O retrato da tristeza. A representação do sujeito público na carte-de-visite oitocentista na Coleção Francisco Rodrigues.

Palavras-chave: Fotografia, Retrato, Cultura visual

Resumo

O texto problematiza o alinhamento dos códigos visuais no retrato oitocentista, sobretudo no formato da carte de visite, a uma ordem mais ampla de códigos sociais que disciplinam a forma de apresentação da imagem pública do sujeito. Toma como dado inicial a ausência do riso nas fotografias da coleção como um elemento impositivo para a composição visual do retrato oitocentista. Tem como corpus de análise as fotografias da Coleção Francisco Rodrigues, abrigada na Fundação Joaquim Nabuco, em Recife. Destarte, o objetivo é compreender, usando a abordagem historiográfica e iconográfica, a interdependência e complementariedade existente entre o entorno social e a fotografia. Tal situação produz um contrato entre o fotógrafo, o sujeito e a pose como articulação que vai gerir a autoimagem projetada do sujeito e orientar os protocolos de encenação para a câmera.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José da Silva Jr., Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco.
Professor Associado I ­ DCOM-­PPGCOM ­ Universidade Federal de Pernambuco. Possui Pós-­doutorado na Universidade Pompeu Fabra, Barcelona, Espanha (2011). Doutorado em Comunicação e Cultura Contemporânea pela Universidade Federal da Bahia (2006). Mestrado em Comunicação e Cultura Contemporânea pela Universidade Federal da Bahia (2000). Graduação em Jornalismo pela UFPE (1992).

Referências

ABREU, Regina. Museus etnográficos e práticas de colecionamento: antropofagia dos sentidos. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro, n. 31, p. 100-125, 2005.

ARAÚJO, Rita de Cássia Barbosa de; MOTTA, Teresa Alexandrina. Retratos Multifacetados. In: ARAÚJO, Rita de Cássia Barbosa de; MOTTA, Teresa Alexandrina (orgs). O retrato e o tempo: coleção Francisco Rodrigues, 1840-1920. Recife: Editora Massangana, 2015.

BARTHES, Roland. A Câmera Clara. Lisboa: Edições 70, 1989.

BAXANDALL, Michael. Padrões de intenção: a explicação histórica dos quadros. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

BENJAMIN, Walter. Sobre o Conceito de História. In: Magia e Técnica, Arte e Política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 2012.

BONI, Paulo César. O discurso fotográfico: a intencionalidade de comunicação no fotojornalismo. 2000. 306f. Tese (Doutorado em Comunicação) - Escola de Comunicação e Artes, USP, 2000.

FABRIS, Annateresa. Identidades Virtuais: uma leitura do retrato fotográfico. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2004.

LISSOVSKY, Maurício. Guia prático das fotografias sem pressa. In: HEYNEMANN, Claudia Beatriz; RAINHO, Maria do Carmo Teixeira. Retratos Modernos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005.

MACHADO, Arlindo. A ilusão especular: introdução à fotografia. São Paulo: Brasiliense, 1984.

MAUAD, Ana Maria. Opulência e distinção social nas fotografia da Coleção Francisco Rodrigues. In: ARAÚJO, Rita de Cássia Barbosa de; MOTTA, Teresa Alexandrina (orgs). O retrato e o tempo: coleção Francisco Rodrigues, 1840-1920. Recife: Editora Massangana, 2015.

OURIQUES, Evandro; PELEGRINO, Nadja. Apresentação. In: FREYRE, Gilberto; PONCE DE LEON, Fernando; VASQUES, Pedro. O retrato brasileiro: fotografias da coleção Francisco Rodrigues, 1840-1920. Rio de Janeiro: Funarte, 1983.

ROUILLE, André. A Fotografia entre documento e arte contemporânea. São Paulo: SENAC, 2009.

SANDER, August. August Sander: En photographie, il n’existe pas d’ombres que l’on ne puisse éclarier. Paris: Centre National de la Photographie, 1995.

Publicado
2017-03-24
Como Citar
Silva Jr., J. da. (2017). O retrato da tristeza. A representação do sujeito público na carte-de-visite oitocentista na Coleção Francisco Rodrigues. Revista FAMECOS, 24(2), ID25468. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2017.2.25468
Seção
Mídia e Cultura