De Outro Modo Que Ser: algumas observações quanto à tradução portuguesa de Autrement qu'être ou au-delà de l'essence

  • Tiago dos Santos Rodrigues Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Mestrando.
Palavras-chave: Levinas, tradução, ética, Dizer.

Resumo

O presente artigo apresenta o cotejo realizado entre a obra original do filósofo lituano-francês Emmanuel Levinas, Autrement qu’être ou au-delà de l’essence, e sua versão em língua portuguesa, De outro modo que ser ou para lá da essência, primeira versão da obra no idioma de Camões. Esse texto apresenta as limitações da presente tradução, seja por trechos não traduzidos como de escolhas de tradução equivocadas. O texto original é sem dúvida deveras hermético, Levinas escreveu sua obra procurando uma linguagem própria, com uma linguagem que, na medida do possível, não estivesse contaminada pelo ser, pela ontologia. Para isso expressou-se do modo mais concreto possível sem que com isso sua expressão perde-se em rigor filosófico. A tradução, sem justificativa, desfez esse trabalho empreendido pelo autor que de modo algum é mero estilo literário, mas que constitui também o próprio conteúdo da obra. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tiago dos Santos Rodrigues, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Mestrando.

Mestre em filosofia (PUCRS), doutorando em filosofia (PUCRS). E-mail:[email protected]

Referências

ECO, U. Decir casi lo mismo. Trad: Helena Lozano Meireles. Barcelona: Debolsillo, 2009.

GAUER, R. M. C. (Org.) Criminologia e Sistemas jurídico-penais contemporâneos II. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010.

GULLAR, F. Toda poesia:1950-1980. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1981. 2ª Edição (Coleção Vera Cruz. Literatura Brasileira, volume 300).

HUSSERL, E. Meditações cartesianas e Conferências de Paris. Trad: Pedro M. S. Alves. – 1. ed. – Rio de janeiro: Forense, 2013.

LEVINAS. E. Autrement qu’être ou au-delà de l’essence. Martinus Nijhoff, 1978.

LEVINAS. E. De otro modo que ser ou más allá de la esencia. Trad. Antonio Pintor Ramos. Salamanca: Edicones Sigueme, 2003.

LEVINAS, E. De Deus que vem à ideia. Trad: Marcelo Fabri, Marcelo Luiz Pelizzoli, Evaldo Antônio Kuiava, Pergentino Stefano Pivatto (coordenador e revisor) – 2. ed. – Petrópolis: Vozes, 2008.

LEVINAS. E. De outro modo que ser ou para lá da essência. Trad. José Luis Pérez, Lavínia Leal Pereira. Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, 2011.

LEVINAS, E. Deus, a Morte e o Tempo. Trad.: Fernanda Bernardo. Lisboa: Edições 70, 2012.

SEBBAH, François-David. Levinas. Trad: Guilherme João de Freitas Teixeira. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.

Publicado
2018-07-30
Como Citar
Rodrigues, T. dos S. (2018). De Outro Modo Que Ser: algumas observações quanto à tradução portuguesa de Autrement qu’être ou au-delà de l’essence. Intuitio, 11(1), 86-104. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2018.1.25585