“Reflexão transcendental sobre o homem” e “Filosofia Crítica” (I)

Palavras-chave: Antropologia. Reflexão transcendental sobre o homem. Teoria da subjetividade. Conceito de filosofia. Método Transcendental.

Resumo

Neste artigo introdutório pretendo contribuir com o debate a respeito da importância das discussões sobre a “antropologia” em Kant (1724-1804), na medida em que compreendo que a relação dessa com outras regiões do pensamento kantiano pode produzir uma interpretação mais próxima entre a filosofia de Kant e a realidade concreta. Para cumprir esse intento, sugiro que existe a possibilidade de se pensar a Filosofia Crítica sustentada por uma “teoria da subjetividade” que se aproxima de uma “reflexão transcendental sobre o homem”, a qual permitiria certa “sistematicidade orgânica” à filosofia kantiana. Proponho igualmente os temas do conceito kantiano de filosofia e da constituição do problema do “transcendental” como elementos que auxiliam essa compreensão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Edmar Lima Filho, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), Sobral, CE
Doutor em Filosofia pela Universidade Federal do Ceará (UFC, Fortaleza, CE, Brasil), professor da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) em Sobral, CE, Brasil.

Referências

AMERIKS, K.; NARAGON, S. Translators’ introduction. In: KANT, I. Lectures on metaphysics. Trad. ing. Karl Ameriks e Steve Naragon. New York: Cambridge University Press, 1997. https://doi.org/10.1017/cbo9781107049505.

ANDOLFI, F. Feuerbach e l’etica kantiana. Idee, North America, v. 12, p. 73-91, 1989.

ANDOLFI, F. Il cuore e l’animo. Saggi su Feuerbach. Napoli: Alfredo Guida Editore, 2011.

BARATA-MOURA, J. Kant e o Conceito de Filosofia. Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, 2007a.

BARATA-MOURA, J. O outro Kant. Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, 2007b.

BONACCINI, J. A. Acerca do conceito de fenômeno na Crítica da razão pura. Princípios, Natal, ano 04, n. 05, p. 159-186, 1997.

BORGES, M. de L. Psicologia empírica, antropologia e metafísica dos costumes em Kant. Kant e-Prints, Campinas, v. 2, n. 1, p. 1-10, 2003.

CABADA CASTRO, M. Kant y Feuerbach: dos centenarios relacionados. Teorema, v. XXII, p. 157-169, 2004.

CABADA CASTRO, M. La crítica de la teoría moral de Kant en la antropologia feuerbachiana. In: MURGUEZA, J.; ARAMAYO, R. R. (org.). Kant después de Kant: en el bicentenario de la Crítica de la razón práctica. Madrid: Editorial Tecnos, S.A., 1989. p. 415-443. https://doi.org/10.2307/j.ctv6hp36h.5.

DILTHEY, W. W. Introducción a las ciencias del espíritu. Trad. esp. Eugenio Imaz. México & Buenos Aires: Fondo de Cultura Economica, 1949.

FAGGIOTTO, P. Introduzione alla metafísica kantiana dell’analogia. Milano: Massimo, 1989.

FEUERBACH, L. Pierre Bayle: un contributo alla Storia della Filosofia e dell’Umanità. Trad. it. Maria Luisa Barbera. Napoli: Edizioni “La Città del Sole”, 2008.

FEUERBACH, L. Princípios da filosofia do futuro. In: FEUERBACH, L. Filosofia da Sensibilidade, Escritos (1839-1846). Trad. port. Adriana Veríssimo Serrão. Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, 2005, p. 101-155. https://doi.org/10.5216/phi.v22i2.45635.

GUÉROULT, M. Canone della ragion pura e Critica della ragion pratica. In: TOGNINI, G. Introduzione alla morale di Kant: guida alla critica. Roma: La Nuova Italia Scientifica, 1993. https://doi.org/10.3726/978-3-653-01646-8/10.

HAHN, A. A função da antropologia moral na filosofia prática de Kant. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, 2010. https://doi.org/10.20396/revpibic2720191967.

HEIDEGGER, M. Kant y el problema de la Metafísica. México: Fondo de Cultura Econômica, 1996.

HÖFFE, O. Immanuel Kant. Trad. bras. Christian Viktor Hamm e Valerio Rohden. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

HÖFFE, O. Kant: crítica da razão pura: os fundamentos da filosofia moderna. Trad. bras. Roberto Hofmeister Pich. São Paulo: Edições Loyola, 2013.

HÖFFE, O. O ser humano como fim terminal: Kant, Crítica da faculdade do juízo, §§82-84. Studia kantiana, [S. l.], n. 8, maio, p. 20-38, 2009.

