“Romance sem romance”: o caso de Água Viva de Clarice Lispector

Anderson Hakenhoar Matos

Resumo


No século XX, a arte moderna nega o vínculo com o mundo temporal e espacial posto como real e absoluto pelo realismo tradicional e pelo senso comum. Anatol Rosenfeld defende que o romance moderno nasce quando Proust, Joyce, entre outros, começam “a desfazer a ordem cronológica, fundindo passado, presente e futuro” (1973, p. 80). Afirma também que o romance moderno, assim como a pintura, deixou de ser mimético, “recusando a função de reproduzir ou copiar a realidade empírica” (ibidem, p. 76). Segundo ele, o realismo, no sentido mais lato do termo de designar a tendência de reproduzir, de uma forma estilizada ou não, idealizada ou não, a realidade apreendida pelos nossos sentidos, é negado pelo romance moderno, o que o crítico chama de “desrealização”. A eliminação do espaço, ou da ilusão do espaço, na pintura corresponde a da sucessão temporal no romance. Assim, a cronologia e a continuidade temporal foram abaladas. Água Viva , ao contrário de um romance realista, parece fragmentado e/ou desestruturado. Um romance realista apresenta uma história baseada em cronologias, eventos, personagens bem definidos, etc. Porém, este esquema já não é mais possível em Água Viva . O texto de Lispector apresenta as características do romance moderno proposto por Rosenfield (1973), o que pode ser atribuído à intensa relação com a pintura; no entanto, Lispector vai além, e seu texto é caracterizado como “romance sem romance” por Lucia Helena, utilizando a terminologia proposta por Barthes. Resulta dessas considerações a proposta deste trabalho, que não tem por objetivo uma tentativa de classificação do texto de Lispector, mas apresentar um breve estudo a respeito de algumas características do romance moderno propostas por Rosenfield e o caso de Água Viva, a fim de entender como é a representação da realidade no texto Lispectoriano.

Palavras-chave


Clarice Lispector; <i>Água Viva </i>; Romance moderno; Pintura.

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS