O arquétipo publicitário

Samuel Mateus

Resumo


Procurando ampliar a ideia de um princípio de publicidade para além da sua estrita modelização crítico-política, habitualmente designada por Esfera Pública, esta reflexão considera a qualidade pública como uma constante universal da vida social em todas as culturas humanas. É precisamente pelo fato da publicidade se assumir como uma dimensão comunicacional fundamental da organização das sociedades que ela é aqui perspectivada enquanto pilar arquétipo. O arquétipo publicitário leva-nos, assim, a apreender a publicidade não apenas segundo as suas atualizações históricas (por exemplo, a Esfera Pública Burguesa), mas também de acordo com um funcionamento sócio-antropológico primordial que as diferentes sociedades, em cada época, tratam de operacionalizar.

Palavras-chave


Princípio de publicidade; esfera pública; arquétipos; sócio-antropologia da comunicação

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.

BLUMLER, Jay G.; GUREVITCH, Michael. The crisis of public communication. London: Routledge, 1995.

CHMIELEWSKI Piotr. The Public and the Private in Primitive Societies. In: International Political Science Review, v. 12, n. 4, p. 267-280, 1991.

DEWEY, John. The Public and it’s Problems. Chicago: Swallow Press, 1991.

ESTEVES, João Pissarra. Espaço público e democracia. Lisboa: Colibri, 2003.

GITLIN, Todd. Public sphere or public sphericules? In: LIEBES, T.; CURRAN, J. (Orgs.). Media, ritual and identity. London: Routledge, 1998.

HABERMAS, Jürgen. The structural transformation of Public phere: an inquiry into a category of Bourgeois Society. Massachusetts: MIT Press, 1991.

KANT, Immanuel. A paz perpétua – um projecto filosófico. Lisboa: Edições 70, 1995.

MAFFESOLI, Michel. Le temps des Tribus – le déclin de l’individualisme dans les sociétés postmodernes. Paris: La Table Ronde, 2000.

MCKEE, Alan. The Public Sphere: an introduction. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

MILLS, Charles Wright. A elite do poder. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1962.

MiSHRA, Kailash. Chaupal the earliest human experiment in democracy. Heritage Plus, 2004. Disponível em:

http://organiser.org/archives/historic/dynamic/modules8537.html?name=Content&pa=showpage&pid=18&page=21

QUÉRÉ, Louis. Des Miroirs Équivoques – aux origines de la communication moderne. Paris: Aubier, 1992.

SENNETT, Richard. The fall of public Man. London: Norton & Company, 1974.

SIMMEL, Georg. Philosophie de la Modernité. Paris: Payot, 2007.

SPLICHAL, Slavko. Public Opinion – developments and controversies in the twentieth century. Oxford: Rowman & Littlefield Publishers, 1999.

THOMPSON, John B. The Media and Modernity – a social theory of the media. Stanford: Stanford University Press, 1995.

TURNBULL, Colin. The forest people. New York: Touchstone, 1968.

VIRNO, Paolo. A Grammar of the Multitude: for an analysis of contemporary forms of life. New York: First US edition, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-3729.2012.3.12889

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Métricas por PLOS ALM. Dados disponíveis somente após 12/2014.



 


 This journal is a member of, and subscribes to the principles of, the Committee on Publication Ethics (COPE) http://www.publicationethics.org

 


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.


ISSN-L: 1415-0549 | e-ISSN: 1980-3729 | Copyright: © 2017 EDIPUCRS

Avaliação do Qualis CAPES | ÁREA CAPES - Ciências Sociais Aplicadas | CLASSIFICAÇÃO - A2

REVISTA FAMECOS: publicação do Programa de Pós-Graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PPGCOM/PUCRS
Av. Ipiranga, 6681, Prédio 7 | Bairro Partenon - CEP: 90619-900 | Porto Alegre, RS, Brasil
tel/fax: 55 51 3320.3658
e-mail: revistadafamecos@pucrs.br

Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS