O Rio contra o crime: relatos de uma “guerra” televisionada

  • Kleber Mendonça UFF
Palavras-chave: Telejornalismo, violência urbana, interações discursivas

Resumo

A partir da análise de reportagens veiculadas pela TV Globo durante a ocupação militar do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, reflete-se, aqui, acerca das formas de interação discursiva propostas pela emissora. Em particular, fixaremos nosso olhar na relação entre as fontes e a instância jornalística e nos modos como foram concedidas, a esses sujeitos, possibilidades de participação no relato dos fatos. A hipótese que a análise empírica permite estabelecer é a de que a “interação”, proposta/imposta pela forma como a TV Globo tratou o acontecimento, limitou a visibilidade de algumas vozes naquela que deveria ser uma arena pública plural. Parte-se, aqui, da perspectiva teórica que pensa a comunicação como produto do embate entre interlocutores, no qual se dá um complexo processo de produção de efeitos de sentido entre sujeitos em constante e conflituosa interação dialógica, impregnada, portanto, de gestos de dominações, recusas, antecipações e convencimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BORGES, Wilson. Criminalidade no Rio de Janeiro: a imprensa e a (in)formacão da realidade. Rio de Janeiro: Revan, 2006.

COIMBRA, Cecília. Operação Rio: o mito das classes perigosas – um estudo sobre a violência urbana, a mídia impressa e os discursos de segurança pública. Rio de Janeiro: Oficina do Autor/Intexto, 2001.

CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano. 1 Ed. Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

DAEMON, Flora. Sujeitos do crime e da notícia: casos PCC e Liga da Justiça e as apropriações da arena midiática contemporânea. Revista InTexto, Porto Alegre, v. 2, p. 1-16, 2011.

ENDE, Michael. O espelho no espelho. São Paulo: Marco Zero, 1989.

MENDONÇA, Kleber. O Imperador da Chatuba: o jogador Adriano entre a delinquência e o discurso de “pacificação” da cidade. In: XXXIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2010, Caxias do Sul. Anais... Caxias do Sul: Intercom, 2010a.

______. Entre as áreas de risco e a localização privilegiada: o jornalismo carioca “descobre” as favelas. In: VIII Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, 2010, São Luís. Anais... São Luís: SBPJor, 2010b.

______. A inversão do olhar: perspectivas para a análise de discurso nos estudos da comunicação. Revista Líbero, São Paulo, v. 13, n. 26, p. 39-50, 2010c.

ORLANDI, Eni. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes, 2009.

______. Cidade dos sentidos. Campinas: Pontes, 2004.

______. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. Campinas: Unicamp, 1992.

SOARES, Luiz Eduardo. A crise no Rio e o pastiche midiático. Blog Luiz Eduardo Soares, nov. 2010. Disponível

em: http://luizeduardosoares.blogspot.com/2010/11/crise-no-rio-e-o-pastiche-midiatico.html

STEIN, Gertrude. Autobiografia de todo mundo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1983.

Como Citar
Mendonça, K. (2012). O Rio contra o crime: relatos de uma “guerra” televisionada. Revista FAMECOS, 19(1), 124-145. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2012.1.11344
Seção
Jornalismo