. http://dx.doi.org/10.20336/rbs.102

Santos, L. (2017). Da competência no fazer à responsabilização no agir: ética e pesquisa em Ciências Humanas. Práxis Educativa, 12(1) 244-256. https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.12i1.0013

Sarti, C. A. (2015). Ética em pesquisa transfigurada em campo de poder: notas sobre o sistema CEP/CONEP. Revista Brasileira de Sociologia, 3(5), 77-96. http://dx.doi.org/10.20336/rbs.94

Severino, A. J. (2014). Dimensão ética da investigação científica. Práxis Educativa, 9(1), 199-208. https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.9i1.0009

Severino, A. J. (2015). Ética e pesquisa : autonomia e heteronomia na prática científica. Cadernos de Pesquisa, 45(158), 776-792. https://doi.org/10.1590/198053143355

Shavelson, R. J., & Towne, L. (2002). Scientific research in education. National Academy Press.

Publicado
2021-09-16
Como Citar
Pinto, C. A. S., Mendonça, L. de O. S., do Monte, T. da C. L., & Nunes, J. B. C. (2021). Ética em pesquisa: Análise das dissertações de um mestrado em Educação cearense. Educação, 44(2), e34020. https://doi.org/10.15448/1987-2582.2021.2.34020
Seção
Outros Temas