Estudantes Superdotados e Underachievers: Prevalência, Características, Interesses e Estilos de Aprendizagem

  • Vanessa Terezinha Alves Tentes Universidade Católilca de Brasília
  • Denise de Souza Fleith Universidade de Brasília
Palavras-chave: Superdotação, baixa realização acadêmica, aluno superdotado, perfil.

Resumo

O foco deste estudo foi examinar o fenômeno underachievement, definido como discrepância entre o potencial revelado (habilidade) e a performance (realização), particularmente no contexto escolar, em alunos superdotados. Os objetivos foram identificar a prevalência da condição de baixa performance acadêmica entre 96 alunos que frequentavam um atendimento educacional especializado ao estudante com altas habilidades/superdotação, bem como descrever o perfil de superdotados (n=53) e de superdotados underachievers (n=43) em relação a variáveis demográficas, habilidades, preferências, interesses, aspectos motivacionais, características pessoais, relações interpessoais, desempenho acadêmico e estilos de aprendizagem. Utilizou-se uma composição de instrumentos, tais como análise documental, questionário demográfico e escalas de características, interesses e estilos de aprendizagem, para a coleta dos dados. Os resultados indicaram que existem superdotados underachievers entre estudantes superdotados e que superdotação distingue-se pela heterogeneidade de características pessoais e escolares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Terezinha Alves Tentes, Universidade Católilca de Brasília
Psicóloga, Doutora e Mestre em Psicologia pela Universidade de Brasília, na área de Desenvolvimento Humano e Saúde. Atua como psicóloga clínica e institucional. Possui experiência docente na Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Superior e em programas de pós-graduação e de formação de professores. Desenvolve trabalho de atendimento e psicodiagnóstico na área de Educação Especial e Educação Inclusiva. Dedica-se a palestras, cursos de formação de professores e produção científica na área de criatividade e altas habilidades/superdotação, Transtornos Globais do Desenvolvimento, Transtorno do Déficit de Atenção/Hiperatividade.
Denise de Souza Fleith, Universidade de Brasília
Possui graduação em Psicologia pela Universidade de Brasília (1985), mestrado em Psicologia pela Universidade de Brasília (1990), doutorado em Psicologia Educacional pela University of Connecticut (1999). Realizou seu pós-doutorado no National Academy for Gifted and Talented Youth (University of Warwick) (2005). Atualmente é professora associada do Departamento de Psicologia Escolar e do Desenvolvimento do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília. É orientadora de mestrado e doutorado no Programa de Pós-graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde. Foi professora visitante na University of Connecticut, em 2009, e realizou estágio sênior na Universidade do Minho, em Portugal, nos anos de 2009 e 2012. É editora associada da revista Psicologia: Teoria e Pesquisa. Suas áreas de interesse são criatividade no contexto escolar, medidas de criatividade, processos de ensino-aprendizagem, desenvolvimento de talentos e superdotação e psicologia escolar.

Referências

Betts, G. T. & Neihart, M. (2004). Profiles of the gifted and talented. Em S. Reis (Org. Série), Essential readings in gifted education: Vol.1. Definitions and conceptions of giftedness (pp. 97-106). Thousand Oaks, CA: Corwin Press.

Chagas, J. F. (2008). Adolescentes talentosos: características individuais e familiares (Tese de doutorado não publicada). Universidade de Brasília, Brasília.

Cramond, B. (1995). The coincidence of attention deficit hyperactivity disorder and creativity. Storrs, CT: The National Research Center on the Gifted and Talented.

Davidson Institute for Talent Development. (2009). Federal policies. Disponível em: http//www.davidsoninstitute.org/statepolicydetails

Fleith, D. S. (2009). Mitos e fatos sobre os superdotados. In O. Fávero, W. Ferreira, T. Ireland, & D. Barreiros (Eds.). Tornar a educação inclusiva (pp. 199-212). Brasília: UNESCO & AnPEd.

Gardner, H. (1995). Inteligências múltiplas: a teoria na prática. Porto Alegre: Artmed.

Gontijo, C. H. (2007). Criatividade, criatividade em matemática e motivação em matemática: um estudo comparativo entre alunas e alunos de ensino médio (Tese de doutorado não publicada). Universidade de Brasília, Brasília.

Ireland, V. E. (Org.). (2007). Repensando a escola: um estudo sobre os desafios de aprender, ler e escrever. Brasília: UNESCO/MEC/INEP.

Montgomery, D. (2009). Able, gifted and talented underachievers. London: Wiley-Blackwell.

Neves, E. R. C. & Boruchovitch, E. (2007). Escala de avaliação da motivação para aprender de alunos do Ensino Fundamental (EMA). Psicologia: Reflexão e Crítica, 20(3), 406-413.

Ourofino, V. T. A. T. (2010, July). Gifted, hyperactive and gifted hyperactive: a comparative study of self-concept and learning disabilities. Poster presented at the 12th International Conference of European Council for High Ability, Paris, France.

Ourofino, V. T. A. T., & Fleith, D. S. (2011). A condição underachievement em superdotação: definição e características. Psicologia Teoria e Prática, 13(3), 206-222.

Raven, J. (1992). Manual for Raven’s progressive matrices and vocabulary and scales. The standard progressive matrices. Oxford: Oxford Psychologists Press.

Reis, S. M., & McCoach, D. B. (2000). The underachievement of gifted students: What do we know and where do we go? Gifted Child Quarterly, 44(3), 152-170.

Renzulli, J. S. (1986). The three-ring conception of giftedness: A developmental model for creative productivity. In J. S. Renzulli, & S. M. Reis (Orgs.). The triad reader (pp. 53-92). Mansfield Center, CT: Creative Learning Press.

Renzulli, J. S., & Smith, L. H. (1978, 2001). Learning styles inventory. Mansfield Center, CT: Creative Learning Press.

Renzulli, J. S., Smith, L. H., White, A. J., Callahan, C. M., Hartman, R. K., & Westberg, K. L. (2000). The scales for rating the behavioral characteristics of superior student (SRBCSS-R). Mansfield Center, CT: Creative Learning Press.

Rimm, S. B. (2003). Underachievement: A national epidemic. In N. Colangelo, & G. A. Davis (Orgs.). Handbook of gifted education (3ª ed.) (pp. 424-443). Needham Heights, MA: Allyn Bacon.

Tentes, V. T. A. (2011). Superdotados e Superdotados Underachievers: um estudo comparativo das características pessoais, familiares e escolares. (Tese de doutorado não publicada). Universidade de Brasília, Brasília.

Wagner, M. B., Mota, V. T., & Dorneles, C. C. (2004). SPSS passo a passo. Caxias: Educs.

Wechsler, S. M. (2002). Avaliação da criatividade por figuras e palavras. Testes de Torrance. Campinas: Impressão Digital do Brasil.

Winner, E. (1998). Crianças superdotadas. Mitos e realidade. Porto Alegre: Artmed.

Publicado
2014-08-15
Como Citar
Tentes, V. T. A., & Fleith, D. de S. (2014). Estudantes Superdotados e Underachievers: Prevalência, Características, Interesses e Estilos de Aprendizagem. Psico, 45(2), 157-167. https://doi.org/10.15448/1980-8623.2014.2.12827
Seção
Artigos