O rádio e a relação com o ouvinte no cenário de convergência: uma proposta de classificação dos tipos de interatividade

  • Mirian Quadros Universidade Federal de Santa Maria
  • Debora Cristina Lopez Universidade Federal de Ouro Preto
Palavras-chave: Interatividade, Análise de conteúdo, Rádio expandido

Resumo

O presente artigo reflete sobre a interatividade no rádio no contexto da convergência, partindo das noções de rádio hipermidiático e rádio expandido. Discute o conceito de interatividade, aplicando-o ao meio radiofônico e às novas possibilidades de interação entre emissoras e ouvintes, por meio da utilização de diferentes recursos tecnológicos. Através de um olhar qualitativo sobre a análise de conteúdo dos espaços de interação (redes sociais na internet, sites e programação hertziana) das rádios CBN e Gaúcha, sistematiza, em uma perspectiva propositiva, as ferramentas e espaços ocupados. Levando em consideração que o rádio hoje atua em diferentes plataformas midiáticas, o artigo apresenta como resultado principal uma proposta de classificação dos tipos de interatividade e participação, buscando abranger as diferentes ferramentas utilizadas, as formas de interação mediada e a influência dessas interações no conteúdo sonoro. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mirian Quadros, Universidade Federal de Santa Maria
Mestre e doutoranda em Comunicação Midiática pela Universidade Federal de Santa Maria. Integra o Grupo de Pesquisa Convergência e Jornalismo (ConJor). Bolsista Capes.
Debora Cristina Lopez, Universidade Federal de Ouro Preto
Doutora em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia. Atualmente desenvolve estágio pós-doutoral junto à Universidade Estadual do Rio de Janeiro. É professora dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Ouro Preto e da Universidade Federal de Santa Maria, onde atua como colaboradora. Coordena o Grupo de Pesquisa Convergência e Jornalismo (ConJor).

Referências

BOLTER, Jay David; GRUSIN, Richard. Remediation: understanding news media. Cambridge: The MIT Press, 2000.

BRECHT, Bertolt. Teoria do rádio (1927-1932). In: MEDITSCH, Eduardo (Org.). Teorias do rádio: textos e contextos. v. 1. Florianópolis: Insular, 2005. p. 35-45.

CEBRIÁN HERREROS, Mariano. La radio en la convergência multimedia. Barcelona: Gedisa, 2001.

______. Modelos de radio, desarrollos e innovaciones. Del diálogo y participación a la interatividad. Madrid: Editorial Fragua, 2007.

______. La radio em internet. Buenos Aires: La Crujía, 2008

FERRARETTO, Luiz Artur. Rádio: o veículo, a história e a técnica. Porto Alegre: Ed. Sagra Luzzatto, 2001.

FIDLER, Roger. Mediamorfosis: comprender los nuevos medios. Buenos Aires: Ediciones Granica, 1998.

FRAGOSO, Suely. De interações e interatividade. In: X Compós, 2001, Brasília. Anais do X Encontro Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação. Brasília: Compós, 2001.

HERRERA DAMAS, Suzana. El antes y el ahora de la participación de los oyentes en los programas de radio. Sphera Publica – Revista de Ciencias Sociales y de la Comunicación. n.5, p. 293-307,

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. 2. ed. São Paulo: Aleph, 2009.

KISCHINHEVSKY, Marcelo. Radiojornalismo comunitário em mídias sociais e microblogs: circulação de conteúdos publicados no portal RadioTube. Estudos em Jornalismo e Mídia. v. 9, n. 1, p. 136-148, jan-jun.2012.

KLÖCKNER, Luciano. Nova retórica e rádio informativo: estudo das programações das emissoras TSF-Portugal e CBN-Brasil. Porto Alegre: Evangraf, 2011.

KOCHHANN, Roscéli; FREIRE, Marcelo; LOPEZ, Debora. Convergência tecnológica, dispositivos multiplataforma e rádio: uma abordagem histórico-descritiva. In: KLÖCKNER, Luciano; PRATA, Nair (orgs.). Mídia sonora em 4 dimensões: 1ª ouvintes e falantes, 2ª memória política, 3ª programas de rádio, 4ª tecnologia e futuro. Porto Alegre: ed PUCRS, 2011. p. 281-296.

LOPEZ, Debora Cristina. Radiojornalismo hipermidiático: tendências e perspectivas do jornalismo de rádio all news brasileiro em um contexto de convergência tecnológica. Covilhã, Portugal: LabCom, 2010. Disponível em: http://www.livroslabcom.ubi.pt/pdfs/20110415-debora_lopez_radiojornalismo.pdf. .

ORTRIWANO, Gisela Swetlana. Rádio: interatividade entre rosas e espinhos. Novos Olhares, n.2, p. 13-30, 1998. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/novosolhares/article/view/51314/55381

PRADO, Emilio. Estrutura da informação radiofônica. São Paulo: Summus, 1989.

PRATA, Nair. Webradio: novos gêneros, novas formas de interação. Florianópolis: Insular, 2009.

PRIMO, Alex. Interação mediada por computador. 3. ed. Porto Alegre: Sulina, 2011.

QUADROS, Mirian Redin de. O ouvinte no rádio: uma análise histórico-descritiva da interatividade radiofônica. In: XIX Encontro Nacional de História da Mídia, 2013, Ouro Preto. Anais... Ouro Preto: Alcar/UFOP, 2013a, p. 1-15.

______. As redes sociais no jornalismo radiofônico: as estratégias interativas adotadas pelas rádios Gaúcha e CBN. 2013. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação Midiática, Faculdade de Comunicação Social, UFSM, Santa Maria, 2013b.

RAFAELI, Sheizaf. Interactivity: from new media to communication. Sage Annual Re-view of Communication Research: Advancing Communication Science. Beverly Hills: Sage, 1988, p. 110-134. Disponível em: http://gsb.haifa.ac.il/~sheizaf/interactivity/. Acesso em: 13. jul. 2012.

SANTAELLA, Lucia. Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. São Paulo: Paulus, 2004.

ZUCULOTO, Valci. No ar: a história da notícia de rádio no Brasil. Florianópolis: Insular, 2012.

Publicado
2015-07-15
Como Citar
Quadros, M., & Lopez, D. C. (2015). O rádio e a relação com o ouvinte no cenário de convergência: uma proposta de classificação dos tipos de interatividade. Revista FAMECOS, 22(3), 164-181. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2015.3.20523
Seção
Rádio