As condições de possibilidade de efetivação da paz perpétua segundo Kant

  • Francisco Jozivan Guedes de Lima (UFC) Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Paz perpétua. Direito das gentes. Estado. Cidadão. Filosofia Política.

Resumo

O artigo pretende investigar os elementos constitutivos nos quais Kant fundamentou sua proposta para a paz perpétua, sobretudo a partir de sua concepção basilar de direito das gentes (Volkerrecht / ius gentium). Para isto, será imprescindível o exame do projeto filosófico Para a Paz Perpétua [Zum ewigen Frieden] (1795), projeto este que, quando necessário, será relacionado com Idéia de uma história universal com um propósito cosmopolita [Idee zu einer allgemeinen Geschichte in Weltbürgelicher Absicht] (1784) e A Metafísica dos Costumes [Die Metaphysik der Sitten] (1797). Questões fundamentais que afetam as relações internacionais contemporâneas tais como, tratados de paz, soberania, esfera pública, exércitos permanentes (miles perpetuus), direito de intromissão, cosmopolitismo e, dentre outros, dignidade humana serão, direta ou indiretamente, tratadas neste artigo. Metodologicamente, num primeiro momento serão trabalhados os antecedentes da paz perpétua para, ulteriormente, colocar em discussão a própria obra em si.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Jozivan Guedes de Lima (UFC), Universidade Federal do Ceará
Sou Jozivan, natural de Quixadá-CE, mas vivi muitos anos em Ibicuitinga-CE, e alguns em Limoeiro do Norte-CE. Fiz estudos filosóficos e teológicos por 5 anos visando tornar-me sacerdote diocesano. Sou graduado em História, Filosofia e atualmente curso Mestrado em Filosofia pela UFC e na PUCRS em Filosofia Política.
Publicado
2010-11-24
Como Citar
Guedes de Lima (UFC), F. J. (2010). As condições de possibilidade de efetivação da paz perpétua segundo Kant. Intuitio, 3(2), 100-115. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/7696
Seção
Artigos