O poder das palavras e das idéias: o caso do fundamentalismo islâmico

  • Jacques Wainberg Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Mapas mentais, fundamentalismo islâmico, cultura

Resumo

Este é um estudo sobre o debate teórico que se estabeleceu em torno da tese do choque civilizacional. Explora o argumento de que a cultura tem sido uma variável desconsiderada e desprezada no exame dos temas sociais e políticos contemporâneos. Explora também a temática do fundamentalismo islâmico desde a perspectiva cognitiva. Mostra as correntes teológicas e a crise interna ao Islã em torno da interpretação de suas fontes sagradas. Por fim, contempla a relevância política do papel que as idéias e a doutrinação têm na formação dos mapas mentais dos indivíduos, dos grupos humanos e das nações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jacques Wainberg, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Professor da Faculdade de Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Referências

BIELEFELDT, Heiner. Muslim Voices in the Human Rights Debate. 1995.

BOULDING, Kenneth. The Image. Ann Arbor, University of Michigan Press, 1956.

HARRISON, Lawrence E.; HUNTINGTON, Samuel P. Culture Matters. Basic Books. New York, 2000.

HARRISON, Lawrence E.; KAGAN, Jerome. Developing Cultures. Essays on Cultural Change. Routledge, 2006.

HUNTINGTON, Samuel P.. O choque de Civilizações. Rio de Janeiro: Ed. Objetiva, 1996.

Publicado
2008-04-14
Como Citar
Wainberg, J. (2008). O poder das palavras e das idéias: o caso do fundamentalismo islâmico. Revista FAMECOS, 14(34), 114-123. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2007.34.3461
Seção
Repensando a Comunicação