Abordagem sistêmica da política externa do Brasil

Maria Izabel Mallmann

Resumo


Apresenta-se neste artigo uma visão geral da política externa do Brasil durante a primeira década deste século, dedicando especial atenção ao período de governo de Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010). A análise baseia-se na compreensão de que a política externa do Brasil fundamenta-se numa tradição com importantes traços de continuidade e apresenta inflexões decorrentes de diferentes escolhas governamentais. Utiliza-se uma abordagem sistêmica que leva à compreensão da política externa do Brasil como resultado de duas ordens de fatores: ideacional e pragmática, presentes nas decisões políticas e essencialmente conflitivas entre si. O resultado dessas tensões é a ocorrência de variadas orientações de política externa ao longo do tempo. A política externa do Brasil é representada na figura de um pêndulo, cujas oscilações entre posições extremas, ilustram as situações políticas reais.


Palavras-chave


Política externa do Brasil. Autonomia e desenvolvimento. Continuidade e inflexões.

Texto completo:

PDF (English)

Referências


AMORIM, C. A nova política externa independente. II Curso para diplomatas sulamericanos. Rio de Janeiro: Ministério das Relações Exteriores, Funag, Ipri, 2007. (vídeo).

BAUMANN, Renato. Brazilian external sector so far in the 21st century. Revista Brasileira de Política Internacional, v. 53, p. 33-53, 2010 (Special edition).

CERVO, Amado Luiz. Brazil’s rise on the international scene: Brazil and the world. Revista Brasileira de Política Internacional, v. 53, p. 7-32, 2010 (Special edition).

CERVO, Amado Luiz. Inserção internacional: formação de conceitos brasileiros. São Paulo: Saraiva, 2007.

KRATOCHWIL, Friedrich. The puzzles of politics: inquires into the genesis and transformation of international relations. London: Routledge, 2011.

LAFER, C. A identidade internacional do Brasil e a política externa brasileira: passado, presente e futuro. São Paulo: Perspectiva, 2004.

LESSA, Antônio Carlos. Brazil’s strategic paternships: an assessment of the Lula era (2003-2010). Revista Brasileira de Política Internacional, v. 53, p. 115-131, 2010 (Special edition).

LOPES, Dawisson Belém. A política externa brasileira e a circunstância democrática: do silêncio respeitoso à politização ruidosa. Revista Brasileira de Política Internacional, v. 54, n. 1, p. 67-86, 2011.

MEIRA, Rodrigo Santos. Brasil, Bolívia, hidrocarbonetos e o processo de integração energética na América do Sul. Brasília, 2009. (Dissertação de Mestrado, UnB).

PINHEIRO, Leticia. Política externa brasileira (1889-2002). 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

WATSON, Adam. A evolução da sociedade internacional: uma análise histórica comparativa. Tradução de René Loncan. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2004.

WELDES, Jutta. Constructing national interests: the United States and the Cuban missile crisis. Borderlines, vol. 12. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2015.3.20163

Direitos autorais 2016 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2020 Edipucrs