JACHMANN, R. B. Immanuel Kant geschildert in Briefen an einen Freund. In: HOFFMAN, A. (ed.). Immanuel Kant. Ein Lebensbild nach Darstellungen der Zeitgenossen Jachmann, Borowski, Wasianski. Halle: Hugo Peter, 1902, p. 1-148.

JORGE FILHO, E. J. Sobre a prova kantiana da liberdade. O que nos faz pensar, Rio de Janeiro, n. 32, p. 40-55, dez. 2012.

KANT, I. Akademieausgabe von Immanuel Kants Gesammelten Werken. Bände und Verknüpfungen zu den Inhaltsverzeichnissen. Versão digital. Disponível em: https://korpora.zim.uni-duisburg-essen.de/Kant/verzeichnisse-gesamt.html. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8863.discurso.2004.62838.

(Algumas traduções comentadas das obras de Kant, bem como outras edições, foram indicadas aqui como alternativas de consulta utilizadas para a construção deste texto, dentre outras consultadas, quais sejam:

KANT, I. Antropologia de um ponto de vista pragmático. Trad. bras. Clélia Aparecida Martins. São Paulo: Iluminuras, 2006.

KANT, I. Antropología práctica. Según el manuscrito inédito de C. C. Mrongovius, fechado en 1785. Trad. cast. Roberto Rodríguez Aramayo. Madrid: Editorial Tecnos, 1990.

KANT, I. Crítica da Faculdade do Juízo. Trad. bras. Valerio Rohden e António Marques. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

KANT, I. Crítica da razão pura. Trad. port. Alexandre Morujão e Manoela dos Santos. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2008.

KANT, I. Crítica da razão prática. Trad. bras. Valerio Rohden. Edição Bilíngue. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

KANT, I. Fundamentação da Metafísica dos Costumes. Trad. bras. Guido Antônio de Almeida. São Paulo: Discurso Editorial & Barcarolla, 2009. https://doi.org/10.1017/s136941541100015x.

KANT, I. La contienda entre las facultades de filosofía y teología. Trad. es. Roberto Rodríguez Aramayo. Madrid: Editorial Trotta, 1999.

KANT, I. Lectures on metaphysics. Trad. ing. Karl Ameriks e Steve Naragon. New York: Cambridge University Press, 1997.

KANT, I. Lógica. Tradução do texto original estabelecido por Gottlob Benjamin Jäsche de Guido Antônio de Almeida. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1992.

KANT, I. Manual dos Cursos de Lógica Geral. Trad. bras. Fausto Castilho Campinas/ Uberlândia: Editora da UNICAMP/EDUFU, 2002.

KANT, I. Notícia do Prof. Immanuel Kant sobre a organização de suas preleções no semestre de inverno de 1765-1766. In: KANT, I. Lógica. Tradução do texto original estabelecido por Gottlob Benjamin Jäsche de Guido Antônio de Almeida. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1992, p. 169-180. https://d.oi.org/10.17771/pucrio.acad.12336

KANT, I. Opus Postumum. New York: Cambridge University Press, 1993.

KANT, I. Prolegômenos a toda a Metafísica futura que queira apresentar-se como ciência. Trad. port. Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1988.

KANT, I. Reflexões de Antropologia de Immanuel Kant: sobre a capacidade de conhecer. Trad. bras. Daniel Omar Perez. (no prelo)

KANT, I. Resposta à Pergunta: Que é “Esclarecimento”? In: KANT, I. Textos seletos. Trad. bras. Raimundo Vier e Floriano de Sousa Fernandes. Petrópolis: Editora Vozes, 1985.

LEBRUN, G. Apresentação. In: ROHDEN, V. Interesse da razão e liberdade. São Paulo: Ática, 1981, p. 13-21.

LIMA FILHO, J. E. Esclarecimento e Educação em Kant: a autonomia como projeto de melhoramento humano. Trans/Form/Ação, Marília, v. 42, n. 2, abr./ jun. p. 59-84, 2019. https://doi.org/10.1590/0101-3173.2019.v42n2.04.p59.

LORINI, G. The origins of the transcendental subjectivity: on Baumgarten’s Psychology. Philosophica, Lisboa, v. 44, p. 107-126, 2014.

LOUDEN, R. Applying Kant’s Ethics: The Role of Anthropology. In: BIRD, G. A Companion to Kant. Malden: Blackwell Publishing, 2006. p. 350-363. https://doi.org/10.1002/9780470996287.ch24.

LOUDEN, R. “A Segunda Parte da Moral”: a Antropologia Moral de Kant e sua relação com a Metafísica dos Costumes. [email protected], Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 27-46, jun. 2002.

