Freud e Brentano: Mais que um Flerte Filosófico

  • Thiago Marcellus de S. Cataldo-Maria PUC-RIO
  • Monah Winograd PUC-Rio
Palavras-chave: Freud, Brentano, intencionalidade, representação-objeto, representação.

Resumo

Não seria exagerado afirmar que a importância da relação entre Freud e Brentano tem sido negligenciada. Embora o tema não tenha sido ignorado, dentre os nomes que compõem a fileira dos que influenciaram Freud, o de Brentano certamente é um dos mais apagados. Este ensaio pretende sublinhar algumas marcas do filósofo nas formulações do metapsicólogo. Para tanto, começamos destacando as evidências históricas da estreiteza da relação Freud- Brentanto. Em seguida, investigamos o conceito de intencionalidade tendo em vista a proximidade das concepções de Freud e Brentano a respeito da representação em dois pontos principais: o primeiro é a impossibilidade de um ato de representação ocorrer na ausência de objeto representado e o segundo é o fato de o objeto representado não necessariamente existir enquanto coisa real. Após estes desenvolvimentos, finalizamos, apontando para outras marcas das concepções brentanianas na teoria freudiano e, portanto, para a riqueza desta linha de pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Marcellus de S. Cataldo-Maria, PUC-RIO
Psicólogo Professor Departamento de Psicologia/PUC-Rio
Monah Winograd, PUC-Rio
Psicanalista Professora Programa de Pós-graduação e Psicologia Clínica Departamento de psicologia/PUC-Rio
Publicado
2012-12-19
Como Citar
Cataldo-Maria, T. M. de S., & Winograd, M. (2012). Freud e Brentano: Mais que um Flerte Filosófico. Psico, 44(1). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/9989
Seção
Artigos