From “Back in the race” to “Push to pass”: estratégias de lucro da PSA Peugeot-Citroën

Palavras-chave: Configurações institucionais. Estratégias de lucro. Grupos automobilísticos. PSA Peugeot-Citroën. Sociologia Econômica.

Resumo

A presente discussão visa contribuir com as pesquisas sobre os grupos automobilísticos a partir da interpretação das estratégias de lucro dessas corporações, não somente associadas à produção de veículos, mas também à prestação de serviços, inclusive financeiros. Como tem sido pouco estudado do ponto de vista sociológico em dimensões que transcendem a esfera da produção, o setor automotivo vem se revelando um tema com enorme potencial de pesquisa em função do movimento disruptivo que experimenta a partir de mudanças como a introdução do motor elétrico, dos veículos autônomos e dos serviços de compartilhamento. O seu dinamismo tecnológico e a capacidade que vem demonstrando de produzir novos significados para o automóvel como forma de acompanhar as mudanças no perfil dos consumidores são aspectos que cada vez mais o tornam essencial a uma sociologia econômica inclinada a investigar processos associados à firma, especialmente no que tange às estratégias de conquista de mercado. O artigo apresenta a trajetória da PSA Peugeot-Citroën que, ao conciliar mercados de produtos industriais e de produtos financeiros, ilustra o cruzamento entre estratégias de lucro e configurações institucionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raphael Jonathas da Costa Lima, Universidade Federal Fluminense (UFF), Volta Redonda, RJ

Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal Fluminense (UFF), Volta Redonda, RJ, Brasil.

Referências

Boyer, Robert. 2009. Teoria da regulação: os fundamentos. São Paulo: Estação Liberdade.

Boyer, Robert, y Michel Freyssenet. 2001. Los modelos productivos. Buenos Aires: Grupo Editorial Lumen.

Cardoso, Adalberto Moreira. 2001. A nova face da indústria automobilística brasileira: a tese da convergência revisitada. Novos Estudos Cebrap 61: 109-129.

Chandler Jr., Alfred D. 1992. The emergence of managerial capitalism. In The sociology of economic life, organizado por Mark Granovetter e Richard Swedberg, 131-158. Oxford: Westview Press.

De la Garza Toledo, Enrique. 2014. Empresas transnacionales, discusiones teóricas para su estudio. Trabajo 8: 5-26.

Dicken, Peter. 2010. Mudança global. Mapeando as novas fronteiras da economia mundial. Porto Alegre: Artmed.

Gereffi, Gary. 1994. The organization of buyer-driven global commodity chains: how U.S retailers shape overseas production networks. In Commodity chains and global capitalism, edited Gary Gereffi e Miguel Korzeniewicz, 95-122. Westport: Praeger.

Gerschenkron, Alexander. 2015. O atraso econômico em perspectiva histórica e outros ensaios. Rio de Janeiro: Contraponto.

Granovetter, Mark. 2007. Ação econômica e estrutura social: o problema da imersão. RAE Eletrônica 6, nº 1: 1-41. https://doi.org/10.1590/S1676-56482007000100006.

Fligstein, Neil. 2001. The architecture of markets. An economic sociology of twenty-first century capitalist societies. Princeton: Princeton University Press.

Fligstein, Neil; Luke Dauter. 2012. A Sociologia dos mercados. Caderno CRH 25, nº 66: 481-504. https://doi.org/10.1590/S0103-49792012000300007.

Froud, Julie; Sukhdev Johal and Karel Williams. 2002. New Agendas for Auto Research: financialisation, motoring and presente day capitalism. Competition and Change 7, nº 1: 1-11. https://doi.org/10.1080/10245290212671.

Henderson, Jeffrey, Peter Dicken, Martin Hess, Neil Coe, and Henry Wai-Chung Yeung. 2011. Redes de produção globais e a análise do desenvolvimento econômico. Revista Pós-Ciências Sociais 8, nº 15: 143-170.

Lipietz, Alain. 1988. Reflexões sobre uma fábula. Por um estatuto marxista dos conceitos de regulação e de acumulação. Dados: revista de Ciências Sociais 31: 87-109.

Lung, Yannick. 2004. The changing geography of the European automobile system. International Journal of Automotive Technology and Management 4, nº 2-3: 137-165. https://doi.org/10.1504/IJATM.2004.005324.

Pavlínek, Petr. 2015. The impact of the 2008-2009 crisis on the automotive industry: global trends and firm-level effects in Central Europe. European Urban and Regional Studies 22, (1): 20-40. https://doi.org/10.1177/0969776412460534.

Pegler, Jonathan Lee. 2015. Cadeias de valor sustentáveis e trabalho: dos conceitos à prática. Revista Pós-Ciências Sociais 12, nº 24: 167-204. https://doi.org/10.18764/2236-9473.v12n24p167-204.

Pialoux, Michel e Stéphane Beaud. 2009. O retorno à condição operária. São Paulo, Boitempo.

Rombaldi, Maurício, e Kimi Tomizaki. 2017. Ultrapassando Fronteiras: trajetórias de ascensão de militantes brasileiros no sindicalismo transnacional. Sociologias 19, 45: 24-50. https://doi.org/10.1590/15174522-019004502.

Sturgeon, Timothy J., Olga Memedovic, Johannes Van Biesebroeck, and Gary Gereffi. 2009. Globalisation of the automotive industry: main features and trends. Int. J. Technological Learning, Innovation and Development 2, nº 1-2: 7-24. https://doi.org/10.1504/ijtlid.2009.021954

Womack, James P., Daniel Jones T. e Daniel Ross. 2004. A máquina que mudou o mundo. Rio de Janeiro: Campus - Elsevier.

Publicado
2020-05-26
Como Citar
Lima, R. J. da C. (2020). From “Back in the race” to “Push to pass”: estratégias de lucro da PSA Peugeot-Citroën. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 20(1), 119-132. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2020.1.30879
Seção
Artigos