Escala de Relacionamento da Díade: evidências de validade para cuidadores de idosos brasileiros

Francine Náthalie Ferraresi Rodrigues Queluz, Elizabeth Joan Barham, Lígia de Santis, Vanessa Santiago Ximenes, Acácia Aparecida Angeli dos Santos

Resumo


A escala Dyadic Relationship Scale (DRS) foi traduzida para o Brasil com o nome de Escala de Relacionamento da Díade (ERD), visando avaliar a qualidade do relacionamento entre cuidadores e idosos dependentes. Este estudo teve como objetivo dar continuidade ao processo de obtenção de evidências de validade da ERD para o contexto brasileiro. Participaram 205 cuidadores de idosos familiares que responderam à ERD, ao Inventário de Depressão de Beck, à Escala de Burden de Zarit e à Escala de Qualidade de Vida. Por meio de uma análise fatorial confirmatória, observa-se que o modelo de dois fatores da versão estadunidense demonstrou bons índice de ajuste aos dados. A subescala “Interação Positiva” se relacionou positivamente com qualidade de vida e negativamente com depressão e sobrecarga. A subescala “Conflitos” se relacionou negativamente com qualidade de vida e positivamente com depressão e sobrecarga. Estas evidências da ERD continuam a apontar para sua validade.


Palavras-chave


Idosos; Cuidadores; Relacionamento Interpessoal; Qualidade de Vida; Avaliação Psicológica.

Texto completo:

PDF

Referências


ABEP (2013). Critério de Classificação Econômica Brasil. Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa.

Alvira et al. (2015). The association between positive–negative reactions of informal caregivers of people with dementia and health outcomes in eight European countries: A cross-sectional study. Journal of Advanced Nursing, 71(6), 1417-1434.

https://doi.org/10.1111/jan.12528

American Educational Research Association, American Psychological Association, & National Council on Measurement in Education (2014). Standards for educational and psychological testing. Washington, DC: American Educational Research Association.

American Psychiatric Association. (2014). DSM-5: Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. Artmed Editora.

Barham, E. J., Pinto, F. N. F. R., Andrade, A. R., Lorenzini, M. F. J., & Ferreira, C. R. (2015). Fundamentos e estratégias de intervenção para a promoção de saúde mental em cuidadores de idosos. In: S. G. Murta, C. Leandro-França, K. B. Santos, & L. Polejack, (Orgs.). Prevenção e promoção em saúde mental: Fundamentos, planejamento e estratégias

de intervenção (pp. 844-862). Novo Hamburgo, RS: Sinopsys.

Beck, A. T., Rush, A. J., Shaw, B.F., & Emery, G. (1979). Cognitive therapy of depression: A treatment manual. New York: Guilford Press.

Caldeira, R. B., Neri, A. L., Batistoni, S. S. T., & Cachioni, M. (2017). Variáveis associadas à satisfação com a vida em cuidadores idosos de parentes também idosos cronicamente doentes e dependentes. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 20(4), 502-515.

https://doi.org/10.1590/1981-22562017020.160177

Dawood, S. (2016). Caregiver Burden, Quality of Life and vulnerability towards psychopathology in Caregivers of Patients with Dementia/Alzheimer’s Disease. Journal of the College Physicians Surgeons Pakistan, 26(11), 892-895.

Del-Pino-Casado, R., Millán-Cobo, M. D., Palomino-Moral, P. A., & Frías-Osuna, A. (2014). Cultural correlates of burden in primary caregivers of older relatives: A Cross-sectional study. Journal of Nursing Scholarship, 46(3), 176-186.

https://doi.org/10.1111/jnu.12070

Ferreira, C. R., Queluz, F. N. F. R., Ximenes, V. S., Isaac, L., & Barham, E. (2017). P3Es e a diminuição da sobrecarga em cuidadores: Confirmando efeitos em curto e longo prazo. Revista Kairós – Gerontologia, 20(3), 131-150.

https://doi.org/10.23925/2176-901X.2017v20i3p131-150

Gorenstein, C. & Andrade, L. H. S. G. (1998). Inventario de depressão de Beck: Propriedades psicométricas da versão em português. Revista de Psiquiatria Clínica, 25(5), 245-250.

Hair, J. F., Anderson, R. E., Tatham, R. L., & Black, W. C. (2005). Análise multivariada de dados. In: A. S. Sant’Anna, & A. C. Neto (Trans). Porto Alegre, RS: Bookman.

