Mulheres, investigação de paternidade e justiça: cotidiano e provas (Belém, 1920-1940)

  • Ipojucan Dias Campos UFPA
Palavras-chave: Paternidade, família e bens

Resumo

O artigo possui como proposta de análise perceber como algumas mulheres e filhos adultos das décadas iniciais do século XX, na cidade de Belém, se articularam tanto no cotidiano quanto no bojo do judiciário para provarem paternidade; assim as interpretações giraram em torno de tramas e lutas de mulheres que constituíram famílias ditas à época “espúrias”, às margens do ato solene. Em conformidade, para estes encaminhamentos tomou-se como argumento a concepção de que o tempo de vida sob um mesmo teto sempre se demonstrou princípio indispensável aos que impetravam, aos impetrados, às testemunhas e aos juízes das demandas, porque era em seu interior (no do tempo de convivência) que se buscavam comprovar contatos íntimos e consequentes nascimentos que por razões várias (de o pai ser casado com outra mulher, por exemplo) os impúberes não foram registrados. Nesta seara, é de bom alvitre considerar que as(os) solicitantes em “nada” se sustentavam no desejo de possuir o sobrenome do pretendido genitor, mas sim no de resolver necessidades materiais, as quais poderiam ser “contornadas” por meio de herança e pensão alimentícia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ipojucan Dias Campos, UFPA
Doutor. Professor da Faculdade de História da Universidade Federal do Pará (UFPA/IFCH) e docente permanente do Programa de Pós-Graduação da em Ciências da Religião da Universidade do Estado do Pará (UEPA)

Referências

Referências bibliográficas

AYMARD, Maurice. “A comunidade, o Estado e a família. Trajetórias e tensões: amizade e convivialidade”. In: ARIÈS, Philippe & CHARTIER, Roger. (Orgs.). História da vida privada: da Renascença ao Século das Luzes. Vol. III. São Paulo: Companhia das Letras, 1991, p. 455-499.

CAMPOS, Ipojucan Dias. Casamento, custos e religiosidades: Belém, século XX (1916-1940). Revista Fronteiras, Campo Grande, v.12, n. 21, p. 179-201, jan/jun, 2010.

CASTAN, Nicole. O público e o particular. In: ARIÈS, Philippe & CHARTIER, Roger. (Orgs.). História da vida privada: da Renascença ao Século das Luzes. Vol. III. São Paulo: Companhia das Letras, 1991, p. 413-453.

CAULFIELD, Sueann. Em defesa da honra: moralidade, modernidade e nação no Rio de Janeiro (1918-1940). São Paulo: Editora da UNICAMP, 2000.

DIAS, Maria Odila Leite da Silva. Teoria e método dos estudos feministas: perspectiva histórica e hermenêutica do cotidiano. In: COSTA, Albertina de Oliveira & BRUSCHINI, Cristina. (Orgs.). Uma questão de gênero. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1992, p. 39-53.

FOUCAULT, Michel. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: NAU, 2003.

MARTIN-FUGIER, Anne. Os atores: os ritos da vida privada burguesa. In: PERROT, Michelle. (Org.). História da vida privada: da Revolução Francesa à Primeira Guerra. Vol. IV. São Paulo: Companhia das Letras, 1999, p. 193-261.

PERROT, Michelle. (Org.). Os atores: figuras e papéis. In: História da vida privada: da Revolução Francesa à Primeira Guerra. Vol. IV. São Paulo: Companhia das Letras, 2001, p. 121-192.

SENNETT, Richard. O declínio do homem público: as tiranias da intimidade. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

SILVA, Carmen da. O homem e a mulher no mundo moderno. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1968.

VAITSMAN, Jeni. Flexíveis e plurais: identidades, casamento e família em circunstâncias pós-modernas. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

VINCENT, Gérard. As diversidades culturais. Os católicos: o imaginário e o pecado. In: PROST, Antoine & VINCENT, Gérard. História da vida privada: da Primeira Guerra aos nossos dias. Vol. V. São Paulo: Companhia das Letras, 1995a, p. 393-425.

______. Uma história do segredo: segredos de família. In: PROST, Antoine & VINCENT, Gérard. História da vida privada: da Primeira Guerra aos nossos dias. Vol. V. São Paulo: Companhia das Letras, 1995b, p. 249-305.

ZENHA, Celeste. As práticas da justiça no cotidiano da pobreza. Revista Brasileira de História, Rio de Janeiro, v. 05, n. 10, p. 123-146, mar/ago, 1985.

Publicado
2018-01-11
Como Citar
Campos, I. D. (2018). Mulheres, investigação de paternidade e justiça: cotidiano e provas (Belém, 1920-1940). Oficina Do Historiador, 10(1), 78-96. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2017.1.26677