Guimarães Rosa é uma pérola perfeita: carta ao doutor Dominique Fernandez

  • Ana Luiza Coiro Moraes Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Narrativa, Literatura, Comunicação,

Resumo

Relato de viagem, o livro O ouro dos Trópicos: Passeios pelo Portugal e o Brasil Barroco, de Dominique Fernandez, aventura-se também pelas searas da crítica literária. Embora considere Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa, a obra máxima da literatura brasileira, Fernandez lamenta e tenta interpretar o que chama de “desfecho artificial” do romancista brasileiro, que revela Diadorim como mulher, descaracterizando, assim, o cunho homossexual da paixão de Riobaldo. Este ensaio, cuja introdução toma a forma de uma carta ao autor francês, aposta na idéia de que a trajetória de Riobaldo não se funda em certezas. Para além das ilações cartesianas, de fato, o Brasil é barroco e a narrativa de Guimarães Rosa é uma pérola perfeita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Luiza Coiro Moraes, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Mestranda em Comunicação na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Referências

ÁVILA, Affonso. O modernismo. São Paulo: Perspectiva, 1975.

BAUDRILLARD, Jean. Tela total. Porto Alegre: Sulina, 1997.

BRANDÃO, Ruth Silviano. Literatura e psicanálise. Porto Alegre: UFRGS, 1996.

CHIAMPI, Irlemar. O realismo maravilhoso. São Paulo: Perspectiva, 1980.

DACANAL, José Hildebrando. Nova narrativa épica no Brasil. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1988.

______. Era uma vez a literatura. Porto Ale gre: UFRGS, 1995.

DANTAS, José Maria de Souza. Novo manual de literatura: Análise de textos literários e não literários. Rio de Janeiro: Difel, 1979.

FERNANDEZ, Dominique. O ouro dos Trópicos: Passeio pelo Portugal e o Brasil barrocos. Porto Alegre: Sulina, 1996.

FREYRE, Gilberto. Heróis e vilões no romance brasileiro: em torno das projeções de tipos sócio-antropológicos em personagens de romances nacionais do século XIX e atual. São Paulo: Cultrix/Edusp, 1979.

JOSEF, Bella Karacuchanski. História da literatura hispanoamericana. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1989.

LORENZ, Günter W. Diálogo com a América Latina: panorama de uma literatura do futuro. São Paulo: E.P.U., 1973.

MOREIRA, Sônia Virgínia. Rádio Palanque – fazendo política no ar. Rio de Janeiro: Mil Palavras, 1998.

MORIN, Edgar. O Método I. A natureza da natureza. (S.L.): Europa-América, 1991.

______.”Da necessidade de um pensamento complexo”. In MARTINS, Fran cis co Menezes e SILVA, Juremir Machado da. (org.) Para navegar no século XXI - Tecnologias do imaginário e cibercultura. Porto Alegre: Sulina/Edipucrs, 1999.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. São Paulo, Nova Fronteira, 1984.

VASCONCELOS, Sandra Guardini Teixeira. Os mundos de Rosa. Disponível em: http://www.klickescritores.com.br/imortais.htm. 1998.

VILLAÇA, Nízia. Paradoxos do pós-moderno: sujeito & ficção. Rio de Janeiro: UFRJ, 1996.

Publicado
2008-04-10
Como Citar
Coiro Moraes, A. L. (2008). Guimarães Rosa é uma pérola perfeita: carta ao doutor Dominique Fernandez. Revista FAMECOS, 8(15), 63-73. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2001.15.3121
Seção
Imaginário