Para além do Atlântico Negro: problematizações sobre antirracismo e transnacionalismo no Brasil (1978-2010)

  • Rafael Petry Trapp Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Mozart Linhares da Silva UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC
Palavras-chave: Movimento Negro brasileiro. Transnacionalismo. Atlântico Negro.

Resumo

A partir da Conferência de Durban, em 2001, os movimentos antirracismo no Brasil sofreram significativa reestruturação, pois a participação do país nessa conferência propiciou uma nova perspectiva de ação política. Desde o final da década de 1970, o Movimento Negro tem exercido forte influência nas lutas antirracistas, ao adotar uma política não apenas denunciadora do racismo, mas propositiva, apontando para a urgência da revisão das posturas do Estado frente à chamada “questão racial”. Com a Conferência de Durban, o Brasil passou a se inserir no quadro transnacional do antirracismo, instituindo-se politicamente no espaço do Atlântico Negro, conceito de Paul Gilroy largamente utilizado para pensar o trânsito do pensamento intelectual afrodescendente no eixo África-América-Europa. Ao problematizar o Brasil no âmbito do Atlântico Negro, inquirimos as especificidades das relações étnicas na formação histórica do Brasil, que podem tensionar a utilização dessa categoria no contexto brasileiro. Durban, assim como o Atlântico Negro, instituem o internacionalismo no antirracismo no Brasil, provocando um debate sobre o particularismo da história nacional e o transnacionalismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Petry Trapp, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Mestrando em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS. Bolsista do CNPq.
Mozart Linhares da Silva, UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC
Doutor em História pela PUCRS. Professor do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGEDU) e do Departamento de História da UNISC e coordenador do Grupo de Pesquisa Identidade e Diferença na educação - CNPq.
Publicado
2012-10-17
Como Citar
Trapp, R. P., & Silva, M. L. da. (2012). Para além do Atlântico Negro: problematizações sobre antirracismo e transnacionalismo no Brasil (1978-2010). Oficina Do Historiador, 5(1), 35-54. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/view/11916
Seção
Artigos