Diásporas: Questões e Perspectivas sobre os Estudos de Imigrantes e Refugiados nos séculos XX e XXI

  • Vinícius Liebel Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ. http://orcid.org/0000-0002-3188-6567
  • Helen Rotta Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), RS.

Resumo

Diante da crise dos refugiados observada na Europa nos últimos anos, a ideia de diáspora (ou das diásporas) entrou novamente em evidência. Produções acadêmicas e pesquisas sobre a temática ganharam visibilidade, em um processo que, apesar dos acontecimentos recentes, já vem em crescente há décadas. Torna-se, assim, uma necessidade a observação do estado da arte, uma discussão sobre os avanços e os limites que a abordagem das diásporas encontrou nesses últimos anos e, particularmente, as possibilidades que ela nos reserva. Epistemologicamente, portanto, é necessário lançar uma visão crítica sobre as principais abordagens e sobre os resultados das pesquisas sobre as diásporas, levantando debates e perspectivas e avanços nesse campo. O impacto e as reflexões que a temática nos abre também se tornam objeto deste ensaio, que, não pretendendo esgotar a produção (especialmente a historiográfica) acerca das diásporas, apresenta e revisita o núcleo duro dessas pesquisas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vinícius Liebel, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ.

Professor Adjunto de História Contemporânea, Instituto de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Historiador, Doutor em Ciência Política pela Freie Universität Berlim (FU-Berlin). Pesquisador associado ao Núcleo Interdisciplinar de Estudos Judaicos e Árabes (NIEJ-UFRJ) e ao Núcleo de Estudos Contemporâneos (NEC-UFF).

Helen Rotta, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), RS.
Historiadora, doutoranda em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Bolsista Capes.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Estado de Exceção. São Paulo: Boitempo, 2004.

ARENDT, Hannah. Origens do Totalitarismo. São Paulo: Cia das Letras, 1999.

ARENDT, Hannah. Vor Antisemitismus ist man nur noch auf dem Monde sicher. München: 2000.

BAUMAN, Zygmunt. A Cultura no Mundo Líquido. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

BAUMAN, Zygmunt. Estranhos à nossa Porta. Rio de Janeiro: Zahar, 2017.

https://doi.org/10.12957/rmi.2016.31471

BENHABIB, Seyla. The Rights of Others: Aliens, Residents and Citzens. Cambridge: Cambridge Univ. Press, 2004.

BENJAMIN, Walter. O Anjo da História. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

BHABHA, Homi. O Local da Cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2013.

BRECHT, Bertold. Dialogues d’exilés (1940-1941). Paris: L’Arche, 1972.

BRUBAKER, Rogers. The ‘Diaspora’ Diaspora. Ethnic and Racial Studies, v. 28, n. 1, p. 1-19, jan. 2005. https://doi.org/10.1080/0141987042000289997

BUTLER, Judith. Corpos em Aliança e a Política das Ruas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

CLIFFORD, James. Diasporas. Cultural Anthropology, Washington, v. 9, n. 3, 1994. p. 302-338.

CLIFFORD, James. Diasporas. Cultural Anthropology, Washington, v. 9, n. 3, ago. 1994. p. 302-338.

COHEN, Robin. Global Diasporas – an Introduction. London: Routledge, 1997.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Quando as imagens tomam posição. Belo Horizonte: EdUFMG, 2017.

EDWARDS, Brent Hayes. Os usos da diáspora. Translatio, Porto Alegre, n. 13, p. 40-71, jun. 2017

GATRELL , Peter. A whole Empire walking: Refugees in Russia during World War I. London: Bloomington, 1999.

https://doi.org/10.1086/ahr/105.5.1837

GILROY, Paul. The Black Atlantic. London: Verso, 1993.

GREEN, Nancy L. Mudando Paradigmas em estudos de Migração de Homens para Mulheres Para Gênero. In: PEDRO, Joana et al. (org.). Diásporas, Mobilidades e Migrações. Florianópolis: Editora Mulheres, 2011.

HALL , Stuart. Da Diáspora: Identidades e Mediações Culturais. Belo Horizonte: EdUFMG, 2011.

HALL , Stuart. Identidade Cultural e Diáspora. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n. 24, p. 68-75,1996.

