Participação política e subjetividade – Narrativas de vida de trabalhadoras rurais do sul do Brasil

  • Rita de Cássia Maciazeki-Gomes Universidade do Porto
  • Conceição Nogueira Programa Doutoral de Psicologia da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto - Portugal
  • Claudia Lazcano Vázquez Universidad de Oriente
  • Maria Juracy Toneli Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina - Brasil
Palavras-chave: Mulheres, Contextos rurais, Política, Processos de subjetivação.

Resumo

Este estudo aborda a intersecção entre participação política e subjetividade a partir análise das narrativas de vida de mulheres trabalhadoras rurais. Trata-se de um estudo qualitativo, de cunho exploratório, que envolveu sete mulheres que ocupam posições de liderança no movimento social do campo, na região sul do Brasil. Para produção dos dados utilizou-se de instrumentos variados como observação, registro em diário de campo, conversas informais e entrevista. As análises temáticas identificaram a participação política como dispositivo de subjetivação ao produzir elos entre público e o privado, ao pautar o privado como político, ao estruturar um discurso coletivo e ao abrir espaços para reinvenção dos modos de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita de Cássia Maciazeki-Gomes, Universidade do Porto
Programa Doutoral em Psicologia da Faculdade de Psicologia e Ciências de Educação da Universidade do Porto.

Referências

Braun, V. & Clarke, V. (2006). Using thematic analysis in psychology. Qualitative Research in Psychology, 3, 77-101.

Brumer, A. (2002). Previdência social rural e gênero. Sociologias, 4(7), 50-81. http://dx.doi.org/10.1590/S1517- 45222002000100003

Cardona, M. C. G. & Cordeiro, R. M. (2010). A previdência rural e a constituição de modos de ser mulher trabalhadora rural no Sertão de Pernambuco. In S. J. Souza, M. Moraes. Tecnologia e modos de ser no contemporâneo, (pp. 157-184). Rio de Janeiro: PUC-Rio/7 Letras.

Clarke, V. & Braun, V. (2013).Teaching thematic analysis: over-coming challenges and devoloping strategies for effective learning. The psychologist, 26(2), 120-123.

Costa, F. A., Machado, F. V., & Prado, M. A. M. (2008). Participação política e experiência homossexual: dilemas entre o indivíduo e o coletivo. Interamerican Journal of Psychology, 42(2), 325-337.

Daron, V. L. P. (2003). Educação, cultura popular e saúde: experiências de mulheres trabalhadoras rurais. Dissertação apresentada no curso de pós-graduação em Educação, da Faculdade de Educação da Universidade de Passo Fundo, RS.

Fernández, A. M. (2008). Política y Subjetividad – asambleas barriales y fábricas recuperadas. Buenos Aires: Biblos. Foucault, M. (1979/1995). Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Graal.

Guareschi, N., Oliveira, F., Giannechini, L., Comunello, L., Pacheco, M., & Nardini, M. (2002). As relações raciais na construção das identidades. Psicologia em Estudo (Maringá), 7(2), 55-64. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722002000200007

Maciazeki-Gomes, R. C., Nogueira, C., & Toneli, M. J. F. (2016). Mulheres em contextos rurais: um mapeamento das produções acadêmicas sobre gênero e ruralidade entre 2000-2014. Psicologia & Sociedade, 28(1), 115-124. http://dx.doi.org/10.1590/1807-03102015v28n1p115

Nogueira, C. (2011). Introdução à Teoria da Interseccionalidade nos Estudos de Género. In S. Neves (org.). Género e Ciências Sociais (pp. 67-78). Castelo da Maia: Edições ISMAI.

Nogueira, C. (2013). A teoria da interseccionalidade nos estudos de gênero sexualidades: condições de produção de “novas possibilidades” no projeto de uma psicologia feminista crítica. In A. V. Zanella, A. L, Brizola, & M. Gesser (org.). Práticas sociais, políticas públicas e direitos humanos (pp. 227-248). Florianópolis: ABRAPSO/Edições do Bosque CFH/UFSC.

Oliveira, J. M. (2012). O rizoma “género”: cartografia de três genealogias. E-cadernos CES [Online]. http://dx.doi.org/10.4000/eces.962

Paulilo, M. I. & Silva, C. B. (2007). A luta das mulheres agricultoras: entrevista com Dona Adélia Schmitz. Revista Estudos Feministas, 15(2), 399-417. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2007000200007

Pinto, N. M. A., Pontes, F. A. R., & Silva, S. S. C. (2013). A Rede de Apoio Social e o Papel da Mulher na Geração de Ocupação e Renda no Meio Rural. Temas em Psicologia, 21(2), 297-315. http://dx.doi.org/10.9788/TP2013.2-01

Prado Filho, K. (2014). Para uma genealogia da Psicologia. In N. Guareschi, S. M. Hüning, M Azambuja. (Org.). Foucault e Psicologia na produção do conhecimento (pp. 107-124). Porto Alegre: EdiPUCRS.

Prado, M. A., Campici, C., & Pimenta, S. (2004). Identidade coletiva e política na trajetória de organização das trabalhadoras rurais de Minas Gerais: para uma psicologia política das ações coletivas. Psicologia em Revista, 10(16), 298-317.

Prado, M. A. & Toneli, M. J. (2013). Política e sujeitos coletivos: entre consensos e desacordos. Estudos de Psicologia, 18(2), 351-357. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2013000200022

Sales, C. M. V. (2007). Mulheres rurais: tecendo novas relações e reconhecendo direitos. Revista Estudos Feministas, 15(2), 437-443. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2007000200010

Salvaro, G. I. J., Lago, M. C. S., & Wolff, C. S. (2013). Mulheres agricultoras e mulheres camponesas: lutas de gênero, identidades políticas e subjetividades. Psicologia & Sociedade, 25(1), 79-89. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822013000100010

Salvaro, G. I. J., Lago, M. C. S., & Wolff, C. S. (2014). Limites e possibilidades da militância política em um movimento social rural de mulheres. Revista Estudos Feministas, 22(1), 51-70. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2014000100004

Scott, J. W. (1998). A invisibilidade da experiência. Projeto História, 16, 297-325 Rodrigues, H. C. (2014). Para desencaminhar o presente Psi: biografia, temporalidade e experiência em Foucault. In N. Guareschi, & S. M. Hüning (org). Foucault e Psicologia (pp. 7-27). Porto Alegre: EdiPUCRS.

Schaaf, A.V. D. (2003). Jeito de mulher rural: a busca de direitos sociais e da igualdade de gênero no Rio Grande do Sul. Sociologias, 10, 412-442. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-45222003000200014

Tedeschi, L. A. (2007). Do silêncio a palavra: identidades e representações sociais de mulheres camponesas no Noroeste do RS. In Anais do XXIV Simpósio Nacional de História (pp. 1-9). São Leopoldo: UNISINOS.

Publicado
2016-05-12
Como Citar
Maciazeki-Gomes, R. de C., Nogueira, C., Vázquez, C. L., & Toneli, M. J. (2016). Participação política e subjetividade – Narrativas de vida de trabalhadoras rurais do sul do Brasil. Psico, 47(2), 148-158. https://doi.org/10.15448/1980-8623.2016.2.21993
Seção
Artigos