Inclusão/exclusão das mulheres imigrantes nos cuidados de saúde em Portugal: Reflexão à luz do feminismo crítico

  • Joana Bessa Topa Universidade do Minho
  • Conceição Nogueira Universidade do Minho
  • Ana Sofia Antunes das Neves Instituto Superior da Maia
Palavras-chave: Imigração, género, saúde, feminismo crítico.

Resumo

O processo migratório pode constituir um factor de risco para a saúde, podendo acarretar uma maior vulnerabilidade em relação a problemas de saúde em geral (Carballo et al., 1998) e de saúde mental em particular, devido não só à dureza do processo migratório (Carta et al., 2005), mas também à exposição quotidiana a formas de discriminação (in Pusseti, Ferreira, Lechner & Santinho, 2009). Se existe um elevado desconhecimento do acesso efectivo dos/as imigrantes aos cuidados de saúde (Fonseca, Silva, Esteves & McGarrigle, 2009) mais acentuado é no que se concerne à mulher imigrante. Esta apresentação pretende evidenciar e reflectir sobre a necessidade dos países de acolhimento desenvolverem políticas a nível dos serviços de saúde, à luz dos feminismos, tendo em conta o estatuto de mulher e imigrante. Trata-se uma reflexão teórica sobre o tema que está a ser trabalhado empiricamente no âmbito de um doutoramento em Psicologia Social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joana Bessa Topa, Universidade do Minho
P
Conceição Nogueira, Universidade do Minho
Doutorada em Psicologia Social, no domínio dos Estudos de Género e é docente da Escola de Psicologia da Universidade do Minho, Braga, Portugal. Lecciona as disciplinas de Contextos de Intervenção Comunitária e Psicologia e Diversidade nos cursos de graduação (1º ciclo) e é coordenadora do Programa de Doutoramento em Psicologia Social-Género e Sexualidade. É co-editora com Lígia Amâncio do livro Gender, Management and Science, co-autora com Isabel Silva do livro Cidadania. Construção de novas práticas em contexto educativo e autora do livro Um Novo Olhar Sobre as Relações sociais de género, editado pela Fundação Calouste Gulbenkian. Tem várias publicações em revistas (nacionais e internacionais) capítulos de livros e actas de Congressos sobre a temática dos Estudos de Género e Feminismo, para além de experiência de coordenação de projectos de investigação no domínio.
Ana Sofia Antunes das Neves, Instituto Superior da Maia
Doutorada em Psicologia Social pelo Instituto de Educação e Psicologia da Universidade do Minho. Exerce actualmente funções de professora auxiliar e investigadora no Instituto Superior da Maia (ISMAI) onde coordena uma linha de investigação subordinada às questões da violência, da imigração feminina e do tráfico humano. Ao longo do seu percurso académico e profissional tem-se vindo a dedicar à investigação na área dos estudos feministas e de género, da psicologia social crítica e da psicologia da justiça. Tem publicado artigos em revistas da especialidade nacionais e internacionais e publicou, em 2008, um livro intitulado Amor, Poder e Violências na Intimidade: os caminhos cruzados do pessoal e do político, pela editora Quarteto.
Como Citar
Topa, J. B., Nogueira, C., & Neves, A. S. A. das. (2011). Inclusão/exclusão das mulheres imigrantes nos cuidados de saúde em Portugal: Reflexão à luz do feminismo crítico. Psico, 41(3). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/8166