The role of older women in health promotion: Conversation wheels in the community

  • Camila Fabiana Lemos Francescato Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul- UNIJUÍ
  • Vivian Steffen Heimerdinger Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa - FUMSSAR
  • Valéria Baccarin Ianiski Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul- UNIJUÍ
  • Arlete Regina Roman Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul- UNIJUÍ
Keywords: primary health care, elderly, self-care, group structure, personal autonomy.

Abstract

The purpose of this study was to understand how users who frequent talk in the community exercised the leading role, using the knowledge acquired in the wheels and how they multiply this information in the promotion of health care. This is a qualitative, descriptive research that interviewed eight elderly women (60 years old or more) of the community, belonging to different micro areas of a health territory, from a municipality in the interior of the state of Rio Grande do Sul/BR, during The month of September 2016. They should have participated in at least four rounds of conversation in the coming year. They answered a questionnaire with open and closed questions. The interviews were analyzed according to the assumptions of the content analysis proposed by Minayo (2010) and the results were organized by categories of analysis, considering the steps of pre-analysis, material exploration and treatment and interpretation of the results. It is concluded that the wheels of conversation as active methodology and light technology of care generate benefits in the promotion of self-care, transforming the daily life of the individuals who participate and the social and family environment to which they are inserted, occupying them, the role of multiplier agents Of knowledge in their venues. In addition, the space of the conversation wheel was a collective construction site, which elevates harmonious relations with the health team, strengthening therapeutic ties and the protagonism of the users involved.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Camila Fabiana Lemos Francescato, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul- UNIJUÍ

Enfermeira, residente do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família UNIJUÍ/FUMSSAR. Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio
Grande do Sul – UNIJUÍ

Vivian Steffen Heimerdinger, Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa - FUMSSAR
Psicóloga, preceptora de campo do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família UNIJUÍ/FUMSSAR.
Valéria Baccarin Ianiski, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul- UNIJUÍ
Nutricionista, profissional de saúde residente do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família UNIJUÍ/FUMSSAR. Departamento de Ciência da Vida - DcVida.
Arlete Regina Roman, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul- UNIJUÍ
Enfermeira, orientadora tutora do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família UNIJUÍ/FUMSSAR. Departamento de Ciências da Vida- DcVida

References

Tasca R. (Coord.). A atenção à saúde coordenada pela APS: construindo as redes de atenção no SUS - Contribuições para o debate. Organização Pan-Americana da Saúde. [Internet]. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2011.113 p. (NAVEGADORSUS 2). [Citado em 2016 20 de novembro]. Disponível em:< http://www.paho.org/bra/index.php?option=com_docman&view=download&alias=1366-a-atencao-a-saude-coordenada-pela-aps-construindo-as-redes-atencao-no-sus-serie-navegadorsus-n-2-6&category_slug=serie-navegadorsus-239&Itemid=965>.

Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. [Internet]. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2012. 512p. [Citado em 2016 20 de novembro]. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cuidado_condicoes_atencao_primaria_saude.pdf>.

Ministério da Saúde. Brasil. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. [Internet]. Brasília, 2006. [Citado em 2016 20 de novembro]. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/envelhecimento_saude_pessoa_idosa_n19.pdf>.

Ministério da Saúde. Brasil Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: obesidade. [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde, 2014. 212 p.: il. [Citado em 2016 12 de novembro]. Disponível em:<http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estrategias_cuidado_doenca_cronica_obesidade_cab38.pdf>.

Merhy EE. Em busca do tempo perdido: a micropolítica do trabalho vivo. In: Merhy EE, Onocko R. (Orgs.). Agir em saúde: um desafio para o público. São Paulo: Hucitec, 2007. p.71-112.

Ministério da Saúde. Brasil. Política Nacional de Atenção Básica. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. [Internet]. Brasília, 2012. [Citado em 2016 26 de novembro]. Disponível em: < http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf>.

Dias VP, Silveira DT, Witt RR. Educação em saúde: o trabalho de grupos em atenção primária. Rev. APS, 2009. abr./jun. v. 12, n. 2, p. 221-227.

