É Possível uma Pedagogia do Amor na Educação Inclusiva?

  • Claudia Raquel Büttenbender Colégio Marista Pio XII (CMPIOXII); Colégio Marista São Marcelino Champagnat (CMSMC); Novo Hamburgo, RS, Brasil
Palavras-chave: Palavras-chave: Amor. Pedagogia Marista. Educação Inclusiva.

Resumo

 O principal objetivo do presente artigo consiste em uma análise bibliográfica o quão é possível obter atualmente uma Pedagogia do Amor com os estudantes de uma educação inclusiva, dentro de uma sala de aula. Partiu-se dos pressupostos teóricos que contemplam Bauman (2003), Bonhemberger, Mentges (2016), Desaulniers (2011), Estaún (2014), Freire (1996), Furet (1989), Juliatto (2013), Maraschin (2006), Teixeira (2004), Diretrizes da Educação Inclusiva da Rede Marista,  Projeto Educativo do Brasil Marista e da Subcomissão Interamericana de Solidariedade, entre outros. Ultimamente, se percebe muitas diversidades, famílias com outras prioridades e uma demanda de inclusões e exclusões de estudantes dentro de uma sala, e um educador preocupado em atender todos os estudantes em situações diversificadas. A metodologia utilizada foi de abordagem qualitativa, com objetivo exploratório a partir da técnica de pesquisa bibliográfica. Os capítulos mencionam a compreensão conceitual acerca de Pedagogia e de Amor, a formação integral e a inclusão deste estudante em meio a esta diversidade toda. O resultado deste artigo é mostrar o quanto a Pedagogia do Amor influencia na vida escolar dos estudantes, contribuindo para sua inclusão na sociedade. Esta pedagogia é um jeito singular de educar, que consiste no cuidado e no amor para este ensinar aos alunos de inclusão. A escola que desenvolve sua aprendizagem de maneira mais abrangente com uma pedagogia embasada no amor tem a possibilidade de preparar seu estudante para a vida e não só para os conhecimentos acadêmicos. Por esta compreensão, se observa que é necessário rever processos, aprimorar saberes, sair da acomodação para construir novos conhecimentos e novas aprendizagens. Por isto, é imprescindível ao educador a ousadia e do estudante a coragem e a dedicação para que, através da educação, possam transformar em qualquer espaço que estiverem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia Raquel Büttenbender, Colégio Marista Pio XII (CMPIOXII); Colégio Marista São Marcelino Champagnat (CMSMC); Novo Hamburgo, RS, Brasil

Pedagoga formada pela Federação de Estabelecimentos de Ensino Superior FEEVALE), em Novo Hamburgo, RS, Brasil. Especialista em Orientação Educacional, Supervisão e Gestão Escolar e em Educação Inclusiva
pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil; especialista em Matérias Pedagógicas pela Universidade Feevale (FEEVALE), em Novo Hamburgo RS, Brasil. e (PUCRS). Orientadora Educacional do Colégio Marista São Marcelino Champagnat e coordenadora do Serviço de Pastoral do Colégio Marista Pio XII, ambos da cidade de Novo Hamburgo, RS, Brasil.

Referências

AGOSTINHO, Santo. A cidade de Deus: contra os pagãos. Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco, 2003.

BAUMAN, Zygmunt. Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

BONHEMBERGUER, M.; MENTGES, M. (Orgs.). Educação Marista: perspectivas e desafios. São Paulo: FTD, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e base da educação nacional. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pef>. Acesso em: 18 de nov. 2016.

COLÉGIOS E UNIDADES SOCIAIS DA REDE MARISTA. GERÊNCIA EDUCACIONAL. Diretrizes da Educação Inclusiva na Educação Básica da Rede Marista/Colégios e Unidades Sociais da Rede Marista. Gerência Educacional;

CUNHA, Ana Rosimeri Araujo da, SILVA; Simone Martins da (Orgs.). Porto Alegre: Centro Marista de Comunicação, 2018.

COSTA, Marcos Roberto Nunes. Introdução ao pensamento ético político de Santo Agostinho. São Paulo: Loyola, 2009.

DESAULNIERS, Julieta Beatriz Ramos. Projeto político pedagógico: o jeito de formar nos Centros Sociais Maristas. Porto Alegre: CMC, 2011.

ESTAÚN, Antonio Martínez. Pedagogia da presença marista. Curitiba: Grupo Marista, 2014.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FURET, João Batista. Vida de São Marcelino José Bento Champagnat. São Paulo: Loyola; SIMAR, 1989.

JULIATTO, Clemente Ivo. De professor para professor: falando de educação. Curitiba: Ed. Champagnat – PUCPR, 2013.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

MARASCHIN, Mariglei Severo. Formação de professores e desenvolvimento profissional na educação de jovens e adultos. Santa Maria: USFM, 2006.

MATURANA R., Humberto. Emoções e linguagem na educação e na política. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

MONTAGNA, Leomar Antônio. A ética como elemento de harmonia social em Santo Agostinho. 2006. 134f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Escola de Humanidades, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Paraná, 2006.

REIS, Cecília. Entrevista: Humberto Maturana e a importância do amor. Abril, casa.com.br, São Paulo, 2016. Disponível em: <https://casa.abril.com.br/bem-estar/entrevista-humberto-maturana-e-a-importancia-do-amor/>. Acesso em: 15 maio 2020.

REY, Fernando L. G. O sujeito que aprende: desafios do desenvolvimento do tema da aprendizagem na psicologia e na prática pedagógica. In M. C. V. R. Tacca, Aprendizagem e trabalho pedagógico. Campinas, SP: Ed. Átomo e Alínea, 2006.

SUBCOMISSÃO INTERAMERICANA DE SOLIDARIEDADE. Caminhos da solidariedade Marista nas Américas: crianças e jovens com direitos. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2013.

TEIXEIRA, Evilázio Francisco Borges. Pensando a educação Marista com um olhar interdisciplinar. Revista Educação, Porto Alegre, v. 3. n. 54, p. 617-639, dez., 2004.

UMBRASIL - UNIÃO MARISTA DO BRASIL. Projeto Educativo do Brasil Marista: nosso jeito de conhecer a educação básica. Brasília: UMBRASIL, 2010.

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Büttenbender, C. R. (2020). É Possível uma Pedagogia do Amor na Educação Inclusiva?. Caderno Marista De Educação, 11(2), e39043. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/index.php/caderno-marista-de-educacao/article/view/39043
Seção
Artigos