Spinoza e as ciências sociais

  • Diogo da Luz PUCRS
Palavras-chave: Spinoza, Ética, Lordon, Sociais.

Resumo

O objetivo do presente artigo é expor os motivos porque Frédéric Lordon assinala a necessidade de as ciências sociais precisarem de uma fundamentação filosófica spinozista. Para isso, inicialmente, explicitamos as carências que o filósofo encontra nos estudos sociais, e, logo depois, analisamos a forma como a filosofia de Spinoza se encaixa como base teórica de fundamentação. Demonstramos o modo como Lordon se apropria dos termos spinozistas para justificar seu insight, pois, dessa maneira, podemos esclarecer como elementos da ética de Spinoza encontram lugar em seu estudo sociológico. Ao final, concluímos que a proposta, apesar de relevante, carece de uma abordagem satisfatória acerca da liberdade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOURDIEU, P. A dominação masculina. Trad. Maria Helena Kühner. 2 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

LEITE, W.W. O Homem Livre em Deus por Bento Espinosa. 2016. 178 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, 2016.

LORDON, F. A sociedade dos afetos: por um estruturalismo das paixões. Trad. Rodolfo Eduardo Scachetti e Vanina Carrara Sigrist. Campinas: Papirus, 2015.

PEDRO, A. A ética como conatus de Espinosa. Cadernos Espinosanos, São Paulo, n.29, p.26-36, jul-dez 2013.

SCRUTON, R. Espinosa. Coleção Grandes Filósofos. Trad. de Angélika Elisabeth Könke. São Paulo: UNESP, 2000.

SPINOZA. Ética. Trad. Tomaz Tadeu. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

Publicado
2017-07-25
Como Citar
da Luz, D. (2017). Spinoza e as ciências sociais. Intuitio, 10(1), 135-149. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2017.1.27029