O uso do dicionário como estratégia metacognitiva de aquisição lexical na leitura em mídia virtual e impressa

Claudia Finger-Kratochvil, Margarete G. M. de Carvalho

Resumo


Pesquisas vêm comparando os dicionários eletrônicos aos impressos para verificar qual deles responde melhor às demandas do leitor com relação à construção do conhecimento lexical, visando à compreensão leitora. Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa pré-experimental, psicolinguística, que verificou o desenvolvimento da estratégia do uso do dicionário para aquisição do conhecimento lexical a partir do blog e do material impresso no processo de construção da competência leitora. Participaram professores de Português de escolas públicas de Santa Catarina. Buscamos identificar em qual dos meios o tempo de quebra do fluxo de leitura - devido às pausas para consulta ao dicionário - seria menor, e se essa consulta contribuiria para a compreensão leitora dos participantes, expressa por meio de uma síntese. Os resultados revelaram uma tênue diferença de compreensão leitora entre uma mídia e outra. Isso parece indicar que não é, fundamentalmente, a mídia o fator determinante para diferenças na compreensão nem para o uso de estratégias, ainda que o suporte virtual apresente algumas singularidades que, a princípio, causem estranheza ao leitor mais adaptado ao material impresso. O fator mais relevante foi a capacidade, demonstrada pelo leitor, de selecionar a estratégia
mais adequada e de decidir utilizá-la ou não.


Palavras-chave


Leitura; Competência lexical; Uso do dicionário; Mídia virtual

Texto completo:

PDF

Referências


AGUILERA, María Cristina Arancibia. Estrategias de comprensión con hipertexto informativo. Lectura y vida – revista latinoamericana de lectura, v. 31, n. 2, p. 18-32, 2010.

ALLIENDE, Felipe. CONDEMARÍN, Mabel. A leitura: teoria, avaliação e desenvolvimento. Porto Alegre: Artmed, 2005.

BAKER, Linda; BROWN, Ann L. Metacognitive skills and reading. In: PEARSON, P. D. (Ed.). Handbook of research on reading. New York: Longman, 1984.

BARBEIRO. Luís Filipe. Vocabulário_quadro_geral. Projecto Diversidade Linguística na Escola Portuguesa. Disponível em: . Acesso em: 23 nov. 2013.

BAUMANN, James F.; KAME’ENUI, Edward J.; ASH, Gwynne E. Research on vocabulary instruction: Voltaire redux. Handbook of research on teaching the English language arts, v. 2, p. 752-785, 2003.

CARVALHO, Margarete Gonçalves Macedo de. Leitura e mídia virtual: a construção da competência lexical através do blog. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Federal da Fronteira Sul, Chapecó, 2014.

CASSANY, Daniel. Explorando las necesidades actuales de comprensión. Aproximaciones a la comprensión crítica. Lectura y vida, v. 25, n. 2, p. 6-23, 2004.

CHAVES, Jésura; LOPES, Marília. Metacognição e Metalinguagem. In: Pereira , V. W.; Guaresi , Ronei (Orgs). Estudos sobre leitura: psicolinguística e interfaces. Porto Alegre: ediPUCRS. 2012, p. 21-30.

COSCARELLI, Carla V.; NOVAIS, Ana Elisa. Leitura: um processo cada vez mais complexo. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 45, n. 3, p. 35-42, jul.-set. 2010.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

EBNER, Rachel J.; EHRI, Linnea C. Vocabulary Learning on the Internet: Using a Structured Think – Aloud Procedure. Journal of Adolescent & Adult Literacy, v. 56, n. 6, p. 480-489, 2013.

FARSTRUP, Alan E.; SAMUELS, S. Jay. Vocabulary instruction: a critical component for skillful reading. In: FARSTRUP, Alan E.; SAMUELS, S. Jay. What research has to say about vocabulary instruction. International Reading Assoc., p.1-5, 2008.

FINGER-KRATOCHVIL, Claudia. Estratégias para o desenvolvimento da competência lexical: relações com a compreensão em leitura. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-graduação em Letras, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

______. O aprendiz estratégico e crítico na era da informação. In: Dias , Antônio; Hetkowski , Tânia M. (Org.). Educação e Contemporaneidade: pesquisas científicas e tecnológicas. Salvador: Editora da Universidade Federal da Bahia – EDUFBA, 2009. v. 1, p. 203-229.

GOLDMAN, Susan et al. Comprehending and Learning From Internet Sources: Processing Patterns of Better and Poorer Learners. Reading Research Quarterly, Illinois, 2012. Disponível em: . Acesso em: 03 set. 2013.

KINTSCH, Walter; RAWSON, Katherine E. Comprehension. In: SNOWLING, Margaret J.; HULME, Charles (Ed.). The science of reading: a handbook. [S.l.]: John Wiley & Sons, 2005. p. 71-92.

