O ofício da escrita: uma sondagem do fazer literário por meio de cartas de Caio Fernando Abreu

  • André Luiz Alselmi Unesp, UniSEB
Palavras-chave: Caio Fernando Abreu, cartas, Criação literária, Ofício do escritor.

Resumo

Os gêneros íntimos – o diário, a autobiografia e a carta – vêm conquistando cada vez mais espaço entre os leitores, por, dentre outros motivos, promoverem uma ilusão de verdade. Em decorrência disso, esses textos têm ganhado bastante espaço em editoras, tornando-se cada vez mais visíveis nas livrarias. O mesmo ocorre com as correspondências de personalidades literárias, que têm despertado grande interesse da crítica em compreender os fundamentos dessa forma de expressão e de sua relação com a criação literária. Inegavelmente, é preciso reconhecer que as cartas de grandes escritores frequentemente transcendem o mero relato cotidiano, revelando uma carga poética e informacional digna de ser analisada com vistas a compreender o processo de criação literária. Nesses casos, a correspondência de grandes escritores é relevante não apenas pelo seu valor autobiográfico, histórico ou cultural, mas também por ser uma forma de expressão autônoma e múltipla capaz de acolher a reflexão sobre a literatura e o processo de criação. Partindo do pressuposto de que a experiência pessoal e a experiência literária, nas epístolas de Caio Fernando Abreu, apresentam-se concomitantemente, este artigo extrai das cartas do autor uma poética a partir das reflexões metalinguísticas sobre a natureza da criação literária e do ofício do escritor. Assim, por meio da correspondência de Caio Fernando Abreu, este artigo traça uma visão do escritor gaúcho sobre a função da literatura, a imagem do escritor e o processo de escrita. Com isso, pretende-se demonstrar que as cartas constituem um rico material para a compreensão do universo literário do autor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Luiz Alselmi, Unesp, UniSEB
Possui graduação em Letras - Licenciatura e Bacharelado em Português / Francês (2005) e Mestrado em Estudos Literários (2008) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Atualmente, cursa o Doutorado na mesma universidade e atua como professor de graduação no Centro Universitário UniSEB e no Centro Universitário Barão de Mauá.

Referências

ABREU, Caio Fernando. Cartas. Org. Italo Moriconi. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2002.

ADORNO, Theodor W. Palestra sobre lírica e sociedade. In: ______. Notas de literatura I. Trad. Jorge de Almeida. São Paulo: Duas Cidades, Editora 34, 2003. p. 65-89.

CALLEGARI, Jeanne. Caio Fernando Abreu: o inventário de um escritor irremediável. São Paulo: Seoman, 2008.

FAUSTINO, Mário. Poesia-experiência. São Paulo: Perspectiva, 1976.

MORICONI, Italo (Org.). Cartas – Caio Fernando Abreu. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2002.

PIOVESAN, Greyce Kelly. As mulheres de Letras no universo epistolar de Pedro Nava. In: Fazendo Gênero 9: Diásporas, Diversidades, Descolamentos. 2010. Disponível em: <http://www.fazendogenero.ufsc.br/9/resources/anais/1277936346_ARQUIVO_trabalhoFAZENDOGENERO.pdf. Acesso em 10/08/13>.

RIMBAUD; Latréamont; CORBIÈRE; Cros. Oeuvres poétiques complètes. Paris: Édition Robert Laffont, 1980.

Publicado
2015-07-15
Como Citar
Alselmi, A. L. (2015). O ofício da escrita: uma sondagem do fazer literário por meio de cartas de Caio Fernando Abreu. Letrônica, 8(1), 232-242. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2015.1.19555