Entre a farda e o pince-nez: a influência da Academia Real Militar na formação do Exército brasileiro

  • Ana Paula Lima Tibola PUCRS
Palavras-chave: Exército, Império, Modernidade, História das Idéias.

Resumo

Este artigo tem por objetivo tratar da relação entre as concepções teóricas presentes no Estatuto da Academia Real Militar e o discurso do Exército expresso no jornal O Militar. Analisar essa conexão é um dos objetivos da pesquisa que desenvolvo no Programa de Pós-Graduação em História da PUC-RS, cuja problemática é entender como se deu a formação do Exército e sua participação na política luso-brasileira durante a primeira metade do século XIX. Ao falar sobre a formação desse corpo técnico do Estado, que é o Exército, procuro destacar o papel da Academia Real Militar, pois vejo na formação acadêmica dos militares o embasamento teórico da ideologia presente no discurso que proferiram no jornal O Militar. Portanto, levanto a hipótese de que existiu ampla participação do Exército na política luso-brasileira durante a primeira metade do século XIX e, que as movimentações políticas dos militares foram fomentadas pelo treinamento da Academia Militar, sendo essa instituição produto e elemento disseminador do pensamento militar da época, cuja base é o desenvolvimento e aplicação da ciência moderna.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Lima Tibola, PUCRS
A
Como Citar
Tibola, A. P. L. (2010). Entre a farda e o pince-nez: a influência da Academia Real Militar na formação do Exército brasileiro. Oficina Do Historiador, 1(1), 30-40. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/view/7009
Seção
Artigos