Literatura entre terras desiludidas: as alteridades distorcidas de Brasil e Portugal

  • Gabriela Richinitti Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Literatura lusófona, Migração, Estereótipo, Identidade.

Resumo

Brasileiros e portugueses têm em comum uma espécie de niilismo identitário: uma baixa autoestima que repercute em suas culturas e dificulta o posicionamento altivo no cenário global. A literatura, ao retratar os fluxos migratórios que ocorrem entre essas terras desiludidas, tem reforçado diversos estereótipos e percepções negativas acerca de ambos os países. Dessa forma, a efetivação de um intercâmbio cultural criativo entre os países se deixa abater pela infertilidade dos lugares-comuns. A breve análise de algumas obras exemplificativas ilustrará as constatações deste ensaio, reafirmando que a melhoria do diálogo intercultural depende da renovação das velhas narrativas.

Biografia do Autor

Gabriela Richinitti, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Mestranda em Escrita Criativa pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Pontifícia Universidade Católica do Rio Granade do Sul.

Referências

ALBUQUERQUE, José Augusto. Sessenta anos de política externa brasileira (1930-1990): crescimento, modernização e política externa. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, 2006.

ALMEIDA, Paulo Roberto de. Uma política externa engajada: a diplomacia do governo Lula. Revista Brasileira de Política Internacional, Brasília, v. 47, n. 1, 2004.

Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-73292004000100008>. Acesso em: 24 jun. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-73292004000100008

FREYRE, Gilberto. Casa-Grande & Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 52. ed. São Paulo: Global, 2013.

FONSECA, Ana Margarida. Em português nos entendemos? Lusofonia, literatura-mundo e as derivas da escrita. Configurações [online] n. 12, 2013, 27 out. 2014.

Disponível em:<http://configuracoes.revues.org/2041>. Acesso em: 16 ago. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.4000/configuracoes.2041

GOLDSTEIN Seltzer, Ilana. O Brasil best seller de Jorge Amado: literatura e identidade nacional. Rio de Janeiro: SENAC, 2000.

GONÇALVES, Hugo. Enquanto Lisboa arde, o Rio de Janeiro pega fogo. Lisboa: Casa das letras, 2013.

LINS, Paulo. Cidade de Deus. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

LOURENÇO, Eduardo. A Nau de Ícaro seguido de Imagem e Miragem de Lusofonia. Lisboa: Gradiva, 1999.

MATOZZI, Martina. Portugueses de torna-viagem: a representação da emigração na literatura portuguesa. 2016. Tese de doutoramento – Universidade de Coimbra.

Disponível em: <http://hdl.handle.net/10316/29114>. Acesso em: 01 nov. 2017.

MONTEIRO, Nuno Gonçalo; RAMOS, Rui; SOUSA, Bernardo Vasconcelos e. História de Portugal. Lisboa: A Esfera dos Livros, 2009.

PEDROSA, Inês. A eternidade e o desejo. Rio de Janeiro: Objetiva, 2008.

QUEIRÓS. Eça de. Notas contemporâneas.

Disponível em: <http://docs11.minhateca.com.br/928350692,BR,0,0,E%C3%A7a-de-Queir%C3%B3s---Notas-Contempor%C3%A2neas.pdf>. Acesso em: 11 nov. 2017.

REIS, Jaime. Causas históricas do atraso econômico português. In: TENGARRINHA, José (Org.). História de Portugal. Bauru: EDUSC; São Paulo: UNESP; Lisboa: Instituto Camões, 2000.

RODRIGUES, Nelson. À sombra das chuteiras imortais: crônicas de futebol. São Paulo: Cia. das Letras, 1993.

RUFFATO, Luiz. Estive em Lisboa e lembrei de você. São Paulo: Cia. das Letras, 2009.

SÁ-CARNEIRO, Mário de. Poesia reunida. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2014.

SILVA, André Luiz Reis da. O Brasil diante da globalização: a política externa do governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002). Revista Carta Internacional, Associação Brasileira de Relações Internacionais (ABRI). v. 7, n. 1, p. 20-34, jan.-jun. 2012.

Publicado
2018-12-19
Como Citar
Richinitti, G. (2018). Literatura entre terras desiludidas: as alteridades distorcidas de Brasil e Portugal. Letrônica, 11(3), 292-302. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2018.3.31199