HEUER, Wolfgang. La Politisation des Minorités. Palestra apresentada por ocasião do evento 1906-2006: Cent ans après la naissance d’Hannah Arendt. Paris, 16-18 nov. 2006. Mimeo.

HEUER, Wolfgang. Refugiados e Estado Nacional na Crítica de Hannah Arendt. Palestra apresentada por ocasião do evento Migração e Direitos Humanos. São Paulo, 9-10 nov. 2016. Mimeo.

HARAWAY, Donna. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cadernos Pagu, v. 5, p. 7-41, 2009.

HEYWOOD, Linda. Diáspora Negra no Brasil. São Paulo: Contexto, 2008.

HUNTINGTON, Samuel. Choque de Civilizações. São Paulo: Objetiva, 1997.

IMHOFF, Sarah. The Myth of American Jewish Feminization. Jewish Social Studies: History, Culture, Society, v. 21, n. 3, p. 126-152, 2016. https://doi.org/10.2979/jewisocistud.21.3.05

JALUSIC, Vlasta. Refugees Today: superflousness and humanitarianism. Estudos Ibero-americanos, Porto Alegre, v. 43, n. 3, p. 524-534, nov. 2017. https://doi.org/10.15448/1980-864x.2017.3.26139

JARDIM, Denise F; LEAL, João; DIMANT, Mauricio. Diásporas. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, n. 43, v. 21, p. 9-18, jan./jun. 2015. https://doi. org/10.1590/s0104-71832015000100001

MAHRD, Helgard. Repensando nossa Crise dos Refugiados com Hannah Arendt. Estudos Ibero-americanos, Porto Alegre, n.3, v. 43, p. 535-547, nov. 2017.

MANNHEIM, Karl. Sociologia da Cultura. São Paulo: Perspectiva, 1974.

MASSEY, Doreen. Space, Place and Gender. Cambridge: Polity, 1994.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. São Paulo: N-1, 2018.

MEAD, Margareth. National Character and the Science of Anthropology. In: LIPSET, S.; LOWENTHAL, L. (org.). Culture and Social Character. New York: Free Press, 1961. p. 15-26.

PRECIADO, Beatriz. Multidões Queer: notas para uma política dos anormais. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 1, p. 11-20, jan. abr. 2011. https://doi.org/10.1590/s0104-026x2011000100002

SCOTT, Joan W. História das Mulheres. In: BURKE, Peter (org.). A Escrita da História. São Paulo: UNESP, 1992. p. 63-96.

SIDERI, Eleni. The Diaspora of the Term Diaspora: A Working- Paper of a Definition. Transtext(e)s Transcultures, n 4, p. 32-47, 2008. https://doi.org/10.4000/transtexts.247

SPIVAK, Gayatri. Pode o Subalterno falar? Belo Horizonte: EdUFMG, 2010.

TÖLÖLYAN, Khachig. Estudos da Diáspora: Passado, Presente, Promessa. Translatio, Porto Alegre, n. 13, p. 22-39, jun. 2017.

TÖLÖLYAN, Khachig. Diaspora studies: past, present and promise (Working Papers). Oxford: International Migration Institute, 2012.

TOPEL, Marta. Terra Prometida, Exílio e Diáspora. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 21, n. 43, p. 331-352, jan./jun. 2015. https://doi.org/10.1590/s0104-71832015000100013

WEBER, Cynthia. Queer International Relations. Oxford: Oxford Unipress, 2016.

WEIWEI, Ai. Raiz Weiwei. São Paulo: Ubu, 2019.

WINTER, Jay. Remembering War: The Great War between Memory and History in the Twentieth Century. Yale Univ. Press, 2006.

WINTER, Jay. The Second Great War, 1917-1923. Revista Universitaria de Historia Militar, Madrid, v. 7, n. 14, 2018. 160-179.

ZLOTNIK, Hania. Past Trends in International Migration and their Implications for Future Prospects. In: SIDDIQUE, M.A.B. (ed.). International Migration into the Twenty-first Century. Boston: E. Elgar, 2001. p. 227-262.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Liebel, V., & Rotta, H. (2019). Diásporas: Questões e Perspectivas sobre os Estudos de Imigrantes e Refugiados nos séculos XX e XXI. Veritas (Porto Alegre), 64(3), e35112. https://doi.org/10.15448/1984-6746.2019.3.35112