Autogerenciamento e capital humano em questão

  • Lúcia Loner Coutinho Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Comunicação, capitalismo, mídia

Resumo

Éfácil pensar no neoliberalismo apenas através de seu viés econômico, esquecendo-se do reflexo cultural de tal doutrina tão arraigada ao mundo globalizado. Uma das formas em que vemos a influência deste ideário econômico, em áreas antes contempladas pelas humanidades, são as teorias do capital humano, que veem o homem como empreendedor de si mesmo, seu próprio capital. A incorporação de tais teorias pela mídia é o tema de A promoção do capital humano: mídia, subjetividades e o novo espírito do capitalismo, organizado por João Freire Filho e Maria das Graças Pinto Coelho, professores, respectivamente, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O livro traz 13 artigos que versam sobre diferentes formas em que a capitalização das relações e das qualidades humanas têm sido exploradas midiaticamente, pedagogicamente e culturalmente em nossa sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lúcia Loner Coutinho, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS.

Referências

FREIRE FILHO, João; COELHO, Maria das Graças Pinto (Org.). A promoção do capital humano: mídia, subjetividade e o novo espírito do capitalismo. Porto Alegre: Sulina, 2011.

Como Citar
Coutinho, L. L. (2013). Autogerenciamento e capital humano em questão. Revista FAMECOS, 20(2), 540-545. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2013.2.15133
Seção
Resenha