Três tempos para as teorias

Ana Cláudia Munari

Resumo


Em 1996, Heidrun Krieger Olinto reúne artigos que tematizam novas formas de escrita da História da Literatura, a que ela chama de “novas teorias alemãs”. Que cânone teórico é esse, que pretende sinalizar uma nova maneira de pensar os estudos sobre a escrita historiográfica? Este artigo analisa tais teorias sob a esteira de um novo paradigma – a queda do muro de Berlin, e as transformações que ocorrem desde a passagem de uma configuração imanentista do texto para uma concepção baseada na Estética da Recepção – e de uma nova visão do passado, não totalitária, mas fragmentada. Em seguida, busca em teorias mais recentes, organizadas por Maria Eunice Moreira no volume Histórias da literatura: teorias, temas e autores, parâmetros para encontrar novas teorias da história da literatura previstas por Olinto.

Palavras-chave


História da Literatura, cânone teórico, teorias alemãs

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO

Sistema em manutenção

Migração do sistema OJS para a versão 3.0. Durante este período os usuários:

  • Poderão acessar todo o conteúdo já publicado
  • Não poderão efetivar encaminhamentos do fluxo editorial (submissão, avaliação, publicação)

Previsão: 06/07/2020


e-ISSN: 1984-4301

Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional , que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.