A concepção e o sentido da formação vivida na graduação em Pedagogia: a perspectiva de egressas do curso

Deivis Perez, Sabrina Orgado Oliveira

Resumo


Este estudo examinou a concepção e o sentido da formação para a docência vivida na licenciatura em Pedagogia por professoras. Os problemas de pesquisa foram: 1) Qual a concepção de formação de professores e seu locus nas Ciências da Educação na visão das voluntárias do estudo? 2) Qual o sentido conferido à formação no curso de Pedagogia? Participaram três professoras com perfil típico do pedagogo do país, conforme o Censo Escolar de 2007. Optou-se pela abordagem qualitativa de pesquisa e realização de estudo de caso. A recolha de dados foi feita por meio da aplicação de questionários exploratórios e realização de entrevistas individuais e coletiva. Os resultados apontaram que as participantes do estudo consideram que o locus da formação docente é a própria Pedagogia, enquanto campo científico, e que a noção de formação remete a ação impositiva e de doutrinação dos profissionais do ensino, que se opõe ao ideal de parceria no processo educativo entre docentes da graduação e seus alunos. Observou-se permanente tensão entre os sentidos atribuídos ao curso de Pedagogia, considerado, em alguns momentos, teórico e distante da prática e, em outras situações, percebido como facilitador da apropriação de saberes acadêmicos e sociopolíticos relevantes para a ação laboral docente.


Palavras-chave


Educação. Formação do pedagogo. Sentido.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo. Estudo de caso em pesquisa e avaliação educacional. Brasília: Liber, 2005.

ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo; LÜDKE, Menga. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: E.P.U., 1986. (Temas Básicos de Educação e Ensino).

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Formação de Professores no Brasil (1990-1998). Distrito Federal, 2002. (Série Estado do Conhecimento, 6).

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Formação de profissionais da educação (1997-2002). Distrito Federal, 2006. (Série Estado do Conhecimento, 10).

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – Inep. Estudo exploratório sobre o professor brasileiro: com base nos resultados do Censo Escolar da Educação Básica 2007. Brasília, 2009a.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – Inep. Relatório Síntese do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes 2009: Pedagogia (licenciatura). Brasília, 2009b.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – Inep. Relatório Síntese do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes 2011: Pedagogia (licenciatura). Brasília, 2011.

CARVALHO, José Carlos Paula et al. Imaginário e ideário pedagógico: um estudo mitocrítico e mitanalítico do Projeto de Formação do Pedagogo na Feusp. São Paulo: Plêiade, 1998.

CASTRO, Amélia Domingues. A trajetória histórica da didática. São Paulo, 2004. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. 2013.

CHIZZOTTI, Antônio. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 11. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

COMENIUS, João Amos. Didática magna. (1657). Trad. Ivone Castilho Benedetti. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

FELDMANN, Marina Graziela. Escola Pública: representações, desafios e perspectivas. In: ALONSO, Myrtes. O trabalho docente: teoria e prática. 2. ed. São Paulo: Pioneira Thompson, p. 87-95, 2003.

GARCIA, Carlos Marcelo. Formação de professores: para uma mudança educativa. Trad. Isabel Narciso. Porto: Porto Editora, 1999.

IMBÉRNON, Francisco. Formação Docente e Profissional: Preparar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2000. (Coleção Questões da Nossa Época, 77).

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

MACHADO, Anna Rachel et al. Linguagem e educação: o ensino e a aprendizagem de gêneros textuais. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2009. (Série Ideias sobre Linguagem).

MASETTO, Marcos Tarciso. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus, 2003.

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Ensino: as abordagens do processo. 18. ed. São Paulo: EPU, 2003. (Temas Básicos de Educação e Ensino).

MORAES, Jaira Coelho. A formação de professores no curso de Pedagogia, Licenciatura da FACED/UFRGS: um estudo a partir das diretrizes curriculares de 2006. 2011. 120 f. (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2011.

NÓVOA, António. Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

POPKEWITZ, Thomas. Lutando em defesa da alma: a política do ensino e a construção do professor. Trad. Magda França Lopes. Porto Alegre: ArtMed Editora, 2001.

POPPE, Maria da Conceição Maggioni. Sentidos de prática em currículo de curso de Pedagogia. 2011. 140 f. (Mestrado Acadêmico em Educação) – Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2011.

RIBAS, Marina Holzmann; CARVALHO, Marlene Araújo; ALONSO, Myrtes. Formação continuada de professores e mudança na prática pedagógica. In: ALONSO, Myrtes (Org.). O trabalho docente: teoria e prática. 2. ed. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003.

SAVIANI, Demerval. A pedagogia no Brasil: história e teoria. Campinas, SP: Autores Associados, 2008. (Coleção Memória da educação).

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1995.

VIANA, Marta Loula Dourado. A relação teoria e prática na formação do licenciado em Pedagogia: um estudo crítico da formação do professor reflexivo-pesquisador na proposta do curso de Pedagogia da UNEB. 2011. 212 f. (Mestrado em Educação) – Fundação Universidade Federal de Sergipe. Aracaju, 2011.

VIEIRA, Josimar de Aparecido. Qualidade da formação inicial de pedagogos: indicadores na visão de egressos. 2011. 211 f. (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2011.

VIGOTSKI, Lev Semenovich. A construção do pensamento e da linguagem. (1934). Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/2179-8435.2015.1.17237

>

e-ISSN: 2179-8435

*********************************

Avaliação do Qualis CAPES - 2016

ÁREA CAPES - Educação

CLASSIFICAÇÃO - B2

ÁREA CAPES – Ensino

CLASSIFICAÇÃO – B1


Indexado em:
 

REDIB 

 *********************************

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS