Desastre socioambiental e Termo de Transação e Ajustamento de Conduta (TTAC) como instrumento de política pública: o caso da barragem de Fundão, MG

Marta Zorzal e Silva, Domitila Costa Cayres, Luciana Andressa Martins Souza

Resumo


Este artigo inscreve-se na agenda de pesquisa dedicada à compreensão dos processos de governança e participação social nas políticas públicas que estão sendo formuladas e implementadas visando à reparação da bacia do rio Doce, localizada nos estados brasileiros de Minas Gerais e Espírito Santo, em razão do desastre socioambiental de grandes proporções, causado pelo rompimento da barragem de rejeitos de minérios das empresas Samarco S.A., Vale S. A., BHP Billiton Ltda., em Fundão (MG), no dia 5 de novembro de 2015. Com o objetivo de reparar e compensar os múltiplos prejuízos e agravos foi instituído um Termo de Transação e Ajustamento de Conduta (TTAC) entre o governo federal, os governos estaduais de Minas Gerais e Espírito Santo e as empresas mineradoras envolvidas. O artigo focaliza o TTAC como um instrumento de política pública e insere-se no debate sobre governança contemporânea. A análise está centrada no protagonismo tanto da Fundação Renova criada para a formulação e a implementação das políticas de restauração e de compensação, quanto nos órgãos públicos responsáveis pelo acompanhamento e fiscalização das diversas políticas instituídas. Quanto aos resultados, busca-se salientar aspectos que evidenciem os traços do desenho institucional do TTAC e do seu modus de governança, o qual vem sendo praticado desde a assinatura do referido acordo, bem como os desafios decorrentes das assimetrias existentes nas relações entre as empresas mineradoras e o poder público, de um lado, e os atingidos de outro.


Palavras-chave


Instrumento de política pública. Governança. Desastre socioambiental. Barragem de Fundão. Brasil.

Texto completo:

PDF

Referências


ACSELRAD, Henri. Mediação e negociação de conflitos ambientais. In: VIÉGAS, Rodrigo; PINTO, Raquel; GARSON, Luiz. Negociação e acordo ambiental: o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) como forma de tratamento dos conflitos ambientais. Rio de Janeiro: Fundação Heinrich Böll; Fase e Ettern/Ippur., 2014.

https://doi.org/10.26668/indexlawjournals/2525-9628/2016.v2i1.917

ACSELRAD, Henri; BEZERRA, Gustavo. Inserção econômica internacional e “Resolução Negociada” de conflitos ambientais na América Latina. Grupo de Trabajo Ecología Política del Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, Quito, 2007.

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS. Encarte especial sobre a bacia do rio Doce: rompimento da barragem em Mariana, MG, Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil. Informe 2015, Brasília.

Disponível em: www.snirh.gov.br/portal/snirh/centrais-de-conteudos/conjuntura-dos-recursos-hidricos/

encarteriodoce_22_03_2016v2.pdf. Acesso em: 12 maio 2017.

https://doi.org/10.21168/rbrh.v11n4.p37-46

BANCO MUNDIAL. O setor judiciário na América Latina e no Caribe: elementos para reforma. Banco Mundial: Washington, D.C, 1996.

Disponível em: www.sitraemg.org.br/post_type_artigo/conheca-o-documento-319-do-banco-mundial. Acesso em: 1 maio 2017.

https://doi.org/10.11606/t.8.2005.tde-18072006-132037

BECK, Ulrich. Risk society: towards a new modernity. Trad. Mark Ritter. London: Sage, 1992.

BEZERRA, Gustavo. Análise crítica dos discursos e práticas da “Resolução Negociada” de conflitos ambientais na América Latina. Anais do 12º Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional, Ufpa, Belém, 2007.

https://doi.org/10.22478/ufpb.1809-4775.2017v13n1.34953

BONATTI, Thiago Fernando; CARMO, Roberto Luiz do. Desastres tecnológicos: revisitando a discussão sobre a questão dos eventos de contaminação a partir da relação entre população, espaço e ambiente. In: 20º Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 2016. Anais do...

Disponível em: www.abep.org.br/publicacoes/index.php/anais/index. Acesso em: 15 mar. 2019.

https://doi.org/10.5151/desproeneac2016-amb01-1

BRASIL. Lei n. 7.347, de 24 de julho de 1985. Disciplina a ação civil pública de responsabilidade por danos causados ao meio-ambiente, ao consumidor, a bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico e dá outras providências. Brasília, DF, 1985.

Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7347orig.htm. Acesso em: 5 maio 2017.

https://doi.org/10.5380/rfdufpr.v27i0.9005

BRASIL. Lei n. 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências. Brasília, DF, 1988.

Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9605.htm. Acesso em: 5 maio 2017.

https://doi.org/10.1590/0034-716719730005000016

COLI, Luis Régis. “Resolução negociada” e desigualdades territoriais: emergência e adoção de políticas públicas na “prevenção” e mediação de conflitos fundiários urbanos. Revista Latitude, Maceió, v. 9, n. 2, p. 315-342, 2015.

https://doi.org/10.28998/2179-5428.20150205

COMITÊ INTERFEDERATIVO. Deliberação nº 67, de 9 de maio de 2017. Aprova o desmembramento da Câmara Técnica de Saúde, Educação, Cultura e Lazer, criada pela Deliberação nº 07/2016. Brasília, 2017.

http://ibama.gov.br/cif/deliberacoes. 12 fev. 2019.

COMITÊ INTERFEDERATIVO. Deliberação nº 7, de 11 de julho de 2016. Institui as Câmaras Técnicas Permanentes do Comitê Interfederativo – CT/CIF e dispõe sobre sua competência, coordenação, programas afetos e a forma de funcionamento. Brasília, 2016.

Disponível em: http://ibama.gov.br/cif/deliberacoes. Acesso em: 10 nov. 2016.

COMITÊ INTERFEDERATIVO; Câmara Técnica de Organização Social e Auxílio Emergencial. Nota técnica nº 29/2018/CTOS-CIF. Brasília, 2018.

Disponível em: http://ibama.gov.br/cif/notas-tecnicas/ct-os. Acesso em: 12 fev. 2019.

DINIZ, Eli. Globalização, reformas econômicas e elites empresariais: Brasil anos 1990. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2000.

https://doi.org/10.1590/s0104-44782000000100012

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. São Paulo: Unesp, 1991.

GONÇALVES, Ricardo Junior de Assis Fernandes; PINTO, Raquel Giffoni; WANDERLEY, Luiz Jardim. Conflitos ambientais e pilhagem dos territórios na Bacia do Rio Doce. In: ZONTA, Mario; TROCATE, Charles (org.). Antes fosse mais leve a carga: reflexões sobre o desastre da Samarco/Vale/BHP Billiton. Marabá: Editorial iGuana, 2016. p. 139-182.

https://doi.org/10.21800/2317-66602016000300011

HALPERN, Charlotte. LE GALÈS, Patrick. No autonomous public policy without ad hoc instruments: a comparative and longitudinal analysis of the European Union’s environmental and urban policies. Presses de Sciences Po, Revue française de science politique, v. 61, n. 1, p. 43-67, 2011.

https://doi.org/10.3917/rfspe.611.0043

INSTITUTO BRASILEIRO do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Diretoria de Proteção Ambiental. Coordenação Geral de Emergências Ambientais. Laudo técnico preliminar. Impactos ambientais decorrentes do desastre envolvendo o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, Minas Gerais, Brasília, 2015.

Disponível em: www.ibama.gov.br/publicadas/documentos-doibama-sobre-o-desastre-da-samarco-no-rio-doce. Acesso em: 22 abr. 2017.

https://doi.org/10.11606/d.8.2016.tde-15012016-120051

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Portaria nº 18, de 7 de julho de 2016. Aprova Regimento Interno do Comitê Inter federativo. Brasília, 2016.

Disponível em: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=1&data=08/07/2016&pagina=49. Acesso em: 15 mar. 2019.

https://doi.org/10.11606/d.8.2016.tde-15012016-120051

LASCOUMES, Pierre. LE GALÈS, Patrick. Introduction: understanding public policy through its instruments-from the nature of instruments to the sociology of public policy instrumentation. Governance: An International Journal of Policy, Administration, and Institutions, v. 20, n. 1, p. 1-21, 2007.

https://doi.org/10.1111/j.1468-0491.2007.00342.x

LIEBER, Renato Rocha; ROMANO-LIEBER, Nicolina Silvana. Risco e precaução no desastre tecnológico. Cadernos Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, p. 67-84, 2005.

