O testemunho e a literatura

  • Kelvin Falcão Klein Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Palavras-chave: Testemunho, Literatura Contemporânea, Memória.

Resumo

O objetivo deste trabalho é refletir acerca das complicações que o conceito de testemunho traz para a definição do espaço literário na contemporaneidade. A partir desse cenário as reflexões de Beatriz Sarlo, Giorgio Agamben e Márcio Seligmann-Silva são utilizadas para situar o debate dentro das considerações acerca dos relatos testemunhais feitos por sobreviventes dos campos de extermínio nazistas. Com esse caso específico como pano de fundo, este trabalho também procura esmiuçar as relações que o testemunho estabelece com a cronologia, principalmente naquilo que tange à leitura possível do passado a partir do presente, uma percepção pautada pelo anacronismo, como é típico da narrativa testemunhal. É central para essa discussão a consideração acerca da subjetividade e do sujeito e como essas duas esferas se manifestam no discurso literário e testemunhal, seja a partir da primeira ou da terceira pessoa. A determinação desse ponto específico é revelador quando se trata da representação da memória e da experiência, conforme este trabalho procura mostrar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kelvin Falcão Klein, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Mestre em Literatura Comparada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Doutorando em Teoria Literária pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), sob orientação do Prof. Dr. Raul Antelo. Bolsista do CNPq.
Publicado
2010-12-21
Como Citar
Klein, K. F. (2010). O testemunho e a literatura. Letrônica, 3(1), 320-330. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/letronica/article/view/7088