Hu, L. & Bentler, P. M. (1999). Cutoff criteria for fit indexes in covariance structure analysis: Conventional criteria versus new alternatives. Structural Equation Modeling: A Multidisciplinary Journal, 6(1), 1-55.

https://doi.org/10.1080/10705519909540118

Küchemann, B. A. (2012). Envelhecimento populacional, cuidado e cidadania: Velhos dilemas e novos desafios. Sociedade e Estado, 27(1), 165-180.

https://doi.org/10.1590/S0102-69922012000100010

Levin, J. & Fox, J. A. (2004). Estatística para ciências humanas. São Paulo, SP: Pearson.

Lloyd, J., Patterson, T., & Muers, J. (2014). The positive aspects of caregiving in dementia: A critical review of the qualitative literature. Dementia, 0(0), 1-28.

https://doi.org/10.1177/1471301214564792

Logsdon, R. G., Gibbons, L. E., McCurry, S. M., & Teri, L. (1999). Quality in life in Alzheimer’s disease: Patient and Caregiver Reports. Journal of Mental Health Aging, 1(5), 21-32.

Marôco, J. (2014). Análise estatística com o SPSS Statistics. Pêro Pinheiro, Portugal: Report Number.

Neri, A. L. (2014). Palavras-chave em gerontologia. Campinas, SP: Editora Alínea.

Novelli, M. M. P. C. (2006). Validação da escala de qualidade de vida (QdV-DA) para pacientes com doença de Alzheimer e seus respectivos cuidadores familiares. Tese de doutorado, Programa de Pós-Graduação em Medicina, Universidade de São Paulo, São Paulo.

https://doi.org/10.11606/T.5.2006.tde-17102014-120122

Pasquali, L. (2015). Delineamento de pesquisa em ciência (Vol. 2). São Paulo, SP: Vetor.

Pinto, F. N. F. R. & Barham, E. J. (2014). Habilidades sociais e estratégias de enfrentamento de estresse: Relação com indicadores de bem-estar psicológico em cuidadores de idosos de alta dependência. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 15(3), 525-539.

https://doi.org/10.1590/1809- 9823.2014.13043

Pinto, F. N. F. R. & Oliveira, D. C. (2015). Capacidade funcional e envolvimento social em idosos: Há relação? Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, 12(1), 56-68.

https://doi.org/10.5335/rbceh.v12i1.4687

Pinto, F. N. F. R. (2016). Violência contra o idoso: Uma discussão sobre o papel do cuidador. Revista Kairós Gerontologia, 19(2), 107-119.

Pinto, F. N. F. R., Barham, E. J., & Del Prette, Z. A. P. (2016). Interpersonal conflicts among family caregivers of the elderly: The importance of social skills. Paidéia (Ribeirão Preto), 26(64), 161-170.

https://doi.org/10.1590/1982-43272664201605

Poulshock, S. W. & Deimling, G. T. (1984). Families Caring for Elders in Residence: Issues in the Measurement of Burden. Journal of Gerontology, 39(2), 230-239.

https://doi.org/10.1093/geronj/39.2.230

Scazufca, M. (2002). Versão brasileira da escala Burden Interview para avaliação de sobrecarga em cuidadores de indivíduos com doenças mentais. Revista Brasileira de Psiquiatria, 24(1), 12-17.

https://doi.org/10.1590/S1516-44462002000100006

Sebern, M. D. & Whitlatch, C. J. (2007). Dyadic relationship scale: A measure of the impact of the provision and receipt of family care. The Gerontologist, 47(6), 741-751.

https://doi.org/10.1093/geront/47.6.741

Shafer, A. B. (2006). Meta-analysis of the Factor Structures of Four Depression Questionnaires: Beck, CES-D, Hamilton, and Zung. Journal of clinical psychology, 62(1), 123-146.

https://doi.org/10.1002/jclp.20213

Taub, A., Andreoli, S. B., & Bertolucci, P. H. (2004). Dementia caregiver burden: Reliability of the brazilian version of the Zarit caregiver burden interview. Caderno de Saúde Pública, 20(2), 372-376.

https://doi.org/10.1590/S0102-311X2004000200004

Thomazatti, A. P. G. & Barham, E. J. (2010). Integrando medidas qualitativas e quantitativas para avaliar a qualidade do relacionamento mãe-idosa e filha-cuidadora. Trabalho apresentado no XVII Congresso de Iniciação Científica, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP.

Tomomitsu, M. R. S. V., Perracini, M. R., & Neri, A. L. (2014). Fatores associados à satisfação com a vida em idosos cuidadores e não cuidadores. Ciência & Saúde Coletiva, 19(8), 3429-3440.

https://doi.org/10.1590/1413-81232014198.13952013

Zarit, S. H., Orr, N. K., & Zarit J. M. (1985). The hidden victims of Alzheimer’s disease: Families under stress. New York: New York University Press.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2018.3.28227

e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.