“É tempo de morangos”: argumentação, discurso e enunciação em A hora da estrela, de Clarice Lispector

Palavras-chave: Argumentação, Enunciação, Pensamento do feminino, A hora da estrela.

Resumo

Esta proposta de trabalho justifica-se à medida que coloca a obra de Clarice Lispector em um novo contexto citacional, ainda mais se levarmos em conta, também, o quanto o “pensamento do feminino” (proposto por Carla Rodrigues em diálogo com a obra de Jacques Derrida), aqui, surge sob novas condições de linguagem, enveredando pelo plano temático e pela atualização discursiva dos enunciadores. Enquanto objetivo central, fortaleceremos o emprego de “enunciador”, não de “narrador”, como dispositivo de leitura da diegese, uma vez que destaca a questão da interpelação e do posicionamento da instância enunciadora diante da textualização discursiva, dando-lhe dimensão ideológica e argumentativa. Ou seja, propõe-se entender este “pensamento do feminino” como prática política diante da realidade, da circulação de verdades e da sociedade; o que, pela perspectiva do funcionamento discursivo, ajuda a pensar a ficção de Lispector como comprometida com o social, ainda que nem sempre pela via explícita, prática tão comum em boa parte do tempo em que a autora produziu e publicou.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jacob dos Santos Biziak, Instituto Federal do Paraná, Campus Palmas
Possui graduação em Letras (bacharelado e licenciatura) pela Universidade Estadual Paulista - Campus de Araraquara (2006), mestrado em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista - Campus de Araraquara (2009) e doutorado pela mesma instituição. Realizou pesquisa de pós-doutorado (2015-2017), na USP de Ribeirão Pretp/Laboratório Discursivo [email protected], sob a supervisão da Profa. Dra. Lucília Abrahão. Atualmente, é professor do Instituto Federal do Paraná (Colegiado e curso de Letras), campus Palmas, tendo já atuado como docente também no curso de Letras da Universidade Estadual Paulista - Campus de Araraquara. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura e Produção Textual. Realiza pesquisa de pós-doutorado, no Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UFRJ (sob supervisão da Profa. Dra. Carla Rodrigues), com o projeto A angústia que (não) se enuncia: uma articulação com o pensamento do feminino. De forma ampla trabalha com mais ênfase em psicanálise e filosofia como instrumentos de análise transversal do texto literário (em especial, a literatura contemporânea em língua portuguesa) e, também, interessa-se por pesquisas e extensão a respeito dos gêneros sexuais em linguagem e sociedade. Seus principais aportes teóricos de estudo e análise são: Mikhail Bakhtin, Michel Pêcheux, Freud, Lacan, Judith Butler e Jacques Derrida. Coordena o curso de pós-graduação Linguagens Híbridas e Educação e o G.E.Di (Grupo de Estudos do Discurso), no IFPR do campus Palmas. Integra, também, o Grupo de Pesquisa GEDISME (Discurso e memória: nos movimentos do sujeito), da Universidade de São Paulo, coordenado pela Professora Doutora Lucília Maria Abrahão e Sousa.

Referências

DERRIDA, Jacques. A escritura e a diferença. São Paulo: Perspectiva, 1971.

DERRIDA, Jacques. La loi du genre. In: DERRIDA, Jacques. Parages. Paris: Galilée, 1986.

DERRIDA, Jacques. A farmácia de Platão. São Paulo: Iluminuras, 1997.

DERRIDA, Jacques. Gramatologia. São Paulo: Perspectiva, 2013.

DERRIDA Jacques; ROUDINESCO, Elisabeth. De que amanhã... Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004.

GOTLIB, Nádia Battella. Clarice – uma vida que se conta. Editora Ática, 1995.

Lispector, Clarice. A hora da estrela. Rio de Janeiro: Rocco, 2017.

GRIGOLETTO, Evandra. Do lugar social ao discursivo: o imbricamento de diferentes posições sujeito. In: Seminário de Estudos em Análise do Discurso UFRGS, 2005, Porto Alegre. Anais eletrônicos...Porto Alegre: UFRGS, 2005. p. 154-164. Disponível em:

mhttp://www.ufrgs.br/analisedodiscurso/anaisdosead/2SEAD/SIMPOSIOS/ EvandraGrigoletto.pdf. Acesso em: 08 fev. 2018.

LAGAZZI, S. O desafio de dizer não. Campinas: Pontes, 1988.

NASCIMENTO, Evando. Derrida e a literatura. Niteroi: EDUFF, 2001.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes, 2000.

ORLANDI, Eni Puccinelli. A Análise de discurso em suas diferentes tradições intelectuais: o Brasil. In: SEMINÁRIO DE ESTUDOS EM ANÁLISE DE DISCURSO, 1., 2003, Porto Alegre. Anais do... Porto Alegre (RS): UFRGS, 2003.

ORLANDI, Eni Puccinelli. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 6. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Parkour: corpo e espaço reescrevem o sujeito. In: Revista Língua e Instrumentos Linguísticos. Campinas SP, no 34-jul-dez, 2014.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Pontes, 1988.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Metáfora e Interdiscurso. In: ORLANDI, Eni Puccinelli (Org.). Análise de Discurso – Michel Pêcheux. Campinas: Pontes Editores, 2011.

RODRIGUES, Carla. A literatura entre Derrida e Lacan: dentro/fora das relações de poder. Viso: Cadernos de Estética Aplicada, v. 13, s/n, 2013a.

RODRIGUES, Carla. Duas palavras para o feminino: hospitalidade e responsabilidade. Sobre ética e política em Jacques Derrida. Rio de Janeiro: NAU Editora/Faperj, 2013b. ROSENFELD, A. Reflexões sobre o romance moderno. In: ROSENFELD, A. Texto/contexto. São Paulo: Perspectiva, 1969.

Publicado
2018-12-31
Como Citar
Biziak, J. dos S. (2018). “É tempo de morangos”: argumentação, discurso e enunciação em A hora da estrela, de Clarice Lispector. Letrônica, 11(4), 429-440. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2018.4.30491