Grades não prendem pensamentos: limites da institucionalização na reconstrução do projeto de vida do adolescente

Jana Gonçalves Zappe, Ana Cristina Garcia Dias

Resumo


O objetivo geral deste estudo foi identificar se a medida sócio-educativa de internação tem sido eficaz no sentido de oportunizar a reconstrução do projeto de vida do adolescente. Realizamos uma pesquisa quantitativa de fonte documental, analisando 736 fichas de identificação dos adolescentes, do sexo masculino, internados no município de Santa Maria/RS, e a seguir consultamos o Sistema de Consultas Integradas da Superintendência de Serviços Penitenciários. Do total dos jovens pesquisados, apenas 36% possuía apenas um ingresso na instituição e 52,9% haviam sido presos até março de 2008. Este percentual revela a ineficácia da internação nestes casos, a qual pode estar relacionada com a gravidade dos casos, com os problemas e dificuldades historicamente identificados nestas instituições de assistência e com a própria natureza do trabalho que é realizado. Conclui-se que a qualidade das relações interpessoais constitui-se como aspecto crucial a ser considerado na construção de programas de atendimento mais eficazes.

Palavras-chave


delinquência juvenil, institucionalização de adolescentes; psicologia do adolescente.

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.