Paul Ricoeur e um novo conceito de interpretação: da hermenêutica dos símbolos à hermenêutica do discurso

Palavras-chave: Paul Ricoeur, hermenêutica, hermenêutica dos símbolos, hermenêutica do discurso, mal.

Resumo

Este texto é uma reflexão sobre a riqueza da problemática hermenêutica como estruturante do pensamento de Ricoeur, seguindo o próprio percurso do autor e esclarecendo a transição de uma hermenêutica dos símbolos para uma hermenêutica do discurso, não esquecendo que o projeto do filósofo e os horizontes do seu pensamento são a construção de uma nova antropologia e de uma ontologia da compreensão do ser humano aplicáveis à problemática educacional. Esclareceremos o que se entende por hermenêutica da via longa que passa, necessariamente, por opções metodológicas, em oposição à via curta ou imediata defendida por Husserl e Heidegger; das nossas reflexões emerge a questão do mal por intermédio de uma abordagem da hermenêutica dos símbolos e dos mitos. Finalmente, a hermenêutica do discurso como produção de sentidos ocupará a última parte deste texto. O mundo humano é constituído por todas as referências abertas pelos textos, sejam poéticos, míticos ou de outra índole. A ontologia proposta por Ricoeur, ontologia quebrada, ganha maior densidade por intermédio do percurso transitório entre a hermenêutica simbólica e a hermenêutica do discurso restauradora do sentido. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manuel Tavares, Universidade Nove de Julho (UNINOVE)
Doutorado em Filosofia pela Universidade de Sevilha (SP). Tese de doutoramento sobre o pensamento de Paul Ricoeur: El problema del mal y el sentido de la existencia en Paul Ricoeur. Professor do Instituto de Educação da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (Lisboa) - até 2010. Editor da Revista Lusófona de Educação - 2003-2010. Editor da Revista ECCOS Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Nove de Julho (UNINOVE)

Referências

GISEL, P. Le conflit des interprétations, Esprit, 38, nº 11, Novembre, 1970.

MACEIRAS, Manuel. Presentación de la edición española, Tiempo y narración I. Madrid: Ediciones Cristianidad, 1987, pp. 24-25.

PRIETO, Roxana. (1980) El problema del mal en la obra de Paul Ricoeur., Filosofia Oggi, 3, nº 1, 1980, p. 394.

RICOEUR, Paul. Le problème du double-sens. In Le Conflit des Interprétations. Essais d’herméneutique I. Paris : Éditions du Seuil, 1969.

RICOEUR, Paul. Temps et Récit, I. Paris : Éditions du Seuil, 1991.

RICOEUR, Paul. De l’interprétation. Essai sur Freud. Paris : Éditions du Seuil, 1995.

RICOEUR, Paul. Du texte à l’action. Essai d’herméneutique II. Paris : Éditions du Seuil, 1986.

RICOEUR, Paul. Philosophie de la volonté II. Finitude et Culpabilité I, L'Homme Faillible. Paris : Aubier Montaigne, 1960, 1988.

RICOEUR, Paul. Ricoeur, Respuesta a Tomás Calvo. In MARTINEZ, T. C.

REMEDIOS, A. C. (Eds). Paul Ricoeur: los caminos de la interpretación. Barcelona: Anthropos, 1991.

OMITIDO. Tempo histórico e tempo mítico : a descoberta da identidade no «tempo do sentido». Revista Percursos, v. 10, nº 2, 2009, p. 55-76.

OMITIDO. The educational phenomenon between ideology and utopia. Paul Ricoeur’s thought: foundations for an emancipatory education. Educação e Filosofia, v. 30, n. 60, jul-dez. 2016, p. 739-773.

Publicado
2018-10-05
Como Citar
Tavares, M. (2018). Paul Ricoeur e um novo conceito de interpretação: da hermenêutica dos símbolos à hermenêutica do discurso. Veritas (Porto Alegre), 63(2), 436-457. https://doi.org/10.15448/1984-6746.2018.2.30078