Vitimização letal e desigualdade no Brasil: evidências em nível municipal

Eduardo Ribeiro, Ignacio Cano

Resumo


O artigo trata da relação da violência letal com a desigualdade, sob dois pontos de vista. O primeiro é a desigualdade do risco de ser vítima de homicídio entre diversos tipos de pessoas. Nesse sentido, o perfil das vítimas preferenciais da violência letal no Brasil, confirmado pelos últimos dados disponíveis, é muito claro: jovens negros de sexo masculino. O segundo ponto de vista é a relação entre desigualdade de renda e taxa de homicídios. Esta relação depende da unidade de análise escolhida. Os dados analisados aqui, utilizando um modelo multivariado para estimar os fatores associados às taxas municipais de homicídio, mostram que é a renda dos mais pobres e não a desigualdade de renda que está diretamente relacionada à incidência da violência letal. Esses resultados, que contradizem os obtidos na literatura quando se comparam países, sublinham a importância da eleição da unidade de análise.


Palavras-chave


Vitimização letal. Homicídios. Desigualdade. Brasil.

Texto completo:

PDF

Referências


BECKER, Gary Stanley. Crime and punishment: an economic approach. Journal of Political Economy, v. 76, n. 2, p. 169-217, 1993.

BORGES, Doriam; CANO, Ignacio (orgs.). Homicídios na adolescência no Brasil: IHA 2008. Rio de Janeiro: Observatório de Favelas, 2011.

BORGES, Doriam; CANO, Ignacio (orgs.). Índice de homicídios na adolescência: IHA 2012. Rio de Janeiro: Observatório de Favelas, 2014.

CÂMARA, Gilberto; MONTEIRO, Antônio Miguel Vieira; DRUCK, Suzana;

CARVALHO, Marília Sá. Análise espacial e geoprocessamento. In: Suzana Druck; Marília Sá Carvalho; Gilberto Câmara; Antônio Miguel Vieira Monteiro (orgs.). Análise espacial de dados geográficos. Planaltina: Embrapa, 2004. p. 21-52.

CANO, Ignacio; RIBEIRO, Eduardo. Homicídios no Rio de Janeiro e no Brasil: dados, políticas públicas e perspectivas. In: Marcus Vinicius G. da Cruz; Eduardo Cerqueira Batitucci (orgs.). Homicídios no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2007. p. 51-78.

CANO, Ignacio; SANTOS, Nilton. Violência letal, renda e desigualdade social no Brasil. Rio de Janeiro: 7Letras, 2001.

CARVALHO, José Alberto Magno de; SAWYER, Diana Oya; RODRIGUES, Roberto do Nascimento. Introdução a alguns conceitos básicos e medidas em demografia. 2. ed. São Paulo: Abep, 1994.

CERQUEIRA, Daniel; LOBÃO, Waldir. Determinantes da criminalidade: uma resenha dos modelos teóricos e resultados empíricos. Rio de Janeiro: Ipea, 2003 (Texto para discussão, n. 956).

CRUZ, Oswaldo Gonçalves. Homicídios no estado do Rio de Janeiro: análise da distribuição espacial e sua evolução. São Paulo, 1996. Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Epidemiologia.

DELLA PORTA, Donatella; MICHAEL Keating (eds.). Approaches and methodologies in the social sciences: a pluralist perspective. Cambridge University Press, 2008.

DIAS, Taciana de Lemos et al. Problemas de escala e a relação área-indivíduo em análise espacial de dados censitários. Informática Pública, v. 4, n. 1, p. 89-104, 2002.

DOLLARD, John; MILLER, Neal E.; DOOB, Leonard W.; MOWRER, O. H.; SEARS, Robert R. Frustration and aggression. New Haven: Yale University Press, 1939.

FAJNZYLBER, P.; LEDERMAN, D.; LOAYZA, N. Determinants of crime rates in Latin America and the world: an empirical assessment. World Bank Latin American and Caribbean Studies. Washington, D. C.: World Bank, 1998 <10.1596/0-8213-4240-1>.

HARTUNG, Gabriel Chequer. Ensaios em demografia e criminalidade. Tese (Doutorado) – EPGE, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2009.

KILSZTAJN, Samuel et al. Vítimas da cor: homicídios na região metropolitana de São Paulo, Brasil, 2000. Cadernos de Saúde Pública, v. 21, n. 5, p. 1408-1415, 2005.

MERTON, Robert King. Social structure and anomie. American Sociological Review, v. 3, n. 5, p. 672-682, 1938 <10.2307/2084686>

.

MINAYO, Maria Cecília de S.; SOUZA, Edinilsa R. de. Violência para todos. Cadernos de Saúde Pública, v. 9, n. 1, p. 65-78, 1993.

PRVL-Programa de redução da violência letal contra jovens e adolescentes. Homicídios na adolescência no Brasil: IHA 2005/2007. Brasília: Secretaria de Direitos Humanos, 2010.

RIBEIRO, Eduardo. Configuração espacial e fatores associados à vitimização por homicídio nos municípios brasileiros. Rio de Janeiro, 2008. Dissertação (Mestrado) – Escola Nacional de Ciências Estatísticas, ENCE/IBGE.

SOARES, Gláucio Ary Dillon. Não matarás: desenvolvimento, desigualdade e homicídios. Rio de Janeiro: FGV, 2008.

Civitas, Porto Alegre, v. 16, n. 2, p. 285-305, abr.-jun. 2016

SOARES, Gláucio Ary Dillon; BORGES, Doriam Luís de Melo. A cor da morte. Ciência Hoje, v. 35, n. 209, p. 26-31, 2004.

VERMELHO, Letícia Legay; MELLO JORGE, Maria Helena P. de. Mortalidade de jovens: análise do período de 1930 a 1991 (a transição epidemiológica para a violência). Revista de Saúde Pública, v. 30, n. 4, p. 319-331, 1996 <10.1590/S0034-89101996000400005>.

WAISELFISZ, Julio Jacobo. A cor dos homicídios no Brasil. Brasília: Abrufdatum, 2012.

WAISELFISZ, Julio Jacobo. Mapa da violência 2006: os jovens do Brasil. Brasília: UNESCO, Instituto Ayrton Senna, SEDH, 2006.

WAISELFISZ, Júlio Jacobo. Mapa da Violência 2013: homicídios e juventude no Brasil. Rio de Janeiro: Cebela/Flacso, 2013.

WAISELFISZ, Julio Jacobo. Mapa da violência: os jovens do Brasil. Rio de Janeiro: UNESCO, Instituto Ayrton Senna, Garamond, 1998.

WEISBURD, David; BERNASCO, Wim; BRUINSMA, Gerben (orgs.). Putting crime in its place: units of analysis in geographic criminology. Springer Science & Business




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2016.2.23066

Direitos autorais 2016 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2019 Edipucrs