LOSEKANN, Cristiana. A participação como um problema para as instituições de justiça: uma análise a partir do acordo de governança e participação para o desastre no Rio Doce. Jota. Opinião & Análise, 2018.

Disponível em: www.jota.info/opiniao-e-analise/artigos/a-participacao-como-um-problema-para-asinstituicoes-de-justica-09082018. Acesso em: 5 mar. 2019.

https://doi.org/10.5540/03.2018.006.01.0322

NADER, Laura. Harmonia coerciva: a economia política dos modelos jurídicos. Revista Brasileira de Ciências Sociais, n. 26, p. 18-29, 1994.

RAMBOLL Consultoria. Avaliação do programa de reparação integral da Bacia do rio Doce. Mar. 2018.

Disponível em: www.mpf.mp.br/para-o-cidadao/casomariana/documentos/relatorio-ramboll/view. Acesso em: 4 fev. 2019.

RAMBOLL Consultoria. Relatório consolidado referente aos trabalhos dos primeiros nove meses de avaliação dos programas socioeconômicos e socioambientais. Dez. 2017.

Disponível em: www.mpf.mp.br/para-o-cidadao/caso-mariana/documentos/relatorio-consolidado-da-ramboll-de-2017/view. Acesso em: 4 fev. 2019.

https://doi.org/10.5585/rdb.v3i2.45

RODRIGUES, Geisa de Assis. Ação civil pública e termo de ajustamento de conduta: teoria e prática. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2011.

SALLUM JR., Brasilio. Labirintos: dos Generais à nova República. São Paulo: DCS/FFLCH/USP/Hucitec, 1996.

SOLA, Lourdes (org.). Estado, mercado e democracia: política e economia comparadas. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.

STOKER, Gerry. Governance as theory: five propositions. International Social Science Journal, Paris, v. 50, n. 155, p. 17-28, 1998.

https://doi.org/10.1111/1468-2451.00106

TERMO de Transação e de Ajustamento de Conduta. 2 mar. 2016. Dispõem sobre acordo entre o Governo Federal, Governo do estado de Minas Gerais, Governo do estado Espírito Santo e as mineradoras Samarco Mineração S/A, Vale S/A e BHP Billiton Brasil Ltda. Brasília, 2016.

Disponível em: http://ibama.gov.br/cif/cif-comite-interfederativo. Acesso em: 22 nov. 2016.

https://doi.org/10.11606/d.103.2016.tde-14102016-113611

VALENCIO, Norma; SIENA, Mariana; MARCHEZINI, Victor; GONÇALVES, Juliano Costa (orgs.). Sociologia dos desastres: construção, interfaces e perspectivas no Brasil. São Carlos: RiMa Editora, 2009.

Disponível em: www.crpsp.org.br/portal/comunicacao/diversos/mini_cd_oficinas/pdfs/livro-sociologia-dos-desastres.pdf. Acesso em: 9 set. 2018.

VELASCO E CRUZ, Sebastião. A produção do consenso: discurso econômico e conflitos políticos na transição brasileira. In: 18º ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, Caxambu, 23-27 de novembro, 1994.

VIÉGAS, Rodrigo Nuñez. As resoluções de conflito ambiental na esfera pública brasileira: uma análise crítica. Confluências, Niterói, v. 9, n. 2, p. 23-49, 2007.

https://doi.org/10.22409/conflu9i2.p20100

VIÉGAS, Rodrigo Nuñez. O campo da resolução negociada de conflito: o apelo ao consenso e o risco do esvaziamento do debate político. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 21, p. 7-44, 2016.

https://doi.org/10.1590/0103-335220162101

VIÉGAS, Rodrigo Nuñez; PINTO, Raquel Giffoni; GARSON, Luis Fernando Novoa. Negociação e acordo ambiental: o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) como forma de tratamento dos conflitos ambientais. Rio de Janeiro: Fundação Heinrich Böll; Fase e Ettern/Ippur, 2014.

Disponível em: http://br.boell.org/pt-br.Acesso em: 1 maio 2017.

https://doi.org/10.26668/indexlawjournals/2525-9628/2016.v2i1.917




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2019.2.30227

Direitos autorais 2019 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2019 Edipucrs