A tragédia em A maçã envenenada, de Michel Laub

  • Anna Carolina Botelho Takeda Universidade de São Paulo
Palavras-chave: A maçã envenenada, Tragédia, Romantismo.

Resumo

Neste artigo analisamos as ações narrativas do romance A maçã envenenada (2013), de Michel Laub, para visualizar como o autor compõe no livro o elemento trágico, ou seja, a partir de eventos narrativos capazes de apontar para o aniquilamento do protagonista e enfatizar a exposição de um mundo desordenado. Para bem compreender o conceito de tragédia, utilizamos as concepções de tragédia moderna desenvolvidas por Raymond Williams, que vê na ação trágica o próprio conceito de revolução. Ademais, será apontada a admiração do protagonista pela postura romântica do cantor Kurt Cobain que recusa subordinar-se às normas desse mundo desordenado cometendo suicídio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anna Carolina Botelho Takeda, Universidade de São Paulo

Formada em Letras pela Universidade de São Paulo, doutoranda pelo programa de pós-graduação em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa (USP). Bolsa CAPES – Demanda Social.

Referências

BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido se desmancha no ar. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

COSTA, Iná Camargo. Tragédia no século XX. In: WILLIAMS, Raymond. Tragédia moderna. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

GALERA, Daniel. Mãos de cavalo. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Rio de Janeiro: Vozes, 2008.

HORKHEIMER, Max. A. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

LAUB, Michel. A maçã envenenada. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

______. Diário da queda. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

LÖWY, Michael; SAYRE, Robert. Revolta e melancolia: o romantismo na contracorrente da modernidade. São Paulo: Boitempo, 2015.

WILLIAMS, Raymond. Tragédia moderna. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

Publicado
2017-12-27
Como Citar
Takeda, A. C. B. (2017). A tragédia em A maçã envenenada, de Michel Laub. Letrônica, 10(1), 433-442. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2017.1.24894