LOUDEN, R. Kant’s Impure Ethics. From Rational Beings to Human Beings. New York: Oxford University Press, 2000. https://doi.org/10.1086/324248.

MARTY, F. Kant et la naissance de la métaphysique. Une étude sur la notion kantienne d’analogie. Paris: Beauchesne, 1997. https://doi.org/10.7202/400033ar.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas (1845-1846). Trad. bras. Rubens Enderle, Nélio Schneider e Luciano Cavini Martorano. São Paulo: Boitempo, 2007.

OLIVEIRA, M. A. de. Antropologia na filosofia de Kant. In: OLIVEIRA, M. A. de. A Filosofia na crise da modernidade. São Paulo: Edições Loyola, 1990, p. 15-28.

PEREZ, D. O. A antropologia pragmática como parte da razão prática em sentido kantiano. Manuscrito, Campinas, v. 32, n. 2, jul-dez/2009, p. 357-397.

PEREZ, D. O. Estudo introdutório: Kant como antropólogo. In: KANT, I. Reflexões de Antropologia de Immanuel Kant: sobre a capacidade de conhecer. (no prelo).

PEREZ, D. O. O projeto antropológico de Kant. In: BORGES, M. de L. (org.). Comentários sobre a Antropologia de um ponto de vista pragmático de Kant. Florianópolis: Nefiponline, 2018. p. 54-81. https://doi.org/10.11606/d.8.2015.tde-09102015-131102.

PERIN, A. O problema da unidade da razão em Kant: uma reconstrução sistemática a partir de três momentos do desenvolvimento do Período Crítico. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008.

PHILONENKO, A. L’oeuvre de Kant: La philosophie critique. Tome I. La philosophie pré-critique et la Critique de la Raison pure. Paris: Librairie Philosophique J. Vrin, 2003. https://doi.org/10.1017/s0012217300005588.

RITOSSA, E. Antropologia e sistema: la riflessione kantiana sull’uomo tra natura e libertà. Tesi di laurea. Università degli studi di Padova, Facoltà di Lettere e Filosofia. Padova: 2009. https://doi.org/10.22462/11.12.2017.1.

ROHDEN, V. Interesse da razão e liberdade. São Paulo: Ática, 1981.

ROHDEN, V. Nota sobre a tradução. In: KANT, I. Crítica da Faculdade do Juízo. Trad. bras. Valerio Rohden e António Marques. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010. p. 7-10.

ROSALES, A. Ser y subjetividad en Kant: sobre el origen subjetivo de las categorias. Bueno Aires: Biblos, 2009.

SANTOS, L. R. A formação do pensamento biológico de Kant. In: MARQUES, U. R. A. Kant e a Biologia. São Paulo: Editora Barcarolla, 2012, p. 17-81.

SANTOS, L. R. A razão sensível: estudos kantianos. Lisboa: Edições Colibri, 1994a.

SANTOS, L. R. Metáforas da razão ou economia poética do pensar kantiano. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian & Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, 1994b.

SOUZA, D. G. de. Sobre a relação Feuerbach e Kant. In: CIRNE-LIMA, C.; ALMEIDA, C. Nós e o Absoluto: Festschrift em homenagem a Manfredo Araújo de Oliveira. São Paulo: Edições Loyola, 2001, p. 67-78.

VAIHINGER, H. Kommentar zur Kritik der reinen Vernunft. Erster Band. Stuttgart/Berlin/Leipzig: Union Deutsche Verlagsgesenschaft, 1922a.

VAIHINGER, H. Kommentar zur Kritik der reinen Vernunft. Zweiter Band. Stuttgart/Berlin/Leipzig: Union Deutsche Verlagsgesenschaft, 1922b.

WEININGER, O. Geschlecht und Charakter. Wien und Leipzig: Wilhelm Braumüller Universitäts-Verlagsbuchhandlung Gesellschaft M. B. H., 1920.

WOOD, A. Kant. Trad. bras. Delamar José Volpato Dutra. Porto Alegre: Artmed, 2008.

ZOELLER, G. Uma “Ciência para Deuses”. As Ciências da Vida da perspectiva de Kant. In: MARQUES, U. R. A. Kant e a Biologia. São Paulo: Editora Barcarolla, 2012. p. 83-108.

Publicado
2020-05-15
Como Citar
Filho, J. E. L. (2020). “Reflexão transcendental sobre o homem” e “Filosofia Crítica” (I). Veritas (Porto Alegre), 65(1), e36303. https://doi.org/10.15448/1984-6746.2020.1.36303
Seção
Moral & Political Philosophy