Campos GWS. Saúde Paidéia. São Paulo: Hucitec, 2010.

Brasil. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para assuntos jurídicos. Lei n° 11.129 de 30 de junho de 2005. Institui a Residência em Área Profissional de Saúde e cria a Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde - CNRMS. 2005. [Internet]. [Citado em 2016 10 de dezembro]. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Lei/L11129.htm>.

Tajra I. Roda de conversa como instrumento para criação de grupos de interação social e educacional em saúde relato de experiência [monografia]. Teresina (PI): Universidade Federal Do Rio Grande Do Sul - UFRGS, Escola de Enfermagem; 2015.

Minayo MCS (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 29. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

Rozendo AS, Justo JS, Correa MR. Protagonismo político e social na velhice: cenários, potências e problemáticas. Revista Kairós Gerontologia, 2010, jun, São Paulo, 13 (1): 35-52.

Campos GWS, Figueiredo MD, Pereira Júnior N, et al. Application of Paideia methodology to institutional support, matrix support and expanded clinical practice. Interface (Botucatu). 2014; 18 Supl 1:983-95.

Freire P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25ª. ed. Coleção Leitura. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

Ministério da Saúde. Brasil. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde Mental. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. [Internet]. Brasília/DF: Ministério da Saúde, 2013. [Citado em 2016 10 de dezembro]. Disponível em:<http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cadernos_atencao_basica_34_saude_mental.pdf>.

Lopes RF, Lopes MTF, Camara VD. Entendendo a solidão do idoso. RBCEH, Passo Fundo, 2009. set./dez. v. 6, n. 3, 373-381.

Fekete GM. O envelhecimento da população mundial resumo. Web artigos. [Internet]. 2010. [Citado em 2016 20 de novembro]. Disponível em: <http://www.webartigos.com/artigos/o-envelhecimento-da-populacao mundial/37908/#ixzz4QpgS0wWD>.

Baquero RVA. A situação das Américas: democracia, capital social e Empoderamento. Empoderamento: instrumento de emancipação social? – uma discussão conceitual. Revista Debates, 2012. jan.-abr, Porto Alegre, v. 6, n.1, 173-187.

Meneguessi GM, Teixeira JPDS, Jesus CAC de, et al. Reabilitação na lesão medular: reflexão sobre aplicabilidade da teoria do déficit do autocuidado de orem. Rev. enferm. UFPE, 2012. [Internet] dez, v. 6, n.12, p.3006. [Citado em 2016 28de novembro]. Disponível em:<http://www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/viewFile/2801/pdf_1779>.

Sampaio J, Santos GC, Agostini M, et al. Limites e potencialidades das rodas de conversa no cuidado em saúde: uma experiência com jovens no sertão pernambucano. Interface, Botucatu, 2014, v.18, suppl. 2, 1299-1311.

Barata RB. Acesso e uso de serviços de saúde considerações sobre os resultados da Pesquisa de condições de vida 2006. São Paulo em Perspectiva, 2008, jul./dez, v. 22, n. 2, 19-29.

Bonetti OP, Pedrosa JIS, Siqueira TCA. Educação Popular em Saúde como política do Sistema Único de Saúde. Rev. APS, 2011, v. 14, n. 4, 397-407.

Ministério da Saúde. Brasil. Gabinete do Ministro. Portaria nº 2.761, de 19 de novembro de 2013. Institui a Política Nacional de Educação Popular em Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (PNEPS-SUS). [Internet]. Brasília, 2013a. [Citado em 2016 12 de novembro]. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt2761_19_11_2013.html>.

Patrocínio WP, Torres SVS, Guariento ME. Programa de educação popular em saúde: hábitos de vida e sintomas depressivos em idosos. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol, 2013. Rio de Janeiro, v. 16, n. 4, 781-792.

Published
2017-12-27
How to Cite
Francescato, C. F. L., Heimerdinger, V. S., Ianiski, V. B., & Roman, A. R. (2017). The role of older women in health promotion: Conversation wheels in the community. PAJAR - Pan American Journal of Aging Research, 5(2), 62-68. https://doi.org/10.15448//2357-9641.2017.2.28049
Section
Original Article