Preditores de Desempenho Escolar no 5º Ano do Ensino Fundamental

Edna Maria Marturano, Elaine Cristina Gardinal Pizato

Resumo


Diferenças individuais de desempenho podem ser atribuídas a características do aluno, da família e da escola. O objetivo deste estudo prospectivo foi testar um modelo de predição de desempenho no 5º ano do ensino fundamental – EF, tendo como preditores habilidades acadêmicas e sociais, problemas de comportamento e percepção de estressores escolares no 3º ano, bem como o tempo de exposição à educação infantil – EI e a condição socioeconômica do alunado da escola de EF. Participaram 248 alunos de quatro escolas públicas. Os instrumentos utilizados foram: Critério de Classificação Econômica Brasil, Teste de Desempenho Escolar, Social Skills Rating System – SSRS versão do professor, Inventário de Estressores Escolares e avaliação coletiva de desempenho. Habilidades acadêmicas, habilidades sociais e percepção de stress no 3º ano predisseram desempenho no 5º ano. A escola de EF afetou diferentemente a avaliação objetiva de desempenho e o julgamento de competência acadêmica feito pelo professor.


Palavras-chave


Desempenho acadêmico; Problemas de comportamento; Educação infantil; Gênero; Ensino fundamental.

Texto completo:

PDF

Referências


Ackerman, B. P., Izard, C. E., Kobak, R., Brown, E. D. & Smith, C. (2007). Relation Between Reading Problems and Internalizing Behavior in School for Preadolescent Children From Economically Disadvantaged Families. Child Development, 78, 581-596. http://dx.doi.org/10.1111/j.1467-8624.2007.01015.x

Aikens, N. L., & Barbarin, O. (2008). Socioeconomic differences in reading trajectories: The contribution of family, neighborhood, and school contexts. Journal of Educational Psychology, 100, 235-251. http://dx.doi.org/10.1037/0022-0663.100.2.235

Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. (2003). Critério de classificação econômica Brasil. Dados com base no levantamento sócio-econômico, IBOPE, 2000. Acessado em 14 fev. 2007, em http://www.abep.org.br

Bandeira, M., Del Prette, Z. A. P., Del Prette, A., Magalhães, T. (2009). Validação das escalas de habilidades sociais, comportamentos problemáticos e competência acadêmica (SSRS-BR) para o ensino fundamental. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 25, 271-282. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-37722009000200016

Burt, K. B., & Roisman, G. I. (2010). Competence and psychopathology: cascade effects in the NICHD Study of Early Child Care and Youth Development. Development and Psychopathology, 22, 557-567. http://dx.doi.org/10.1017/S0954579410000271

Byrne, D. G., Thomas, K. A., Burchell, J. L., Olive, L. S., & Mirabito, N. S. (2011). Stressor Experience in Primary School-Aged Children: Development of a Scale to Assess Profiles of Exposure and Effects on Psychological Well-Being. International Journal of Stress Management, 18, 88-111. http://dx.doi.org/10.1037/a0021577

Caprara, V., Barbaranelli, C., Pastorelli, C., Bandura, A., & Zimbardo, P. G. (2000). Prosocial foundations of children’s academic achievement. Psychological Science, 11, 302-306. http://dx.doi.org/10.1111/1467-9280.00260

Chen, X., Huang, X., Chang, L., Wang, L., & Dan, L. (2010). Aggression, social competence, and academic achievement in Chinese children: a 5-year longitudinal study. Development and Psychopathology, 22, 583-592. http://dx.doi.org/10.1017/S0954579410000295

Escolano, A. C. M. (2004). Fatores de risco e proteção na trajetória de desenvolvimento de escolares de primeira à quarta série do ensino fundamental. Tese de doutorado não publicada. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP.

Felício, F., Terra, R., & Zoghbi, A. C. (2012). The Effects of Early Childhood Education on Literacy Scores Using Data from a New Brazilian Assessment Tool. Estudos Econômicos, 42, 97-128. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-41612012000100004

Gardinal-Pizato, E. C. (2010). Um estudo longitudinal de trajetórias de desempenho escolar. Tese de doutorado não publicada. Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo.

Grover, R. L., Ginsburg, G. S., & Ialongo, N. (2007). Psychosocial outcomes of anxious first graders: A seven-year follow-up. Depression and Anxiety, 24, 410-420. http://dx.doi.org/10.1002/da.20241

Konold, T. R., Jamison, K. R., Stanton-Chapman, T. L., & Rimm-Kaufman, S. E. (2010). Relationships Among Informant Based

Measures of Social Skills and Student Achievement: A Longitudinal Examination of Differential Effects by Sex.

Applied Developmental Science, 14, 18-34. http://dx.doi.org/10.1080/ 10888690903510307

Leung, G. S. M., Yeung, K. C.&. Wong, D. F. K. (2010). Academic Stressors and Anxiety in Children: The Role of Paternal Support. Journal of Child and Family Studies, 19, 90-100. http://dx.doi.org/10.1007/s10826-009-9288-4

Marturano, E. M., Trivelatto-Ferreira, M. C., Gardinal, E. C. (2009). Estresse cotidiano na transição da 1ª série: percepção dos alunos e associação com desempenho e ajustamento. Psicologia Reflexão e Crítica, 22, 93-101. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722009000100013

Pascual, J. (2011). El efecto escuela. más allá del aula. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, 9, 28-45. Acessado em: 24 mar. 2011, em http://www.rinace.net/reice/numeros/arts/vol9num1/art2.pdf

Romano, E., Babchishin, L., Pagani, L. S., & Kohen, D. (2010). School Readiness and Later Achievement: Replication and Extension Using a Nationwide Canadian Survey. Developmental Psychology, 46, 995-1007. http://dx.doi.org/10.1037/a0018880

Rutter, M., & Maugham, B. (2002). School Effectiveness Findings 1979-2002. Journal of School Psychology, 40, 451-475. http://dx.doi.org/10.1016/S0022-4405(02)00124-3

Salles, J. F., Parente, M. A. M. P., & Freitas, L. B. L. (2010). Leitura/escrita de crianças: comparações entre grupos de diferentes escolas públicas. Paidéia (Ribeirão Preto), 20(47), 335-344. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-863X2010000300006

Stein, L. M. (1994). TDE – Teste de Desempenho Escolar: manual para aplicação e interpretação. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Tagartt, B., Sylva, K., Melhuish, E., Sammons, P., & Siraj-Blatchford, I. (2011). O poder da pré-escola: evidências de um estudo longitudinal na Inglaterra. Cadernos de Pesquisa, 41(142), 68-87. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742011000100005




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2015.1.14850

ATENÇÃO

Sistema em manutenção

Migração do sistema OJS para a versão 3.0. Durante este período os usuários:

  • Poderão acessar todo o conteúdo já publicado
  • Não poderão efetivar encaminhamentos do fluxo editorial (submissão, avaliação, publicação)

Previsão: 06/07/2020


e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.