Metodologias ativas no curso de direito

Possibilidades de aplicação do Arco de Maguerez

Palavras-chave: direito, ensinagem, metodologias ativas, Arco de Maguerez

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar as possíveis contribuições da metodologia da problematização, com a utilização do Arco de Maguerez, nas aulas de Direito. Para tanto, identificam-se as características do ensino jurídico tradicional, fundado em metodologias expositivas, arraigadas em raízes pedagógicas rígidas. Destaca-se o uso das metodologias ativas, especificamente do Arco de Maguerez, como instrumento hábil à problematização, estudo e busca de alternativas no processo de ensinagem jurídica. Utilizou-se o método dedutivo, com a técnica bibliográfica e documental, por meio do estudo da doutrina em artigos científicos, bem como se analisou a legislação correlata ao ensino jurídico, contando, ainda, com uma pesquisa quantitativa, por descritores, no Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Concluiu-se que as metodologias ativas se adequam aos objetivos da ciência do Direito, podendo contribuir efetivamente à formação, razão pela qual suas possibilidades de adoção merecem ser trazidas à reflexão e discussão. O arco apresenta características adaptáveis à discussão de problemas jurídicos reais, promovendo a participação do discente, num protagonismo adequado e qualificado aos desafios da educação no ensino do Direito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudia Inês Horn, Universidade do Vale do Taquari, Lajeado, RS, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). Docente no Centro de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas da Universidade do Vale do Taquari (Univates).

Helio Miguel Schauren Júnior, Universidade do Vale do Taquari, Lajeado, RS, Brasil.

Mestre em Ambiente e Desenvolvimento pela Universidade do Vale do Taquari (Univates). Graduação em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC); graduação no Curso Superior de Polícia Militar (Bacharel em Ciências Militares — área de Defesa Social) pela Academia Polícia Militar do Rio Grande do Sul. Especialização em Segurança Pública pela Universidade Luterana do Brasil (Ulbra/Renaesp); especialização em Administração Policial Militar pela Academia de Polícia Militar do Rio Grande do Sul e especialização em Docência na Educação Superior, pela Univates.

Referências

Adeodato, J. M. (1995). Qualificação profissional. In Anais da Conferência Nacional da OAB (p. 621-634). São Paulo: JBA Comunicações.

Althaus, M. (2017). Quadro Metodologias Ativas. Recuperado de: http://www.maiza.com.br/adm/docencia/72.pdf

Anastasiou, L. G. C. (1998). Metodologia do Ensino Superior: da prática docente a uma possível teoria pedagógica. Curitiba: IBPEX.

Araújo, S. M.; Oliveira, A. C. (2015). Métodos Ativos de Aprendizagem: uma breve introdução. http://doi.org/10.13140/RG.2.1.5004.6561

Ausubel, D. P.; Novak, J. D.; Hanesian, H. (1980). Psicologia Educacional. Rio de Janeiro: Interamericana.

Barreto, A. L.; Filgueiras, C. A. L. (2007). Origens da Universidade Brasileira. Química Nova, 30(7), 1780-1790. https://doi.org/10.1590/S0100-40422007000700050

Bastos, C. C. (2006). Metodologias ativas. Educação & Medicina. Recuperado de: http://educacaoemedicina.blogspot.com.br/2006/02/metodologias-ativas.html

Berbel, N. A. N. (2011). As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, 32(1), 25-40. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2011v32n1p25

Berbel, N. A. N. (2012). A metodologia da problematização com o arco de Maguerez: Uma reflexão teóricoepistemológica. Londrina: Eduel.

Bordenave, J. D.; Pereira, A. M. P. (2004). Estratégias de ensino-aprendizagem (25ª ed.). Rio de Janeiro: Vozes.

Brasil. (2004). RESOLUÇÃO CNE∕CES nº 9, de 29 de setembro de 2004. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Recuperado de: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces09_04.pdf

Britto, M.; Duarte, R. F. (2016). Considerações sobre o ensino jurídico: entre o discurso e a tradição. Revista de Pesquisa e Educação Jurídica, 2(2), 64-84. http://doi.org/10.26668/IndexLawJournals/2525-9636/2016.v2i2.1292

Darius, R. P.; Lopes, B. J. S. (2017). O uso da metodologia de problematização para o desenvolvimento de projeto integrador no curso de pedagogia. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, 983-1004. Recuperado de: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/9809

Gomes, E. (2002). País tem história universitária tardia. Jornal da Unicamp, 27(191). Recuperado de: http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/setembro2002/unihoje_ju191pag7a.html

Libâneo, J. C. (1994). Didática (34ª ed.). São Paulo: Cortez.

Mezzaroba, O.; Monteiro, C. S. (2009). Manual de metodologia da pesquisa no Direito. São Paulo: Saraiva.

Ostermann, F.; Cavalcanti, C. J. H. (2011). Teorias de Aprendizagem. Porto Alegre: Evangraf; UFRGS.

Prado, M. L.; Velho, M. B.; Espíndola, D. S.; Sobrinho, S. H.; Backes, M. S. (2012). Arco de Charles Maguerez: refletindo estratégias de metodologia ativa na formação de profissionais de saúde. Escola Anna Nery, 16(1), 172-177. https://doi.org/10.1590/S1414-81452012000100023

Rodrigues, H. W. (2005). Pensando o ensino do Direito no século XXI: diretrizes curriculares, projeto pedagógico e outras questões pertinentes. Florianópolis: Fundação Boiteux.

Sampieri, R. H.; Collado, C. F.; Lucio, P. B. (2006). Metodologia de pesquisa (3ª ed.). São Paulo: McGrawHill.

Silva, E. L.T.; Menezes, E. M. (2005). Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação (4ª ed.). Florianópolis: UFSC.

Silva, E. M. T. (2000). Ensino de direito no Brasil: perspectivas históricas gerais. Psicologia Escolar e Educacional, 4(1), 307-312. http://doi.org/10.1590/S1413-85572000000100008

Soares, A. B.; Becher, P. R. S.; Barin, C. S. (2016). Metodologia da problematização através do arco de Maguerez: questões para educação profissional e tecnológica. Seminário Nacional de Pesquisa em Educação, Universidade Santa Cruz do Sul. Recuperado de: https://www.researchgate.net/publication/310109587_METODOLOGIA_DE_PROBLEMATIZACAO_ATRAVES_DO_ARCO_DE_MAGUEREZ_QUESTOES_PARA_EDUCACAO_PROFISSIONAL_E_TECNOLOGICA

Publicado
2021-09-16
Como Citar
Horn, C. I., & Schauren Júnior, H. M. . (2021). Metodologias ativas no curso de direito: Possibilidades de aplicação do Arco de Maguerez. Educação, 44(2), e32188. https://doi.org/10.15448/1987-2582.2021.2.32188
Seção
Outros Temas