Precursoriedade: uma proposta para pensar o cânone literário

  • Daniela Silva da Silva PUCRS
Palavras-chave: Precursoriedade, Cânone, História da Literatura

Resumo

Jorge Luis Borges conta que sempre quis escrever a respeito dos precursores de Franz Kafka. O resultado desse desejo é o ensaio intitulado “Kafka and his precursors” , publicado em Selected non-fictions . O autor argentino menciona que para tanto teve de passar algum tempo com Kafka e que em virtude isso pôde reconhecer “his voice, or his habits, in the texts of various literatures and various ages.” Fato é que, depois de conviver com o ensaio de Borges, fui motivada a escrever um artigo sobre os temas por ele alí discutidos. A esses temas darei o nome de vozes, pois assim como Borges, pude reconhecer algumas falas em seu texto, as quais permitem encaminhar discussões no campo dos estudos literários, mais especificamente, na área da História da Literatura, como o debate a respeito do cânone, por exemplo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Silva da Silva, PUCRS
Possui graduação em Letras pela Fundação Universidade Federal do Rio Grande (2004) e Mestrado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2006). Atualmente é bolsista de Doutorado do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Brasileira, atuando principalmente nos seguintes temas: Literatura Brasileira, História da Literatura e Estudos Culturais.
Publicado
2009-12-23
Como Citar
da Silva, D. S. (2009). Precursoriedade: uma proposta para pensar o cânone literário. Letrônica, 2(2), 127-136. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/letronica/article/view/5548