Communication breakdown: a cobertura do show de Robert Plant no festival Lollapalooza à luz do fait divers

  • Fábio Cruz UFPel
  • Guilherme Oliveira Curi Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Rock, fait divers, jornalismo opinativo

Resumo

Com base em duas matérias publicadas no Portal Terra e no site do G1, propomos, neste artigo, a execução de um estudo da estrutura de linguagem do referido corpus analítico sobre o show do cantor inglês Robert Plant e sua banda Sensational Space Shifters no festival Lollapalooza, São Paulo, em março de 2015. Para tanto, adotamos como norte teórico os pressupostos da semiologia, de Roland Barthes (1971), fixada na produção de sentido, em nível verbal, através do tipo de informação. A investigação conta com as noções de fait divers e será conduzida pelo método estruturalista.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Cruz, UFPel
Pós-doutor em Direitos Humanos, Mídia e Movimentos sociais (Universidade Pablo de Olavide – Sevilha/Espanha). Doutor em Cultura Midiática e Tecnologias do Imaginário (PUCRS). Professor do curso de graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Pelotas (UFPel).
Guilherme Oliveira Curi, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Mestre em Sociologia pela University College Dublin. Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e pesquisador do Programa Nacional de Apoio à Pesquisa da Fundação Biblioteca Nacional. Integrante do Grupo de Pesquisa Diaspotics.

Referências

BARTHES, Roland. Ensaios críticos. Lisboa: Edições 70, 1971.

_____. Sistema da moda. São Paulo: Nacional/USP, 1979.

_____. Aula. São Paulo: Cultrix, 1997.

BERTOCCHI, Daniela. Gêneros jornalísticos em espaços digitais. In: IV Congresso da Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação, 2005, Aveiro. Anais... Aveiro, Portugal: Universidade de Aveiro, 2005. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/bertocchi-daniela-generos-jornalisticos-espacos-digitais.pdf Acesso em: 27 abr. 2015.

BONINI, Adair. Os gêneros do jornal: o que aponta a literatura da área de comunicação no Brasil? In: Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, v. 4, n. 1, p. 205-231, jul./dez. 2003. Disponível em: https://www.portaldeperiodicos.unisul.br/ojs/index.php/Linguagem_Discurso/article/view/263/277 Acesso em: 6 abr. 2015.

CAMPO, Pedro Celso. Gênero Opinativo. In Observatório de Imprensa OnLine, 2001. Disponível em: www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos/da010520026.htm Acesso em: 6 abr. 2015.

CARVALHO, Tatiane. E. M.; GURGEL, Eduardo Amaral. Gêneros jornalísticos no ciberespaço: estudo sobre os portais UOL e G1. In: XXXIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2010, Caxias do Sul. Anais... Caxias do Sul: Intercom, 2010. Disponível em: http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2010/resumos/R5-0847-1.pdf Acesso em: 27 abr. 2015.

COSTA, Lailton Alves da. Jornalismo Brasileiro: a teoria e a prática dos gêneros jornalísticos em cinco jornais do país. In: XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2007, Santos. Anais... Santos: Intercom, 2007. Disponível em: http://encipecom.metodista.br/mediawiki/images/1/10/GT4-_17-Jornalismo_brasileiro-_Lailton.pdf Acesso em: 06 abr. 2015.

CRUZ, Fábio Souza da. Os movimentos sociais e a mídia em tempos de globalização: um estudo das abordagens de jornais brasileiros e espanhóis sobre o MST e os direitos humanos. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/12902/8607 Acesso em: 4 maio 2015.

DEMO, Pedro. Metodologia científica em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 1992.

KINDERMANN, Conceição. O estudo dos gêneros no jornal: o caso da reportagem. In: ENCONTRO DO CELSUL, 5., p. 352-359, 2003. Disponível em: http://www.celsul.org.br/Encontros/05/pdf/047.pdf Acesso em: 6 abr. 2015.

LAGE, Nilson. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. São Paulo: Record, 2001.

MARTINS, Maria Angélica Seabra Rodrigues. Discurso, ideologia e persuasão no jornalismo opinativo. Estudos Linguísticos, São Paulo, p. 493-507, set./dez. 2009. Disponível em: http://gel.locaweb.com.br/estudoslinguisticos/volumes/38/EL_V38N3_39.pdf Acesso em: 6 abr. 2015.

MEDINA, Jorge Lellis Bomfim. Gêneros Jornalísticos: repensando a questão. Revista SymposiuM, ano 5, n. 1, , p. 45-55, jan.-jun. 2001. Disponível em: http://www.maxwell.vrac.pucrio.br/3196/3196.PDF Acesso em: 6 abr. 2001.

MIGUERES, Luisa. Portal de notícias Terra. Disponível em: http://musica.terra.com.br/lollapalooza/robert-plant-arrepia-fas-do-zeppelin-e-mostra-vigor-nololla,fc68f9005a26c410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html Acesso em: 28 abr. 2015.

RAMOS, Roberto. Anotações de sala de aula. Porto Alegre: PUCRS, 1999.

REES, Paul. Robert Plant: uma vida. São Paulo: LeYa, 2014.

SUZUKI, Shin Oliva. Robert Plant acerta na performance e no blues e escorrega no toque étnico. Portal de notícias G1. Disponível em: http://g1.globo.com/musica/lollapalooza/2015/noticia/2015/03/robert-plant-acerta-na-performance-e-no-blues-e-escorrega-no-toque-etnico.html Acesso em: 28 abr. 2015.

WILLIAMSON, Nigel. O guia do Led Zeppelin. São Paulo: Aleph, 2011.

Publicado
2015-09-08
Como Citar
Cruz, F., & Curi, G. O. (2015). Communication breakdown: a cobertura do show de Robert Plant no festival Lollapalooza à luz do fait divers. Revista FAMECOS, 22(4), 71-85. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2015.4.21316
Seção
Jornalismo