Entrevista Inicial como Suporte para Intervenções em Grupos de Orientação a Pais

  • Maria Benedita Lima Pardo Universidade Federal de Sergipe
  • Margarida Maria Silveira Britto de Carvalho Universidade Federal de Sergipe
  • Ariane de Brito Santos Universidade Federal de Sergipe
  • Luciana Priscila Lima da Silva Universidade Federal de Sergipe
Palavras-chave: Treinamento de pais, Entrevista, Ambientes sociais.

Resumo

O uso de instrumentos de coleta de dados previamente ao planejamento de intervenções tem se revelado de fundamental importância nos trabalhos em Psicologia. A literatura destaca a inter-relação entre as fases de diagnóstico e intervenção, considerando que a avaliação deve ser feita antes, durante e mesmo após o término da intervenção. Este artigo apresenta os resultados obtidos em entrevistas iniciais com mães participantes de grupos de orientação realizados em uma clínica-escola. As questões colocadas nas entrevistas possibilitaram-lhes ampliar o relato de suas queixas, direcionando-as para aspectos referentes aos ambientes que a criança frequentava, para outros comportamentos e características dos filhos e para seu próprio comportamento enquanto educadora. Os resultados indicaram a necessidade de trabalhar a percepção da influência recíproca entre os comportamentos da mãe e da criança e refletir sobre a melhor forma de ajustá-los com o intuito de potencializar o desenvolvimento infantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Benedita Lima Pardo, Universidade Federal de Sergipe
Professora Associada do Departamento de Psicologia da UFS Doutora em Psicologia Experimental Pós-doutoramento em Educação Escolar Áreas : Psicologia Clínica e Planejamento e Avaliação do Ensino
Margarida Maria Silveira Britto de Carvalho, Universidade Federal de Sergipe
Professora Adjunta do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Sergipe Especialista em Educação Especial
Ariane de Brito Santos, Universidade Federal de Sergipe
Graduada em Psicologia, Mestranda do Núcleo de Pós-graduação em Psicologia Social da Universidade Federal de Sergipe
Luciana Priscila Lima da Silva, Universidade Federal de Sergipe
Graduada em Psicologia pela Universidade Federal de Sergipe

Referências

Achenbach, T. M. & Rescorla, L. A. (2001). Manual for the ASEBA School – Age Forms & Profiles. Burlington, VT: University of Vermont, Research Center for Children, Youth & Families.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Böing, E., Crepaldi, M. A. & More, C. L. O. O. (2008). Pesquisa com famílias: Aspectos teórico-metodológicos. Paidéia, 18 (40), 251-266. doi: 10.1590/S0103-863X2008000200004

Bolsoni-Silva, A. T. & Loureiro, S. R. (2011). Práticas educativas parentais e repertório comportamental infantil: comparando crianças diferenciadas pelo comportamento. Paidéia (Ribeirão Preto), 21, 61-71. doi: 10.1590/S0103-863X2011000100008

Bronfenbrenner, U. (1996). A ecologia do desenvolvimento humano: experimentos naturais e planejados. Porto Alegre: Artes Médicas.

Caminha, M. G. & Pelisoli, C. (2007) Treinamento de pais: aspectos teóricos e clínicos. In: Caminha, R. M.; Caminha, M. G. A prática cognitiva na infância (pp.274-289). São Paulo: Roca.

Campbell, D. & Palm, G. F. (2004). Group parent education: promoting parent learning and support. California: Sage Publications.

Colnago, N. A. S. (2000). Orientação para pais de crianças com síndrome de down: Elaborando e testando um programa de intervenção. (Tese de Doutorado) Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.

Colnago, N. A. S. (2014). Programa de orientação para pais de crianças com síndrome de down: Modelos de práticas de educação e de desenvolvimento. In V. L. Israel & M. B. L. Pardo (Orgs).

Desenvolvimento Infantil: Orientação a Pais e Professores (p.41-58). Porto Alegre: Redes Editora.

D`Abreu, L. C. F. & Marturano, E. M. (2010). Associação entre comportamentos externalizantes e baixo rendimento escolar: Uma revisão de estudos prospectivos e longitudinais. Estudos de Psicologia, 15, 43-51.

Dessen, M. A. (2010). Estudando a família em desenvolvimento: desafios conceituais e teóricos. Psicologia: ciência e profissão, 30, 202-219. doi: 10.1590/S1414-98932010000500010.

Dessen, M. A. & Lewis, C. (1998) Como estudar a "família" e o "pai"?. Paidéia 8, 105-121.

Friedberg, R. D. & McClure, J. M. A. (2004). Prática clínica de terapia cognitiva com crianças e adolescentes. Trad. Cristina Monteiro. Porto Alegre: Artmed.

Mcmahon, R. J. (1999). Treinamento de pais. In V.E.Caballo (Org.) Manual de Técnicas de Terapia Comportamental e Modificação do Comportamento (pp.399-422). São Paulo: Santos Livraria Editora.

Pardo, M. B. L. & Carvalho, M. M. S. B. (2011). Grupo de orientação de mães no contexto de uma clínica-escola. Paidéia, 21, 93-100. doi: 10.1590/S0103-863X2011000100011.

Pardo, M. B. L. & Carvalho, M. M. S. B. (2012). Grupos de orientação de pais: estratégias para intervenção. Contextos Clínicos, 5, 80-87. doi: 10.4013/ctc.2012.52.02.

Pardo, M. B. L., Carvalho, M. M. B. S. & Santos, A. B. (2014). Grupo de orientação a pais: otimizando a interação pais-filhos. In V. L. Israel & M. B. L. Pardo (Orgs). Desenvolvimento infantil: Orientação a pais e professores (pp.41-58). Porto Alegre: Redes Editora.

Patias, N. D., Siqueira, A. C. & Dias, A. C. G. (2013). Práticas educativas e intervenção com pais: A educação como proteção ao desenvolvimento dos filhos. Mudanças – Psicologia da Saúde, 21, 29-40. doi: 10.15603/2176-1019/mud.v21n1p29-40.

Salvo, C. G., Silvares, E. F. M., & Toni, P. M. (2005). Práticas educativas como forma de predição de problemas de comportamento e competência social. Estudos de Psicologia (Campinas), 22, 187-195. doi: 10.1590/S0103-166X2005000200008.

Silvares, E. F. M (2000). Avaliação e intervenção clínica comportamental infantil. In Silvares. E.F.M. (Org.) Estudos de caso em psicologia clínica comportamental infantil. (Vol.1) Campinas, SP: Papirus, p. 13-29.

Valentini, F. & Alchieri, J. C. (2009). Modelo clínico de estilos parentais de Jeffrey Young: Revisão da literatura. Contextos Clínicos, 2, 113-123. doi: 10.4013/ctc.2009.22.06.

Weber, L. N. D., Brandenburg, O. J. & Salvador, A. P. V. (2006). Programa de qualidade na interação familiar (PQIF): Orientação e treinamento para pais. Psico, 37, 139-149.

Publicado
2015-12-08
Como Citar
Pardo, M. B. L., Carvalho, M. M. S. B. de, Santos, A. de B., & Silva, L. P. L. da. (2015). Entrevista Inicial como Suporte para Intervenções em Grupos de Orientação a Pais. Psico, 46(4), 423-431. https://doi.org/10.15448/1980-8623.2015.4.18538
Seção
Artigos