Poéticas e políticas para criação de memórias culturais em ambientes programáveis

  • Carlos Henrique Rezende Falci Universidade Federal de Minas Gerais
  • Luciana Andrade Gomes Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Memórias comunicativas, Memórias culturais, Ambientes programáveis

Resumo

O propósito deste texto é investigar as questões poéticas e políticas envolvidas na criação de objetos de memória em ambientes programáveis. Discute-se a relação entre memórias comunicativas e culturais e o modo como elas são produzidas nas redes sociotécnicas. Nesses ambientes, em função da forma como eles permitem agregações e combinações, o político se mostra como algo manipulável, aberto, que pode ser retorcido e subvertido. É na falta de compromisso com o factual e na abertura para o imaginário que surge o cruzamento entre o político e o poético. A criação poética é entendida a partir do uso de metadados e do comportamento dos ambientes programáveis. Eles realizariam a passagem entre memória comunicativa e cultural e entre o político e o poético.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Henrique Rezende Falci, Universidade Federal de Minas Gerais
Professor Adjunto III da Universidade Federal de Minas Gerais, atuando no programa de Pós-Graduação em Artes Visuais, no Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social e no curso de Cinema de Animação e Arte Digital. Atualmente pesquisa poéticas e políticas da memória em ambientes programáveis.
Luciana Andrade Gomes, Universidade Federal de Minas Gerais
Mestre em Teoria da Literatura pelo programa de Pós-graduação em Estudos Literários da Faculdade de Letras da UFMG (2011). Pós-graduada em História da Cultura e da Arte pelo Departamento de História da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da mesma instituição (2007). Graduada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, habilitação em jornalismo (2006). Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Narrativas e Teorias da Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: arte e mídia, intermidialidade, poéticas audiovisuais, cinema, memória, cibercultura, marketing digital e mídias sociais.

Referências

ASSMAN, Jan. Collective memory and cultural identity. New German Critique, n. 69, p. 125-133, 1995.

BROCKMEIER, Jens. Remembering and forgetting: narrative as cultural memory. Culture & Psychology, v. 8, n. 1, p. 15-43, 2002.

BRUNO, Fernanda Glória. Rastros Digitais: o que eles se tornam quando vistos sob a perspectiva da teoria ator-rede? In: XXI Encontro Anual da Compós, Universidade Federal de Juiz de Fora, 12 a 15 de junho de 2012. Disponível em: http://www.compos.org.br/. Acesso em: 1 set. 2012.

COUCHOT, Edmond. A tecnologia na arte: da fotografia à realidade virtual. Porto Alegre: UFRGS, 2003.

DERRIDA, Jacques. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Rio de Janeiro: Delume Dumará, 2001.

FEATHERSTONE, Mike. Archiving cultures. In: British Journal of Sociology, 2000. p. 161-183. Disponível em: http://chnm.gmu.edu/courses/rr/f01/cw/archiving.pdf. Acesso em: 1 set. 2012.

HOSKINS, Andrew. The digital distribution of memory, 2009. Disponível em: http://www.inter-disciplinary.

net/wp-content/uploads/2009/03/hoskins-paper.pdf. Acesso em: 23 jan. 2010.

HUYSSEN, Andreas. Seduzidos pela memória. Arquitetura, monumentos, mídia. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2000.

IGARZA, Roberto. Nuevas formas de consumo cultural: por qué las redes sociales están ganando la batalla de las audiências. In: Revista Comunicação, mídia e consumo, São Paulo: ESPM, ano 7, v. 7, n. 20, 2010.

LATOUR, Bruno. Reagregando o social: uma introdução à Teoria do Ator-Rede. Bahia: EDUFBA, 2012.

______. Se falássemos um pouco de política? In: Política e Sociedade – Revista de Sociologia Política, Florianópolis: UFSC, v. 3, n. 4, p. 11-12, 2004.

LEROI-GOURHAN, André. O gesto e a palavra. Lisboa: Edições 70, 1990.

NEVES, José Pinheiro. O apelo do objeto técnico. Porto: Campos das Letras, 2006.

RANCIÈRE, Jacques. O desentendimento: política e filosofia. São Paulo: 34, 1996.

SANTAELLA, Lucia; LEMOS, Renata. Redes sociais digitais: a cognição conectiva do Twitter. São Paulo: Paulus, 2010.

SARLO, Beatriz. O animal político na web. In: Serrote – Revista de ensaios, artes visuais, ideias e literatura. São Paulo: Instituto Moreira Salles, n. 7, mar. 2011.

______. Tempo passado: cultura da memória e guinada subjetiva. São. Paulo: Companhia das Letras, 2007.

SIBILIA, Paula. O show do eu: a intimidade como espetáculo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

VAN DIJCK, José. Mediated memories in the digital age. Stanford: Stanford University Press, 2007.

Publicado
2015-02-04
Como Citar
Falci, C. H. R., & Gomes, L. A. (2015). Poéticas e políticas para criação de memórias culturais em ambientes programáveis. Revista FAMECOS, 21(3), 1041-1061. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2014.3.15404
Seção
Cibercultura