LEFFA, Vilson J. Aspectos da leitura. Uma perspectiva psicolinguística. Porto Alegre. Sagra-Luzzatto. 1996.

______. Reading with an electronic glossary. Computers & Education, Great Britain, v. 19, n. 3, p. 285-290, 1992.

______. O dicionário eletrônico na construção do sentido em língua estrangeira. Cadernos de tradução, Florianópolis, n. 18, p. 319-340, 2006.

______. Questões de lexicografia pedagógica. In: XATARA, C., BEVILACQUA, Cleci Regina & HUMBLÉ, Philippe René Marie (Orgs.). Dicionários na teoria e na prática: como e para quem são feitos. São Paulo: Parábola Editorial, 2011. p. 123-132.

MIN, Young- Kyung. Vocabulary Acquisition: Practical Strategies for ESL Students. Journal of International Students, v. 3, n. 1, Spring 2013. Disponível em: . Acesso em: 23 nov. 2013.

MOKHAR, Ahmad Azman. The Role of Dictionary Strategy in Passive Vocabulary Knowledge Acquisition of Net Generation Students. Journal for the Study of English Linguistics, v. 1, n. 1, 2013. Disponível em: . Acesso em: 23 nov. 2013.

MORAIS, José; LEITE, Isabel; KOLINSKY, Régine. Entre a pré-leitura e a leitura hábil: Condições e patamares da aprendizagem. In: MALUF, Maria Regina; CARDOSO-MARTINS, Cláudia. Alfabetização no século XXI: Como se aprende a ler e a escrever. Penso Editora, p. 17-48, 2013.

NAGY, William E.; HERMAN, Patricia A. Breadth and depth of vocabulary knowledge: Implications for acquisition and instruction. The nature of vocabulary acquisition, v. 19, p. 35, 1987.

NAGY, William E.; SCOTT, Judith A. Vocabulary processes. In: ALVERMANN, Donna E.; UNRAU, Norman J.; RUDDELL, Robert B. Theoretical models and processes of reading. International Reading Assoc., p. 458-488, 2013. (Publicado originalmente in: KAMIL, M. et al. Handbook of reading research. Mahwah: Lavrence Erlbaum, 2000. v. 3, p. 269-284).

NASCIMENTO, Tânia Augusto et al. Fluência e compreensão leitora em escolares com dificuldades de leitura. Rev Soc Bras Fonoaudiol, v. 23, n. 4, p. 335-43, 2011.

PEREIRA, Vera Wannamacher. Compreensão leitora de alunos do ensino médio. Revista Virtual de Estudos da Linguagem, v. 6, n. 11, p. 1-15, 2008.

PERINI, Mario A. Efeito do gênero textual. In: LIBERATO, Yara; FULGENCIO Lúcia. É possível facilitar a leitura: um guia para escrever claro. São Paulo: Contexto. 2012. p. 152-158.

RANGEL, Egon de Oliveira. Dicionários em sala de aula. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.

RIBEIRO, Ana Elisa. Leitura nas interfaces gráficas de computador: compreendendo a gramática da interface. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

RIBEIRO, Vera Masagão. Analfabetismo e analfabetismo funcional no Brasil. In: SANTOS, Emerson. Reescrevendo a Educação. São Paulo: Scipione, , 2006. p. 26-37.

SCHMITT, N. et al. The percentage of words known in a text and reading comprehension. The Modern Language Journal, v. 95, p. 26-43. 2011. Doi: 10.1111/j.1540-4781.2011.01146.x

SCLIAR-CABRAL, Leonor. Sistema Scliar de Alfabetização. Livro dos alunos: Aventuras de Vivi, 2012.

SOLÉ, I. Estratégias de leitura. Porto alegre: Artmed, 1998.

STANOVICH, Keith E. Matthew effects in reading: Some consequences of individual differences in the acquisition of literacy. Reading Research Quarterly, p. 360-407, 1986.

TOMITCH, Lêda Maria Braga (Org.). Aspectos cognitivos e instrucionais da leitura. São Paulo: EDUSC, 2008.

TOMITCH, Lêda Maria Braga. Desvelando o processo de compreensão leitora: protocolos verbais na pesquisa em leitura. [S.l.]: Signo, 2007. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2013.

WÄSTLUND, Erik. Experimental studies of human-computer interaction: working memory and mental workload in complex cognition. Karlstad, Sweden: Dept. of Psychology, Karlstad University, 2007.

XATARA, Cláudia M.; BEVILACQUA, Cleci R.; HUMBLÉ, Philippe, R. M. (Org.). Dicionários na teoria e na prática: como e para quem são feitos. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2016.2.23815

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2015

ÁREA CAPES - Letras/Linguística 
CLASSIFICAÇÃO - B2 



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

 

Copyright: © 2017 EDIPUCRS