A MORALIZAÇÃO DO CLERO CASTELHANO NO SÉCULO XIII

  • Andréia Cristina Lopes Frazão da Silva Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Resumo

O N Concilio de Latrão, realizado em 1215, foi para a Igreja Ocidental o mais importante do período medieval. Seus 70 cânones apresentam uma síntese do projeto de reforma eclesial liderado pelo Papado, em vias de implantação desde meados do século XI, e que visava, dentre outros pontos, a moralização do clero. Contudo, qual foi o impacto destas regulamentações canônicas nas diversas regiões da Cristandade? Como tentativa de resposta parcial a tais questões, optamos por um estudo de caso: o da Igreja Castelana, tão resistente às imposições romanas no século XI. Para o estudo da questão, optamos pela análise da obra literária Vida de Santo Domingo de Silos, de. Gonzalo de Berceo, clérigo secular e primeiro autor culto a escrever em castelhano do qual possuímos notícias históricas. Objetivamos, através do estudo comparativo desta obra literária e os cânones do Concilio de 1215, o impacto e penetração no início do século XIII, em Castela, do projeto de reformulação da moral eclesiástica promovido pelo papado.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1995-12-31
Como Citar
Silva, A. C. L. F. da. (1995). A MORALIZAÇÃO DO CLERO CASTELHANO NO SÉCULO XIII. Veritas (Porto Alegre), 40(159), 559-576. https://doi.org/10.15448/1984-6746.1995.159.36058