Os discursos normativos de gênero configurando masculinidades no espaço escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15448/1984-7289.2022.1.41072

Palavras-chave:

Masculinidades, Gênero, Espaço escolar, Normalização

Resumo

O artigo faz uma análise sobre como a visão de uma masculinidade “normal/natural” impõe processos de normalização a partir de discursos de gênero produzidos e reproduzidos no espaço escolar às múltiplas referências de masculinidades experienciadas nesse espaço. Caracteriza-se por abordagem qualitativa, com seu aporte teórico e conceitual nos estudos pós-estruturalistas e na teoria queer, tendo como instrumentos metodológicos o estudo bibliográfico, observação participante, conversa informal e entrevista semiestruturada. A pesquisa foi realizada em uma escola estadual de ensino médio em tempo integral da cidade de Bacabeira-MA e mostra que o espaço escolar é atravessado por diversos discursos de gênero que estão atuando no processo de normalização das múltiplas referências de masculinidades. Conclui-se que a visão a respeito da existência de uma masculinidade “normal/natural” ainda impõe processos de normalização no espaço escolar às referências de masculinidades que não seguem os padrões normativos de gênero. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arthur Furtado Bogéa, Universidade Federal do Maranhão (UFMA), São Luis, MA, Brasil.

Mestre em Educação pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em São Luís, MA, Brasil; doutorando pela mesma instituição.

Iran de Maria Leitão Nunes, Universidade Federal do Maranhão (UFMA), São Luis, MA, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal, RN, Brasil. Mestre em Administração e Supervisão Escolar pela American World University of Iowa, EUA. Professora da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em São Luís, MA, Brasil. 

Referências

Butler, Judith. 2014. Regulações de gênero. Cadernos Pagu 42: 249-74. https://doi.org/10.1590/0104-8333201400420249

Butler, Judith. 2003. Problemas de gênero: feminismo e subversão de identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Butler, Judith. 2000. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In O corpo educado: pedagogias da sexualidade, editado por Guacira Louro, 110-25. Belo Horizonte: Autêntica.

Butler, Judith. 1986. Sex and gender in Simone de Beauvoir´s Second Sex. In Simone de Beauvoir: witness to a century, organizado por Helen V. Wengel, 35-49. Yale French Studies 72. Yale University: New Haven.

Connell, Robert W., and James W. Messerschmidt. 2013. Masculinidade hegemônica: repensando o conceito. Revista Estudos Feministas 21 (1): 241-82. https://doi.org/10.1590/S0104-026X2013000100014.

Connell, Raewyn. 2005. Masculinities. United States: University of California Press.

Connell, Raewyn. 1997. La organización social de la masculinidad. In Masculinidad/es: poder y crisis, organizado por Teresa Valdes e José Olivarría, 31-48. Santiago de Chile: Ediciones de las mujeres 24. Isis International – Flacso.

Connell, Raewyn. 1996. Teaching the boys: new research on masculinity, and gender strategies for schools. Teachers College Record 98: 206-35. https://doi.org/10.1177/016146819609800203.

Connell, Raewyn. 1995. Políticas de masculinidade. Educação e Realidade 20 (2): 185-206.

Foucault, Michel. 2014. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes.

Foucault, Michel. 2012. A arqueologia do saber. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Grossi, Miriam Pillar. 2004. Masculinidades: uma revisão teórica. Revista Antropologia em Primeira Mão 75: 4-37.

Kimmel, Michael. 1998. A produção simultânea de masculinidades hegemônicas e subalternas. Horizontes Antropológicos 4 (9): 103-17. https://doi.org/10.1590/S0104-71831998000200007.

Louro, Guacira Lopes. 2008. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. Pro-Posições 19 (2): 17-23. https://doi.org/10.1590/S0103-73072008000200003.

Louro, Guacira Lopes. 2007. O corpo educado. Pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Editora Autêntica.

Louro, Guacira Lopes. 2004. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes.

Louro, Guacira Lopes. 2001. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 4. ed. Petrópolis: Vozes.

Louro, Guacira Lopes. 2000. Corpo, escola e identidade. Revista Educação & Realidade 25 (2): 59-75.

Gamson, Joshua. 2006. As sexualidades, a teoria queer e a pesquisa qualitativa. In O planejamento da pesquisa qualitativa. Teorias e abordagem, organizado por Norman Denzin e Yvonna S. Lincoln, 345-62. 2. ed. Porto Alegre: Artemed.

Martins, Walkíria. 2017. Gênero e sexualidade na formação docente: um estudo a partir do currículo. São Luís: Edufma.

Meyer, Dagmar Estermann e Marlucy Alves Paraíso. 2012.Metodologias de pesquisas pós-críticas ou sobre como fazemos nossas investigações. In Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação, organizado por Dagmar Estermann Meyer e Marlucy Alves Paraíso, 15-22. Belo Horizonte: Mazza.

Nolasco, Sócrates. 1997. Um “homem de verdade”. In Homens. Comportamento, sexualidade, mudança, identidade, crise, organizado por Dario Caldas, 13-29. São Paulo: Senac.

Reis, Cristina d’Ávila. 2011. Currículo escolar e gênero: a construção generificada de corpos e posições de sujeitos meninos-alunos. Dissertação em Educação, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Sarti, Cynthia Andersen. 2004. O feminismo brasileiro desde os anos 1970: revisitando uma trajetória. Revista Estudos Feministas 12 (2): 35-50. https://doi.org/10.1590/S0104-026X2004000200003.

Seffner, Fernando. 2011. Um bocado de sexo, pouco giz, quase nada de apagador e muitas provas: cenas escolares envolvendo questões de gênero e sexualidade. Revista de Estudos Feministas 19 (2): 561-72. https://doi.org/10.1590/S0104-026X2011000200017.

Seffner, Fernando. 2003. Derivas da masculinidade: representação, identidade e diferença no âmbito da masculinidade bissexual. Tese em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Scott, Joan Wallach. 1990.Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade 20 (2): 71-99.

Downloads

Publicado

2022-11-03

Como Citar

Bogéa, A. F., & Nunes, I. de M. L. (2022). Os discursos normativos de gênero configurando masculinidades no espaço escolar. Civitas: Revista De Ciências Sociais, 22, e41072. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2022.1.41072