A imprensa e a construção da memória do regime militar brasileiro (1965-1985)

Marcos Napolitano

Resumo


Neste artigo, pretendo analisar os editoriais de quatro jornais da grande imprensa (O Estado de São Paulo, Folha de São Paulo, Jornal do Brasil e O Globo) nos aniversários anuais do golpe de Estado de 1964, mapeando as vicissitudes da representação sobre este evento e sobre o regime ditatorial que se seguiu. Nesta perspectiva, pretendo analisar as guinadas e revisões da memória liberal sobre o regime militar, partindo da hipótese que foi esta linhagem ideológica que definiu as bases de uma memória hegemônica sobre o período histórico, calcada na “resistência democrática”.


Palavras-chave


Regime militar: Brasil; Regime militar: memória social; História e Imprensa

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Alzira et al. (Org.). Eles mudaram a imprensa.

Depoimentos ao CPDOC. 2. ed. São Paulo: FGV Editora, 2008 [1. ed.: 2003].

AQUINO, Maria Aparecida. Censura, imprensa, estado autoritário, 1968-1978: o exercício cotidiano da dominação e da resistência. Bauru: Edusc, 1999.

BOSI, Alfredo. A escravidão entre dois liberalismos. Estudos Avançados, v. 2, n. 3, p. 4-39, 1988. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1590/S0103-40141988000300002. Acesso em: 03 abr. 2017.

BRESSER-PEREIRA, Luis Carlos. A construção política do Brasil. São Paulo: Editora 34, 2014.

CAPELATO, Maria Helena Rolim. Os Intérpretes das Luzes: Liberalismo e Imprensa Paulista (1920-1945). 1986. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1986.

CAPELATO, Maria Helena. Imprensa e História do Brasil. São Paulo: Contexto, 1988.

CAPELATO, Maria Helena; MOTA, Carlos Guilherme. História da Folha de S. Paulo, 1921-1981. São Paulo: Impress, 1981.

CAPELATO, Maria Helena; PRADO, Maria Lígia. O Bravo Matutino – a imprensa e ideologia: o jornal O Estado de S. Paulo. São Paulo: Alfa Ômega, 1992.

CARVALHO, A; CATELA, L. 31 de marzo de 1964 en Brasil: memórias deshilachadas. In: JELIN, Elizabeth (Org.). Las conmemoraciones: las disputas en las fechas in-felices. Madrid, Siglo XXI, 2002. p. 195-242.

CARVALHO, Aloysio Castelo. Rede da Democracia: O Globo, O Jornal e o Jornal do Brasil na queda do governo Goulart (1961-64). Niterói, EDUFF, 2010.

COUTINHO, Carlos Nelson. Marxismo e política: a dualidade de poderes e outros ensaios. São Paulo: Cortez, 1994.

CHAMMAS, Eduardo. A ditadura militar e a grande imprensa. 2012. Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

CHAUI, Marilena. Seminários. Brasiliense, 1980. DUARTE, Celina. Imprensa e redemocratização no Brasil: um estudo de duas conjunturas. 1945 e 1974. Dissertação (Mestrado em História) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1987.

FONSECA, Francisco. Liberalismo Autoritário: discurso liberal e práxis autoritária na imprensa brasileira. São Paulo: Hucitec, 2011.

______. O consenso forjado: A Grande Imprensa e a formação da agenda ultraliberal no Brasil. São Paulo: Hucitec, 2005.

GASPARI, Elio. A ditadura envergonhada. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

GAZZOTTI, Juliana. O Jornal da Tarde e o pós-AI-5: o discurso da imprensa desmistificado. In: MARTINS FILHO, João Roberto (Org.). O golpe de 64 e o regime militar. Novas perspectivas. São Carlos: Edufscar, 2006. p. 67-80.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do Cárcere: Os intelectuais, o princípio educativo, o jornalismo (v. 2). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004. p. 195-214.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado. Contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto/Editora PUC-RJ, 2006.

LESSA, Washington Dias. Amílcar de Castro e a Reforma Gráfica do Jornal do Brasil. In: Dois estudos de comunicação visual. Rio de Janeiro: EDUFRJ, 1995.

LIMA, Gabriel Amato Bruno de. “Aula prática de Brasil”: ditadura, estudantes universitários e imaginário nacionalista no Projeto Rondon (1967-1985). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

MARTINS FILHO, João Roberto. O palácio e a caserna: a dinâmica militar das crises políticas na ditadura (1964-1969). São Carlos: Editora UFSCAR, 1995.

MATTEUCCI, Nicola. Liberalismo. In: BOBBIO, Norberto et al. (Org.). Dicionário de Política. Brasília: Editora UNB, 1999. p. 687-705.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. As universidades e o regime militar. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2014.

NAPOLITANO, Marcos. História do regime militar brasileiro. São Paulo: Contexto, 2014.

______. Recordar é vencer: as dinâmicas e vicissitudes da construção da memória sobre o regime militar brasileiro. Antíteses, Londrina, v. 8, n. 15, p. 9-44, nov. 2015.

NOVELLI, Ana Lucia. O projeto Folha e a Negação do Quarto Poder. 1994. Mestrado (Comunicação) – Universidade de Brasília, Brasília, 1994.

PONCE, André Luiz Godoy. Florão da América: o projeto do Brasil Grande, a política externa e a diplomacia presidencial durante o regime militar (1964-1973). 2013. Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

REIS FILHO, Daniel A. Ditadura, esquerdas e sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2000.

RIBEIRO, Ana Paula G. Imprensa e história no Rio de Janeiro dos anos 1950. Rio de Janeiro: E-Papers, 2007.

ROLLEMBERG, Denise. O esquecimento das memórias. In: MARTINS FILHO, João Roberto (Org.). O golpe de 64 e o regime militar. Novas perspectivas. São Carlos: Edufscar, 2006. p. 81-92.

SAES, Decio. Classe média e sistema político no Brasil. São Paulo: TA Queiroz, 1985.

SILVA, Eduardo Gomes. A Rede da Democracia e o golpe de 1964. 2008. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2008.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da Imprensa Brasileira. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-864X.2017.2.24766

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

e-ISSN: 1980-864X | ISSN-L: 0101-4064

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios - www.publicationethics.org



AVALIAÇÃO QUALIS CAPES - 2016 
ÁREA CAPES - História
CLASSIFICAÇÃO - A2

INDEXADORES E PORTAIS

  • Web of Science - Master Journals List (Clarivate Analytics)
  • SSCI - Social Sciences Citation Index (Clarivate Analytics)
  • AHCI - Arts and Humanities Citation Index (Clarivate Analytics)
  • Scopus (Elsevier)
  • SJR - ScIMAGO Journal & Country Rank (Elsevier)
  • Historical Abstracts with Full Text (EBSCO)
  • Academic Search Premier (EBSCO)
  • Fonte Acadêmica (EBSCO)
  • Fuente Academica (EBSCO)
  • CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades
  • DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
  • REDALYC - Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal
  • Portal CAPES

FATOR DE IMPACTO NO SJR (SCImago Journal & Country Rank)

SCImago Journal & Country Rank

Licença Creative Commons OriginalityCheck®
Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. 
TurnITin
Todos os artigos são submetidos ao software Turnitin, antes de iniciar qualquer tipo de avaliação.
Diadorim  Open Access 
Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul. 
 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS