O provérbio nas estórias de Guimarães Rosa e Mia Couto

  • Eduardo de Araújo Teixeira Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Provérbios, Literatura, Mia Couto, Guimarães Rosa, Comparada

Resumo

Este estudo analisa o emprego dos provérbios nas narrativas do brasileiro João Guimarães Rosa e do moçambicano Mia Couto. Além de indicarmos paralelas e tangentes deste uso nos dois autores, mostramos como a apropriação dos ditos populares (e sua posterior reelaboração), revelam vínculos profundos que ambos escritores estabelecem com seus universos socioculturais. Para além do resgate e respeito à tradição oral, comprovamos que o uso do provérbio nestes autores revela compromisso com a expressividade, uma postura crítica diante da linguagem, e questionamento ideológico das sociedades tematizadas em suas literaturas.

 

************************************************************************************************************************************************************************************************************

The proverbs in the stories of Guimarães Rosa and Mia Couto

Abstract: This study analyzes the use of proverbs in Brazilian narratives João Guimarães Rosa and the Mozambican Mia Couto. Besides we indicate parallel and tangent of this use in two authors, we show how the appropriation of popular sayings (and subsequent reworking), reveal deep ties that both writers establish with their social and cultural universes. In addition to the rescue and respect the oral tradition, we proved that the use of saying these authors reveals commitment to expression, a critical attitude to language, and ideological questioning of themed societies in their literature.

Keywords: Proverbs; Literature; Mia Couto; Guimarães Rosa; Comparative Literature

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALTUNA, Raul Ruiz de Asúa. Cultura tradicional bantu. Luanda: Edição do Secretariado Arquidiocesano de Pastoral, 1985.

AFONSO, Maria Fernanda. O conto moçambicano – escritas pós-coloniais. Lisboa: Editorial Caminho, 2004.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1987.

CALOBREZI, Edna Tarabori. Morte e alteridade em “Estas estórias”. São Paulo: Edusp, 2001.

CAVACAS, Fernanda. Mia Couto: pensamento e improvérbios. Lisboa: Mar Além/Instituto Camões, 2000.

CAVACAS, Fernanda. Mia Couto: acrediteísmos. Lisboa: Mar Além/Edição de Publicações/Instituto Camões, 2001.

COUTO, Mia. A varanda do frangipani. Lisboa: Editorial Caminho, 1995.

COUTO, Mia. Cada homem é uma raça (estórias). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.

COUTO, Mia. Contos do nascer da terra. Lisboa: Editorial Caminho, 1997.

COUTO, Mia. Cronicando. Lisboa: Editorial Caminho, 1991.

COUTO, Mia. Estórias abensonhadas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1996.

COUTO, Mia. Mar me quer. Lisboa: Editorial Caminho, 2004.

COUTO, Mia. O último voo do flamingo. Lisboa: Editorial Caminho, 2000.

COUTO, Mia. Raiz de orvalho e outros poemas. Lisboa: Editorial Caminho, 1999(b).

COUTO, Mia. Terra sonâmbula. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992.

COUTO, Mia. Vinte e zinco. Lisboa: Editorial Caminho, 1999(a).

COUTO, Mia. Vozes anoitecidas. Lisboa: Editorial Caminho, 1986.

JOLLES, André. Formas simples – legenda, saga, mito, adivinha, ditado, caso, memorável, conto, chiste. São Paulo: Cultrix, 1976.

ROSA, João Guimarães. Ave palavra. Rio de Janeiro: José Olympio, 1970.

ROSA, João Guimarães. Estas estórias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984(a).

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984(b).

ROSA, João Guimarães. Manuelzão e Miguilim. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984(c).

ROSA, João Guimarães. No Urubuquaquá, no Pinhém. Rio de Janeiro: José Olympio, 1976.

ROSA, João Guimarães. Noites do sertão. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1983.

ROSA, João Guimarães. Primeiras estórias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

ROSA, João Guimarães. Sagarana. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1971.

ROSA, João Guimarães. Tutaméia – terceiras estórias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1975.

SERRANO, Carlos. Símbolos do poder nos provérbios e nas representações gráficas Mambaya Manzangu dos Bawoyo de Cabinda Angola. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, v. 3, p. 137-146, 1993.

VELLASCO, Ana Maria de Moraes Sarmento. Introdução. Coletânea de provérbios e outras expressões populares brasileiras de provérbio. Disponível em: <http://www.deproverbio.com/display.php?a=4&f=DPbooks&r=VELLASCO/INTRODUCAO.html>.

Publicado
2015-10-06
Como Citar
Teixeira, E. de A. (2015). O provérbio nas estórias de Guimarães Rosa e Mia Couto. Navegações, 8(1), 57-63. https://doi.org/10.15448/1983-4276.2015.1.22061
Seção
Ensaios